Marketing Digital

16 ago, 2011

Social bookstores – o que você acha da leitura compartilhada?

100 visualizações
Publicidade

No meu artigo “De volta
para o futuro II – o fim do livro de papel
” mostrei algumas tendências para o
futuro e entre elas estava o livro digital, ou e-book. Lembro que até levantei
o questionamento a respeito do fim do livro impresso.

Agora, neste text, abordo mais algumas tendências “futurísticas”, que é a social bookstore e a leitura compartilhada na nuvem .O tema me chamou a atenção pelo fato
de utilizar a colaboração online nos livros digitais, permitindo uma leitura
colaborativa e construtiva. Bob Stein é o idealizador dessas novas tendências.

Segundo ele, que é o visionário dos visionários, a “leitura será uma experiência compartilhada.
As lojas físicas de livro serão coisas do passado; Editores não imprimirão
apenas livros e aprenderão como distribuí-los em rede”.

A leitura será algo semelhante ao que existe hoje nas redes sociais. O hábito
de ler, na visão de Stein, será cada vez mais uma “experiência em comunidade: os leitores vão compartilhar grifos e
comentários por meio de social bookstores”.

As ideias Stein foram apresentadas no
dia 26 de julho, na conferência de abertura do 2º Congresso Internacional do
Livro Digital, realizado pela Câmara Brasileira do Livro, em São Paulo. Bob
Stein dirige o instituto “For The Future of The Book” (Para o futuro do livro).

Considero o tema muito interessante e
acredito que ficar de olho no futuro é um
importante passo para o desenvolvimento de novos negócios e preservação dos
negócios já existentes. Na era digital é preciso rever os antigos conceitos e
reinventá-los. Tentar manter padrões rígidos e não acompanhar a inovação é
pedir para sucumbir. Aliar o antigo ao novo e criar um negócio criativo e
diferenciado. Não é atoa que empresas como Amazon, Apple e Google fora do
mercado tradicional de livros é que estão à frente do mercado de livros
digitais.

Para Bob Stein, o futuro não será só fazer e-books, mas “repensar
todo o ecossistema”. Para ele, a “leitura social”, será uma experiência de
leitura compartilhada por meio de nuvens. As obras vão aparecer no browser, não
em aplicativos. Dessa nuvem, vão até poder participar autores e especialistas
nos temas. Editores terão outro papel, o de construir a tal rede de leitores.
Não se trata de uma questão técnica, mas de uma nova concepção.

Portanto, caros leitores, seguem, como sugestão, alguns conceitos interessantes que merecem ser pesquisados e analisados: “leitura social”, “novo papel dos editores no ecossistema de leituras compartilhadas”, “social bookstores” e “livro digital na nuvem”. Que venha o futuro com todas essas novas tendências!

O fato é que a cultura da participação já é algo extremamente concreto no nosso presente. Veja só a web 2.0 que se enraizou no nosso cotidiano e cada vez mais abre espaço para novos negócios, como as compras coletivas, redes sociais cada vez mais integradas com outros serviços e a computação na nuvem.

As inovações propostas por Bob Stein são possíveis, uma vez que a infra-estrutura para suportá-las já existe. O sucesso dependerá de adesão das pessoas e de investidores que financiem o essa nova forma de negócio.

*

Crédito da imagem: http://bevilaboim-bibliomanias.blogspot.com