DevSecOps

24 dez, 2014

Melhores de 2014 – Web além das coisas

100 visualizações
Publicidade

O tema da Internet das coisas está cada vez mais em destaque. Lâmpadas conectadas, televisores, portas, banheiros, geladeiras, e por aí vai. Uma infinidade de dispositivos terão IPs e poderão ser conectados com smartphones, computadores e outros aparelho inusitados. E por isso mesmo temos que lembrar que a Web tem uma atuação fundamental nesse processo. Estamos no momento da Web das coisas, mas já existem discussões que vão além de eletrodomésticos conectados. Por esse motivo, vale a pena comentar três pontos relevantes no processo de evolução da Web:

1. A Web como interface

Já ouvimos falar muito de WebApps para smartphones e televisores, mas esse conceito pode ser expandido para os demais dispositivos. Aplicações Web, baseadas em HTML5, CSS3, JavaScript e outras tecnologias abertas, fornecem flexibilidade ao desenvolvedor que pretende criar algo multiplataforma. A Web em si traz já traz esse conceito de acesso por múltiplos dispositivos das mais diversas formas. Estamos em um momento de construir a essência da Web que não será acessada somente por dispositivos móveis.

2. Mobile Web, ou simplesmente Web

Muitos termos voltados ao desenvolvimento para dispositivos móveis surgiram nos últimos anos. Mobile Web e Mobile First são apenas alguns deles. Quando colocamos o foco em mobile, estamos decidindo direcionar o desenvolvimento para um determinado dispositivo ou resolução de tela. Tablets e smartphones podem ser considerados os dispositivos mais modernos do momento, mas daqui a alguns anos a Web estará onde menos se espera: nos carros, nas geladeiras, nas mesas, nos óculos (ops, nesses ela já está!). Daqui a alguns anos falar em Mobile Web será como falar em toca fitas de carro. E por falar em carro, esse é um baita dispositivo que também está se preparando para a Web.

3. Novas interfaces da Web

O W3C vem trabalhando para fomentar a inovação nas mais diversas áreas e segmentos de mercado para reforçar o conceito da Web como a grande interface de dispositivos. Além das áreas de games, saúde e publicações digitais, outros segmentos vêm ganhado destaque na evolução da Web. Por esse motivo, o W3C criou em 2011 os W3C Community and Business Groups para atender às necessidades de uma crescente comunidade de interessados ​​no futuro da Web.

Community Group é um fórum aberto, sem taxas, no qual desenvolvedores e interessados na Web podem desenvolver especificações, manter discussões, promover testes, e se conectar com a comunidade internacional de especialistas da Web. Business Group fornece aos inovadores que querem ter um impacto sobre o desenvolvimento da Web no curto prazo um fórum neutro para colaborar com interessados de opiniões similares, incluindo membros do W3C e não-membros.

Um exercício interessante é dar uma navegada pela lista de Community e Business Groups do W3C para ter uma ideia sobre alguns temas de inovação que estão surgindo nesses grupos:

Web Automotiva

O Automotive and Web Platform Business Group tem como objetivo influenciar a Plataforma Aberta da Web sobre as necessidades específicas da indústria automotiva e ajudar os interessados​​ a construir e compreender os processos de criação de padrões do W3C. Em novembro de 2012, o W3C promoveu um workshop em Roma para aproximar os participantes da discussão do desenvolvimento da Web automotiva, que inclui preocupações como segurança, relação do carro com dispositivos móveis, mercados de atuação etc.

Web Semântica GeoEspacial

Sim, uma Web GeoEspacial. Esse é o objetivo do Geospatial Semantic Web Community Group, que aborda um desafio ousado na área de gestão da informação inteligente: a exploração da Web como uma plataforma para a integração de conhecimento geoespacial, bem como para a exploração de informação geográfica. Esse grupo vai reunir cientistas, usuários de dados linkados, consumidores e provedores interessados ​​na exploração desses dados.

Web dos Sensores

O Web of Sensors Community Group explora como a plataforma Web pode interagir com sensores que nos rodeiam. Por exemplo, como vamos ligar um Arduino e interagir com ele através da plataforma Web? O escopo é o de explorar os dados do sensor de forma segura para a plataforma Web, que protege a privacidade do usuário e atende às necessidades dos desenvolvedores.

Informações sobre outros grupos e como participar podem ser encontradas em http://www.w3.org/community/groups/.

Mobile Web, Automotive Web, Web of Sensors… Você percebe o que tudo isso tem em comum? Isso mesmo. A Web. Vamos desenvolver para a Web, a grande interface de interação. A forma e o dispositivo de acesso podem mudar, mas sua essência permanece: uma interface interoperável, livre e aberta.

***

Artigo publicado originalmente na Revista iMasters de fevereiro.