DevSecOps

DevSecOps

O declínio do Joomla! e o apogeu do WordPress

9 abr, 2014
Publicidade

Sem dúvida, este será um dos meus artigos mais polêmicos. Quem me conhece, sabe que sou fã do Joomla! desde que fiz meu primeiro site em Joomla!, em 2006. Porém, em 16 anos de carreira na área digital e empreendedorismo, aprendi que na vida tudo tem ciclos. Focar na tecnologia, no longo prazo, não é uma boa estratégia. Se você duvida, vamos recordar o passado e usar uma pergunta que já ouvi milhares de vezes:

– Você faz sites?

E agora vamos recordar algumas tecnologias: HTML > FLASH > ASP > PHP > Joomla!/WordPress > Wix/Weebly…

O fato é que a velha regra da demanda e oferta é o que define o ciclo de vida de um produto/serviço. E como conhecer a demanda do Joomla! e WordPress? Simples, basta usarmos o Google Trends e comparar Joomla! x WordPress.

joomla-vs-wordpress

O resultado não é nada promissor, pois mostra claramente uma queda nas buscas pelo Joomla!. O reflexo disso é menos pessoas demandando sites em Joomla!, menos pessoas se interessando em aprender, menos desenvolvedores interessados em criar sites em Joomla!.

Orkut x Facebook

Você ainda tem dúvidas ou acha que estou sendo pessimista? Bom, vejam o gráfico do Orkut x Facebook, cujo resultado já sabemos.orkut-vs-facebookSe você, assim como eu, é um fã do Joomla!, mas não está gostando nada do que estou escrevendo, ou se está com raiva por não concordar, por favor “Não mate o mensageiro“.

Quando me deslumbrei com o mundo da Internet, em 1997, e fundei minha primeira “produtora de sites” – Arteweb – em 1998, achava que ficaria rico fazendo sites em HTML e usando FrontPage da Microsoft. Depois fui sócio da Tomate Comunicação Digital, que já era uma “agência digital” e fazíamos sites gerenciáveis em ASP. Em 2002, fundei a Konfide e em em 2007 conheci o Joomla!. Fui um dos pioneiros em ministrar Cursos de Joomla! e vários profissionais do mercado digital passaram pela Konfide. Gostaria de compartilhar uma fábula com vocês antes de darmos continuidade no artigo.

Um grande carvalho, ao ser arrancado do chão pela força de forte ventania, rio abaixo é arrastado pela correnteza.
Desse modo, Levado pelas águas, ele cruza com alguns juncos, e em tom de lamento exclama:
– Gostaria de ser como vocês, que de tão esguios e frágeis, não são de modo algum afetados por estes fortes ventos.
E eles responderam:
– Você lutou e competiu com o vento, por isso mesmo foi destruído. Nós ao contrário, nos curvamos, mesmo diante do mais leve sopro da brisa, e por esta razão permanecemos inteiros e a salvo.
Moral da história: para vencer os mais fortes, não devemos usar a força, mas antes disso, inteligência e humildade.

Joomla! x WordsPress

Basta pesquisar Joomla! x WordPress Infographics no Google Images para encontrar vários comparativos bem interessantes. Porém, os resultados sempre são similares:

wordpress-vs-joomla-market-shareO fato é que é inegável que o WordPress é muito mais popular e está conquistando cada dia mais fãs e usuários. Sem dúvida, um dos grandes fatores do grande crescimento do WordPress é o site www.WordPress.com.Vejam alguns infográficos que achei mais interessantes:

joomla-wordpress-junkinthetrunk

Joomla! x Wix

Não podemos negar também que o WIX se tornou a plataforma de construção de sites mais popular. Comparando as buscas no Google Trends também podemos perceber que o WIX vai ultrapassar as buscas no Google.

joomla-vs-wix

Gravei um tutorial do Wix para conhecer e reconheço que achei muito legal. A usabilidade e fluxo de navegação é muito bem planejado. No lugar de ficarmos olhando apenas os “sintomas”, precisamos exercitar um olhar mais amplo para conseguir compreender as tendências que estão ocorrendo.Um fato inegável é que os usuários finais tem cada dia mais opções de sites que oferecem opções de auto-serviço. O Google AdWords que antigamente não era possível nem falar por telefone agora oferecem consultores para ajudarem os anunciantes. Podemos criar apresentações com Prezi, anunciar no Facebook, publicar vídeos no Youtube, criar sites no Wix.com ou no WordPress.com. Agora podemos até fazer vídeos incríveis no PowToon.com (já comecei a gravar vídeo-aulas de PowToon)

“Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha, sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas.” A Arte da Guerra

E agora José?

Este poema de Carlos Drummond de Andrade possibilita algumas reflexões que vão muito além do tema deste artigo. A velocidade das mudanças está tão grande que muitas pessoas não estão conseguindo acompanhar e se adaptar. Escrevi um post muito legal sobre o tema mudanças: “Quem mexeu no meu queijo“.

“José é um poema de desencontros, marcado por um profundo ceticismo. O homem não encontra a si mesmo. Perdeu-se. Está encurralado, num verdadeiro beco sem saída. Sem qualquer direção ele prossegue: para onde, José?” Fonte: Oficina do Escritor

Quando comecei a trabalhar com Internet, eu tinha 29 anos e todo gás da juventude. Lembro que meu ex-sócio, Reginaldo Siqueira, falava que faltavam “cabelos brancos” na Internet. Hoje, com 45 anos, consigo compreender e acredito que continua faltando mesclar experiência com juventude. O vídeo abaixo com o poema “E Agora José?” traz uma frase final que é perfeita para refletirmos sobre o dilema das gerações:

“De nós, velhos, desculpam-se os erros, pois não encontramos as estradas abertas; mas de quem chegou ao mundo depois de nós, pode-se exigir mais; andarão por caminhos que nós já abrimos.” J. P. Eckermann Alemanha 1792/1854

Fiz uma brincadeira com a estrofe inicial:

E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José?
e agora, você?
você que é sem nome,
que zomba dos outros,
você que faz versos,
que ama, protesta?
e agora, José?
E agora, Joomla!?
A festa acabou,
a luz apagou,
os clientes sumiram,
a noite esfriou,
e agora, Joomla!?
e agora, você?
você que é sem clientes,
que zomba dos outros CMS´s,
você que faz sites,
que ama, protesta?
e agora, Joomla!?

O que fazer?

Gostaria de comentar dois artigos que tiveram grande repercussão. Um dos meus artigos mais polêmicos, com 135 comentários no iMasters, foi “Razões para não fazer um site EM Flash“. Muitas pessoas fizeram duras críticas, mas o que aconteceu? Os sites feitos inteiramente em flash morreram e o HTML 5 dominou o mercado que antes era do Flash.

Outro artigo muito polêmico é “O Declínio das Agências Digitais“, onde explico que o modelo de trabalho de 9h às 18h não atende as atuais demandas de projetos, principalmente os digitais. Além disso, há um desejo crescente de muitos jovens em ter sua própria agência digital, com isso, os colaboradores de talento não ficam muito tempo como funcionários de uma agência. Vejo poucas iniciativas onde o trabalho em rede e aprendizado coletivo sejam valorizados.

Acredito que, não apenas as agências digitais, mas qualquer empresa cujo serviço seja o uso do conhecimento precisará se reinventar para não virar passado.

 passado-presente

Seria muita pretensão dizer que tenho uma solução, porém tenho uma proposta para ser co-criada pelas pessoas que também gostam do Joomla! e sabem do seu potencial.

Na minha palestra ministrada no Joomla! Day SP 2013, fiz a proposta de todo profissional de Joomla! “adotar” um jornalista e ajudá-lo(a) a ter um site pessoal feito em Joomla!. Na realidade, a ideia é ampliar o conhecimento do Joomla! para pessoas que trabalham com conteúdo e que possuem potencial de multiplicar e influenciar pessoas leigas.

Minha proposta é: ensine alguém a usar o Joomla! e crie sites em Joomla! sem pensar na remuneração. Desta forma, iremos potencializar a divulgação e acredito que temos condições de reverter as buscas no Google Trends. Se chegou até aqui para ler esta proposta, você pode estar concordando com o artigo ou pode estar com raiva (ou qualquer outro sentimento de discordância). O fato é que se nada for feito, podemos (sim, sou fã do Joomla! e faço parte da comunidade) ter um destino parecido com o Orkut.

Se você achou estranho esta proposta de não cobrar $ pelo trabalho de criação de um site, recomendo que leia o post “Economia do Presente” sobre o Adrian Hoppel – um webdesigner da Filadélfia – que decidiu trabalhar sem cobrar em troca do cliente pagar de acordo com o valor percebido pelo trabalho.

Wikisocial – Rede de voluntários para criação de sites em Joomla! para ONGs

Este artigo ficou longo mesmo, mas parece que todos os pontos estão se conectando (me senti o Steve Jobs! rs). Tenho uma ideia desde 1999 de criar uma forma de facilitar a entrada das ONGs na Internet. Naquela época imaginei um site para criar sites com facilidade, porém o projeto ficou arquivado muitos anos até que ministrei uma palestra no TEDxSalvador 2011. Reformulei a ideia e decidi que usaria apenas uma plataforma de gestão de conteúdo para simplificar a decisão da ONG, logicamente escolhi o Joomla!.

“Assistam” a apresentação em Prezi com áudio para compreenderem a ideia:

http://prezi.com/kasiijcn23gr/wikisocial-educacao-digital-e-sites-para-ongs/

O Wikisocial será uma rede de voluntários para criar sites em Joomla! para ONGs. Porém, o objetivo principal é criar uma rede de educação digital para disseminar o Joomla! e outras tecnologias.

Conclusão

Acredito que um artigo como este não dá para ter uma conclusão, porém irei propor uma reflexão… Responda para si mesmo, com toda sinceridade as perguntas:

  • Eu realmente estou focado em ajudar meu cliente ou as demandas financeiras me influenciam?
  • Consigo ser humilde para aceitar mudanças ou que as ideias de outras pessoas são melhores, ou o orgulho ainda é um sentimento que me move?
  • Eu faria de graça o que faço o resto da vida?

Espero que tenham gostado deste artigo. E caso não tenha gostado ou esteja com raiva da forma como apresentei as informações, por favor, não mate o mensageiro!

“Onde as necessidades do mundo e os seus talentos se cruzam, aí está a sua vocação.” Aristóteles (Fonte: Uma nova visão do trabalho – School of Life)