DevSecOps

18 fev, 2019

Usando o desenvolvimento orientado a hipótese com Azure DevOps

100 visualizações
Publicidade

Lembrando que o HDD é um processo orientado a hipótese com foco principal em validação das ideias sob a perspectiva de geração de ROI e satisfação dos usuários. Para isso, um processo maduro de CI (Continuous Integration) e CD (Continuous Deployment) habilita a esteira de validação de ideias e suporte imediato.

Ao formular as hipóteses, utilizam-se os conceitos da experimentação, e por isso a user story é insuficiente para verificar se a hipótese está correta. Na HDD criada existe uma validação de hipótese referente a uma campanha promocional que pode aumentar a taxa de conversão.

Iniciando a implementação do HDD em um time cross functional – Desenvolvedores, UX, SM (Scrum Master), PO (Product Owner) e QA, precisando validar uma ideia de plataforma de inscrição online para um evento. Algumas discussões surgiram durante a fase de inception para criação do produto:

  • E se uma campanha promocional estiver disponível durante duas semanas? Talvez melhore a taxa de conversão? Os usuários que não aproveitarem a promoção podem repercutir negativamente?
  • E quanto isso custa? Você consegue estimar?
  • E se ao invés de estimar, checarmos se vale a pena implementar? Acredito que realizando testes A/B podemos verificar a aceitação do público. E se aumentarmos a conversão em 10% já valeria a pena implementar.

E como ficaria tudo isso criando histórias de hipóteses (ao invés de histórias de usuários):

  • We believe that uma campanha promocional de duas semanas
  • Will result in melhoria na conversão da inscrição
  • We will know we have succeeded when evoluirmos a taxa de conversão em 10% do início ao final da campanha promocional

E assim, o Product Owner prioriza este desenvolvimento com o time e a implementação deve ocorrer em breve para confirmar se a hipótese irá gerar o valor idealizado.

O time começa então a execução do backlog em gestão ágil com práticas CI/CD e apoio total do time de UI/UX para criação dos layouts e experiência do usuário. O resultado do primeiro protótipo foi aprovado e esta é a versão colocada em produção:

E após as duas semanas, verificando o progresso diariamente da conversão, o objetivo foi alcançado. Nesta jornada, foi muito importante o mindset ágil da empresa, operando com práticas DevOps e arquitetura bem estruturada que possibilitam a inovação de produtos.

Ao confirmar a hipótese, podemos adotar um exemplo de aumento em receita de R$ 78.000, justificando, assim, um desenvolvimento na plataforma de 160 horas para implementação dessa funcionalidade.

Cases de sucesso

A empresa Hello Group apresentou o uso do HDD com outras técnicas como Google Design Sprints e os livros “Lean UX” e “The Innovator’s Hypothesis” para validar hipóteses no mercado, aplicando quatro etapas:

  • 1. Verbalize as hipóteses de que sua ideia é baseada
  • 2. Defina as hipóteses mais críticas que podem ser testadas com o menor esforço
  • 3. Faça um plano de como testar sua hipótese
  • 4. Descarte ou ajuste sua ideia

Outro case de Desenvolvimento Orientado a Hipóteses é da empresa Lastminute.com, divulgado pelo CEO Tom Klein da Sabre Holdings, em que a taxa de conversão aumentou 400% em uma semana devido ao retorno da hipótese que considerava a aquisição da hospedagem premium por usuários em um hotel, de acordo com o período do dia em que eles efetuavam a reserva.

A combinação das práticas HDD e CD (Continuous Delivery) amplificam o conhecimento validado, acelerando a experimentação e inovação.