Banco de Dados

2 jan, 2013

Melhores de 2012 – Análise de dados na nuvem: duas boas opções de Big Data “NoSQL” para as PMEs

100 visualizações
Publicidade

O que tivemos de mais interesse em 2012? Quais foram melhores artigos, as opiniões que geraram maiores discussões? Isso é o que você vai encontrar nessa seleção de artigos que fizemos especialmente para você: os melhores conteúdos de 2012. Já que final e início de ano é sempre um tempo propício para fazer um balanço do que passou e o planejamento para o que ainda virá, esperamos que os artigos publicados aqui te ajudem nisso!

Boas festas e feliz 2013! Um abraço da equipe de Redação do iMasters!

 

Algumas estimativas sugerem que até 2015 o universo digital crescerá para 8 zettabytes de dados (1 zettabyte = 1.000.000.000.000.000.000.000 bytes). Muito se tem escrito nos últimos anos sobre o “Big Data” e as implicações para o gerenciamento de informações e para a análise de dados. Simplificando, Big Data são os dados que são grandes demais para serem processados usando métodos tradicionais.

Por “métodos tradicionais” nos referimos aos ambientes de banco de dados relacionais (RDBMS), nos quais os dados são organizados em um conjunto de tabelas formalmente descritas e muitas vezes acessadas utilizando a linguagem SQL (Structured Query Language). Esses sistemas foram projetados há décadas, quando os dados eram muito mais estruturados e menos acessíveis. Com o desenvolvimento de tecnologias web e arquiteturas de código aberto, os sistemas de gerenciamento de banco de dados também evoluíram. A expressão mais notável disso é o MySQL, que é open source e de fácil acesso para o iniciante, e geralmente vem em pacotes de software em alguma variação do ambienteLAMP. Por outro lado, mais da metade dos dados digitais de hoje são os não-estruturados a partir das redes sociais, dispositivos móveis, aplicativos web e outras fontes similares.

Enquanto o “Big Data” se tornou um grande jargão na indústria de TI hoje – similar, em vários aspectos, a uma consequência do fenômeno da computação da nuvem – e resultou em vários tipos de definições, a essência desse fenômeno pode ser resumida na seguintedefinição de O’Reilley: “Big Data são dados que excedem a capacidade de processamento dos sistemas de banco de dados convencionais. Os dados são muito grandes, se movem muito rápido, ou não se adequam às restrições de arquiteturas dos banco de dados. Para ganhar valor a partir desses dados, você deve escolher um caminho alternativo para processá-los”.

 

Continue lendo este artigo.