Hoje!

O que você queria ser quando crescesse?

PorIuri Brito em
Não deixe o barulho da opinião dos outros abafar sua voz interior. E mais importante, tenha a coragem de seguir seu coração e sua intuição. Steve Jobs

Programadores e códigos a parte… Você lembra de quando era criança? Um pequeno padawan onde todos os sonhos eram possíveis? E quando as pessoas mais velhas perguntavam o que você queria ser quando crescer? Então, ainda se lembra?

Eu tinha várias opções… De bombeiro, astronauta e piloto de F1, até vendedor de picolé. Não importava o que fosse, bastava sonhar que tudo parecia se tornar real. Era tão simples, não? Então, por que quando nos tornamos adultos os sonhos simplesmente desaparecem? Parece que em algum lugar desligamos o botão e desistimos do que nos traria mais alegria, como se nunca tivesse tido nenhum significado.

Mas por quê? Será medo do incerto? As responsabilidades? Família? Vizinhos? O quê? Se formos analisar os sonhos escolhidos na infância, muitos eram perigosos, outros heróicos, mas todos traziam felicidade. Sempre. E isso me faz pensar: por que deixamos de buscar o limite, para ficar no mais ou menos?

Hora de parar e pensar…

Se a pergunta continua a mesma, pense comigo: quando foi que você esqueceu? Quando foi que você parou de pensar qual vai ser a sua vida? Ou o que quer dela? Qual é o seu grande sonho?

Pare e agarre essas respostas. Vamos lá! Sm medos, vergonha ou limite. Me conte em voz alta: o que você quer? O que você nasceu para ser? O que é seu, somente seu, pessoal, intransferível?

Se você for uma Alice, não se preocupe; pois para quem não sabe aonde quer ir, qualquer caminho serve. Agora, se você sabe o caminho, coooorre! Eu, você, seu tio, cada um vive uma vida diferente, com valores diferentes e escolhe caminhos diferentes. Seja qual for, crescer e parar de sonhar, não deveria ser um desses caminhos. Nunca, mas nunca mesmo.

Quer outro exemplo? Se imagine daqui a cinco anos em algum lugar… O que você vai estar fazendo? Com quem? Onde? Feliz? Ou fazendo a mesma coisa? Pense… Escute você mesmo. Aonde você vai estar? Agora adicione mais cinco, mais cinco, mais dez… 50 anos no futuro. Some 50, meu amigo. Esqueça esse papo de aposentadoria. Iimagine seus filhos andando a sua volta. Consegue ver? E as rugas? Quais vitórias, conquistas e derrotas, você consegue ver? E aonde, nesse tempo todo, você lutou pelo seu sonho?

Como exercício, tente escrever seus sonhos de infância. Pelo menos três deles. E pense se algum o faria feliz. Você pode ficar realmente chocado com o resultado. E fique tranquilo, arrume primeiro o seu quarto que o próximo vai ficar bem mais fácil.

Vamos arrumar essa bagunça?

Já falei em outro artigo o que é trabalho. Sim meu amigo, você aprendeu tudo errado. Trabalho não é e nunca foi uma rotina, profissão, carreira ou o que eu faço para viver. Trabalho é uma escolha, uma opção. Alguns preferem ser escravos de alguém, outros contribuir com seu talento para o mundo.

Trabalho é (ou deveria ser) aquilo que você pode fazer melhor, aquilo que o faz feliz ao realizar, e o que você receber por tudo isso. Isso sim é o seu trabalho. Até quando você era crianças isso era claro. Seu trabalho era aquilo que você ia ser quando crescer.

Pode chamar de tempo, pessoas, educação, mas, na verdade, é que por medo, você escolheu outro caminho, o que era o mais correto, o mais seguro, mais rentável, ou miseravelmente certo a ser feito. Tudo para ser um profissional competente. Para isso, anote uma frase mais velha que você e todos os seus amigos: “De nada adianta a um homem ganhar o mundo inteiro, se ele perder a alma.” (Mt. 16:26)

Vamos lá! Agora é hora de reencontrar a sua alma, seu desejo, seu sonho. Hora de voltar ao desejo daquela criança que cresceu e se tornou competente e capaz o suficiente para levantar a bunda da cadeira e correr atrás daquele pote de ouro no final do arco-íris. Preparado?

Me conte:

  • O que você realmente gosta de fazer? (e posso fazer isso melhor que ninguém);
  • Como isso pode contribuir em algo para o mundo? (responda e vai mudar sua vida);
  • Quem quer pagar ou como posso receber por tudo isso? (vale perguntar aos amigos).

Três perguntinhas; três respostas; uma vida que vale ser vivida!

E para quem acha que já cresceu o suficiente e perdeu o direto de sonhar.; para quem ainda tem medo e prefere não seguir o seu caminho, ou para todos aqueles que simplesmente desistiram, aprendam pelo menos a comemorar as conquistas de todos aqueles que tiveram a coragem de seguir um sonho.

Comemorem por mim. Comemorem por aquele primo. Comemorem por todos!

Seja você quem for, para todos, uma única pergunta: O que você vai ser quando crescer?

Deixe um comentário! 6

6 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

  1. Gostei do texto ,Só pra contar desde moleque queria ser programador e hj sou muito feliz noq faço,muita gente diz que tem que pensar em crescer em virar gestor de TI,gerente de projetos e tudo mais oq possa “ser” um próximo degrau para muitos.Mas no meu caso queria e ainda quero ser programador e me vejo daki a 10 anos ainda vendo linhas de código.
    Pra mim minha evolução vai ser em me tornar um programador cada vez melhor :D

    1. Isso que você falou, Renato Suero, me faz parar pra pensar que não adianta um ótimo programador se tornar um gerente de projetos medíocre. Se você nasceu para ser programador(eu também adoro ser) que o seja, mas se você não nasceu pra ser gerente de projetos então não o seja pois se sentirá frustrado.

    2. @Renato Suero –
      Isso me fez lembrar este post :
      http://viniciusquaiato.com/blog/desenvolvedor-por-opcao/

      Muito bacana o texto, sinceramente, Ti e computação no geral nunca foi meu sonho quando criança, NUNCA tinha pensado nisso como uma opção de trabalho, queria ser veterinário ou coisa do tipo, afinal, toda criança já quis ser veterinário HAHAH.
      Conheci programação sem muita intenção de ser programador, sem muitas intenções de tornar aquilo que eu realmente queria fazer pra minha vida, e , algumas semanas depois, sabia que aquilo era o que eu realmente queria pro resto da minha vida, larguei meu antigo emprego, e fui correr atras dos códigos!
      Atualmente, programação é tudo que eu sei fazer de melhor, e o que eu mais gosto de fazer, é tão recompensador! E a caminhada tá só no começo , ainda existem muitos caminhos a serem traçados.

      Outra coisa, seu texto me lembrou da música : When we are younger(SOJA), principalmente o refrão!
      Abraço!

  2. Muito bom o texto, parabéns e estou com Renato Suero nasci para programar, sempre foi a meta… acho que programadores de verdade nascem com isso na cabeça ja! Dev Maniacs! Estamos juntos

  3. Gostei muito do texto, parei para uma reflexão. Eu tenho 15 anos de idade, penso em ter uma empresa focada em estratégias de marketing, isso faz um tempo que venho estudando. Esse é meu sonho, desenvolver minha empresa e me dar bem no mercado. Eu vou conseguir, eu sei.

    Abraço.

leia mais
Este projeto é mantido e patrocinado pelas empresas: