APIs e Microsserviços

12 abr, 2019

Software Livre: desenvolvedor e ativista Ola Bini é detido no Equador

visualizações
Publicidade

O desenvolvedor de software e defensor de software livre, Ola Bini, foi detido no Equador. A prisão de Bini é vista por amigos como uma tentativa de reprimir a comunidade que defende segurança e privacidade na rede.

O ativista e pesquisador de segurança da informação foi detido pelo governo equatoriano em Quito, nesta sexta-feira. A prisão de Bini ocorreu poucas horas depois que a ministra do Interior do Equador, Maria Paula Romo, afirmou que havia supostos “hackers russos” no país.

Prisão de Bini teria relação com Assange

Bini é um nome conhecido no setor de computação, sendo referência em trabalhos sobre comunicação segura, privacidade da informação e anonimato. É autor de livros sobre tecnologia da informação.

O desenvolvedor de softwares é cidadão sueco e teria autorização para trabalhar e residir no Equador. Ele tem sido acusado de tentar desestabilizar o governo. O motivo seria a perda de asilo político de Julian Assange, que viveu por 7 anos asilado na embaixada equatoriana do Reino Unido. Assange foi detido ontem.

O iMaster publicou que logo após a prisão de seu fundador, o Wikileaks liberou centenas de arquivos secretos. A divulgação desses documentos seria uma promessa antiga da organização, caso Assange fosse preso.

Documentos secretos do Wikileaks

diretório do Wikileaks na internet está aberto com centenas de arquivos. Esses documentos (alguns já tinham sido divulgados) tratam de informações sigilosas, com os mais diversos assuntos, desde e-mails de políticos até negociações entre países. Há inclusive documentos se referindo ao Brasil.

Reprodução