Desenvolvimento

17 out, 2017

Como a engenheira da Uber, Roche Janken, canaliza a criatividade em código

100 visualizações
Publicidade

Roche Janken é engenheira da equipe de Engenharia de Privacidade da Uber, responsável pelo desenvolvimento de recursos que garantem a conformidade e protegem a privacidade do usuário. Neste artigo, ela discute seu caminho não convencional para a programação e explica como sua carreira como dançarina a inspira a pensar criativamente sobre seu trabalho na Uber.

Quando conheço pessoas novas e elas perguntam o que eu faço, digo-lhes: “Sou engenheira na Equipe de Privacidade da Uber”.

Eu sempre uso essa exata frase. Eu me coloco como “engenheira”, para que eles não presumam que eu estou em uma função não técnica porque eu sou uma mulher (o que é embaraçoso para eles). Então, eu menciono “privacidade” porque a privacidade é um espaço de problema fascinante e muitas pessoas tem opiniões sobre privacidade online. Às vezes eu também acrescento: “Eu sou um dançarina moderna aposentada”.

Embora minha trajetória na carreira seja certamente pouco convencional, eu não a teria de outra maneira. Meu tempo como dançarina me permitiu crescer em minha criatividade, o que, por sua vez, me serve bem como uma engenheira encarregada de abordar alguns dos problemas mais desafiadores da privacidade.

Da dança ao desenvolvimento

Fiz a transição para a programação de uma carreira de dança de dez anos. Meus amigos e familiares não ficaram surpresos com o fato de eu acabar indo para a tecnologia. Eles me conhecem como brilhante, exigente e aplicada, qualidades que me serviram bem na dança e como engenheira. Sempre fui boa com computadores; na verdade, eu queria me aplicar tanto em ciência da computação quanto na dança na faculdade, mas não tinha a largura de banda, uma vez que ambos os caminhos exigiam uma quantidade excessiva de tempo e dedicação. Eu escolhi a dança e estou muito feliz por ter escolhido. Trabalhando como uma dançarina profissional, consegui colaborar com artistas brilhantes, dedicar-me fisicamente e intelectualmente e me conhecer como pessoa criativa.

Quando finalmente aceitei que era hora de me aposentar da dança, tirei a poeira do meu conjunto de habilidades de programadora, participei de um bootcamp de desenvolvedores e, eventualmente, recebi uma oferta em tempo integral da Uber. Sinceramente, sinto que ganhei na loteria chegando aqui, especialmente agora no campo da privacidade. Do ponto de vista técnico e criativo, os problemas que estamos resolvendo são complexos e desafiadores. A Engenharia da Privacidade é uma grande parte das iniciativas atuais da Uber, então eu trabalho em serviços impactantes que são usados em toda a empresa.

Engenharia de privacidade do usuário

Uma das coisas que eu amo sobre trabalhar na Uber é que meu gerente e equipe me capacitam para crescer em minha carreira. Muito do ser uma dançarina profissional trata-se de aprendizagem rápida relâmpago: imagine um coreógrafo mostrando a você 60 segundos de movimentos de dança que você precisa reter e replicar depois de observá-los apenas uma vez – qualquer coisa menos desafiadora pode não prender a minha atenção! Comecei a trabalhar no código móvel quando cheguei à Uber e fazia parte da equipe que conseguiu configurações de privacidade em iOS e Android. Estou orgulhosa dos recursos que lançamos, pois dar aos usuários controle sobre seus dados é importante para a nossa equipe.

Além de criar recursos voltados para o usuário, nossa equipe também evangeliza a privacidade para o resto da organização. Alguns meses atrás, eu conversava com um colega sobre a importância da privacidade. Ele disse: “Eu realmente não penso muito na privacidade online. Eu sinto que sou um cara muito bom e posso viver a minha vida ao ar livre/de modo aberto.” Muitas pessoas da minha geração compartilham uma visão semelhante, mas minha perspectiva é diferente. É fácil para mim imaginar um mundo onde minhas escolhas de vida sejam mal interpretadas por aqueles que estão no poder – onde eu precisaria proteger a mim e a minha família da hostilidade.

Durante uma palestra recente que eu dei em uma reunião de equipe, planteei um cenário hipotético para enfatizar a importância da privacidade para nossos usuários: “E se uma lei fosse aprovada, permitindo que a polícia parasse e conferisse todos os funcionários atuais ou antigos da Uber? Você poderia querer que o LinkedIn excluísse a Uber do seu perfil, que o Facebook removesse menções da Uber do seu feed e que a Uber removesse você do banco de dados do passageiro e você queimaria todas as suas camisetas da Uber. Embora este cenário específico seja exagerado, devemos aos nossos usuários a capacidade de controlar os dados que coletamos.”

Reformular o problema foi uma técnica bem sucedida; após a reunião, várias equipes contataram a Privacidade para confirmar que os recursos que planejavam eram suficientemente respeitosos à privacidade de nossos usuários. Agradeço meus anos como artista pela inspiração para contar nossa história de privacidade de forma mais pessoal.

Recarregando minha criatividade

Enquanto eu adoro escrever código e dominar a tecnologia que usamos na Uber, no meu tempo livre eu tento evitar computadores e meu telefone, tanto quanto possível. Eu saio com meu cachorro, meu parceiro e meus companheiros de quarto, leio livros (principalmente de ficção), caminho e cozinho. Eu acredito que isso é crucial para manter minha humanidade, apesar de passar a maior parte do meu dia conversando com um computador. De que outra forma eu poderia considerar profundamente a complexidade de uma questão tão pessoal e humana, como a privacidade?

Ao longo dos anos, eu também aprendi que sou muito mais criativa e produtiva quando eu realmente uso meu tempo para recarregar – dez horas de trabalho são sempre menos produtivas do que sete ou oito. Quando deixo minha mente vagar, meu rigor típico é relaxado e as ideias mais incomuns e brilhantes se apresentam. Com um ano de minha carreira na Uber, estou menos ofuscada pela grande quantidade de informações que eu consumo todos os dias, o que me dá a oportunidade de voltar à dança como entusiasta. Eu sempre convido meus colegas de equipe para ver shows – alguns deles até já me levaram!

Depois que minha energia é restaurada, posso retornar ao meu trabalho pronto para enfrentar as mais recentes iniciativas de segurança e privacidade da minha equipe com empatia e criatividade, levando à soluções mais fortes e a uma melhor experiência do usuário.

Roche Janken é uma engenheira completa da Equipe de Privacidade da Uber. Saiba mais sobre a Roche e o resto das últimas iniciativas da equipe de privacidade no blog Uber Security + Privacy.

***

Este artigo é do Uber Engineering. Ele foi escrito por Roche Janken. A tradução foi feita pela Redação iMasters com autorização. Você pode conferir o original em: https://eng.uber.com/dockerizing-mysql/.