DevSecOps

2 abr, 2014

O papel do cientista social

100 visualizações
Publicidade

“No atual momento da Contração Cognitiva, com a baixa taxa de abstração da sociedade, a maior parte das pessoas que se dedica aos problemas sociais são muito mais cronistas do que teóricos, cientistas.”

Muitas pessoas escrevem sobre a sociedade e, no caso do meu problema-matriz, sobre os efeitos das tecnologias na sociedade e mais especificamente sobre as Tecnologias Cognitivas.

Peixes_Miguel-Horta-para-Metamorfose-de-Herberto-Hélder

Eu diria que há dois tipos de abordagem.

  • Os cronistas –  vamos chamar assim, que comentam fatos, mas não visam construir teorias;
  • Os cientistas sociais – que se debruçam sobre os mesmos fatos, mas que visam construir teorias.

As teorias trabalham com forças vivas, que na dinâmica de seu movimento vão provocando fenômenos sociais.

  • O papel do cronistas é comentar sobre elas;
  • O papel do cientista é criar aprender a regularidade das forças para criar uma dada teoria, que é um modelo/padrão que possa mostrar determinadas regularidades, a partir de determinados contextos;
  • E, por fim, desenvolver metodologias que possam, a partir do conhecimento das forças, poder apontar ações que reduzam sofrimentos.

farsa-universal-teoria-dna-rna_image003

Para exercer o seu papel, o cientista social precisa:

  • Definir um problema-matriz, que ajude pessoas a sofrer menos;
  • Analisar as forças que fazem com que haja aumento ou redução de sofrimento, a partir de determinados contextos;
  • Detalhar estas forças, criando conceitos que ajudem a delineá-las e podê-las compará-las em momentos distintos.

“No atual momento da Contração Cognitiva, com a baixa taxa de abstração da sociedade, a maior parte das pessoas que se dedicam aos problemas sociais são muito mais cronistas do que teóricos, cientistas.”

Mathematical_equations-640x640-510x510

O cientista social leva bastante tempo, pois:

  • Demora a chegar no problema-matriz;
  • É preciso ir se desintoxicando da abordagem padrão para ir criando novo ponto de vista;
  • Ser meticuloso ao longo do processo.

Teorias são demandas que exigem muito trabalho e atenção e, por isso, é mais fácil escapar para o lado da crônica.

O problema é que hoje em dia tem muita gente fazendo crônica, chamando-a de teoria.

É isso; que dizes?