Desenvolvimento

5 out, 2018

Cobertura InterCon18: Quem se importa com acessibilidade na web?

visualizações
Publicidade

Quem abriu o palco Arena do InterCon 2018 foi o Maurício Maujor, grande nome do desenvolvimento brasileiro. Em sua palestra, ele tratou da importância (e da dificuldade) de se fazer sites acessíveis.

Para começar, ele pontuou que acessibilidade começa com HTML. Se hoje o HTML 5 facilita a vida dos devs na hora de trabalhar a acessibilidade, ele lembrou como se fazia antes, quando se usava HTML 4 ou XHTML. Ou seja, marcando as seções com div – que não têm semântica alguma. E é aí que ele trouxe outro ponto: a importância da semântica. “É preciso fazer marações bem feitas, estruturadas e bem pensadas no HTML para se ter uma acessibilidade digna”, afirmou.

Depois do HTML, é preciso pensar na usabilidade. “Fazer acessibilidade em sites sem usabilidade, é o mesmo que passar batom em um porco: não faz sentido nenhum!”.

Maujor ainda lembrou que acessibilidade não é bônus. Não deve ser pensada depois que o site está pronto e, sim, quando se está estruturando o produto. Afinal, não é a ideia de oferecer uma experiência diferente; apenas igual para todo mundo.

Para finalizar, ele indicou a extensão do Chrome Wave, que faz a análise da acessibilidade de sites para que os desenvolvedores possam testar aquilo que estão produzindo.