Desenvolvimento

5 out, 2018

Cobertura InterCon18: PHP in 2018

visualizações
Publicidade

O criador da linguagem PHP, Rasmus Lerdorf, veio ao Brasil encerrar o primeiro dia do InterCon 2018.

Ele começou falando da sua origem e das diferenças entre seu país, Groelândia, e o Brasil. Em seguida, ele começou uma linha do tempo, que por incrível que pareça, começou no Brasil. No início dos anos 1990, ele contou que veio à Porto Alegre, pois trabalhava para uma empresa daqui. Ele lembrou como era difícil naquela época fazer algumas coisas sem a internet como a conhecemos hoje; como se localizar. Isso por que, naquela época a internet era restrita a universidades e ao governo. Afinal, o primeiro browser gráfico apareceu só em 1993. Nessa época, ele já queria apostar na web. Mas nem todo mundo queria. Por isso, pediu demissão da empresa brasileira para a qual trabalhava. E foi investir nisso, como ele mesmo pontuou.

Em 1993, era tudo muito difícil ainda. Muito lento; mas nessa época, todo mundo começou a migrou para o cgipm. Já em 1994, você escrevia sua logica de negócios em uma linguagem digitada, usando C++, relembrou o desenvolvedor. “A rede crescia muito rápido”. Muitos desenvolvedores não concordavam com a visão de Rasmus, acerca do que desenvolvimento web se tornaria. E ele seguiu seus instintos e foi focando no ecossistema. “É muito mais do que o PHP! É para além disso, afinal, LAMP não foi um acidente!”, esclareceu.

Ele lembrou ainda de como a internet era construída naquela época. “Eu não gostava na época do pessoal das ciências da computação… Eles acreditavam que só quem tem diploma na área poderia construir a internet. Imagina o que seria dela se só doutores, diplomados e coisa e tal pudessem construir a internet?”.

Ele comentou ainda sobre escalar: scaling up é o esperado e o contrário é extremamente difícil. Fazer os dois é o óbvio!

Pulando para 2018, estamos à porta do PHP 7.3. E ele abordou as novidades que essa versão deve trazer, como acionar referências à listas, a nova função sobre fpm e a is_countable(). Além de citá-las, ele abordou as melhorias que elas trarão para os desenvolvedores. Outro ponto abordado foram as novas DCEs que a versão trará.

Ele ainda fez um paralelo a cerca do desempenho com o WordPress e do PHP, de 2009 até 2018. A rapidez e a latência melhoraram, o que é bom para o desenvolvedor trabalhar e para o usuário final. Com relação a memória, ela caiu drasticamente.