DevSecOps

1 jun, 2009

Ubuntu Netbook Remix

100 visualizações
Publicidade

Recentemente,
iniciei uma cruzada “Xô Windows!” com meus computadores, pois estava cansado de tanto ter de
correr atrás de remendos no Windows XP, reinstalações no Vista e decepções com
o 7. Claro, dada às minhas condições, uso de programas de putt-ssh, editores,
códigos, planilhas, reinderizadores, portables, aplicativos móveis, ou seja,
uma diversidade muito grande de programas a serem utilizados. Depois, claro, a
rebeldia com o Windows Mobile e suas limitações e “trancos” ao hardware
que ele ocasiona (mas ainda sou usuário assíduo de Windows Mobile). Nos capítulos
seguintes a essa história, como bom usuário mal acostumado de Windows, fui
procurar uma distro Linux que me atendesse. Bonita, funcional e que rode
programas Windows.

OpenSuse,
campeão, sistema maravilhoso. Ubuntu, rei, realmente uma distribuição
maravilhosamente desenvolvida. Mas e o Netbook? Meu EEEPC 4G levou uma surra do
Windows XP que veio nele, ocupando incríveis 3.8 GB de um HD de 4GB.

Xandros,
OpenSuse, Ubuntu… Comecei pelo OpenSuse, realmente um ótimo sistema e o gerenciador
de configurações Yast é o melhor que já testei, realmente muito completo. Mas
ficou pesado e eu não me adaptei muito bem ao ambiente.

Xandros:
Nem consegui instalar.

Ubuntu: Já
estou usando o 9.04 no Notebook, mas queria algo voltado para Netbooks, tela
pequena, pouco espaço, etc. E achei a distribuição Linux mais adequada para
qualquer usuário Windows, desenvolvida para Netbooks: o Ubuntu Netbook Remix,
que acabei encontrando um artigo traduzido por Roberto Bechtlufft no Clube do
Hardware
.

Qual é a
diferença entre um sistema operacional para Netbook dos demais? Adaptação.
Qualquer sistema operacional funciona num EEE PC, Acer Aspire e companhia, tem
gente já rodando até o Windows 7 neles. Porém rogo a praticidade e velocidade
de um S.O no meu netbook. Por isso, sistemas operacionais com seu
desenvolvimento voltado para as necessidades de um netbook são o diferencial
desejado. Como tela menor, pouco espaço em disco, necessidade de utilizar
programas portables e um bom gerenciamento dos perfis de energia.

O Ubuntu
Netbook Remix atende a todas essas demandas e acrescenta uma organização de
telas voltada para os pequeninos, acesso rápido a links, configurações e
reconhecimento total de hardware (Testei apenas no EEE PC).

Você pode
baixar o Ubuntu Netbook Remix aqui, ele vem como um arquivo de imagem (.img) do
qual com o programa Disk Imager você grava o S.O diretamente num
PenDrive (plugue o pendrive  no seu EEE,
inicie o sistema e vá na BIOS para alterar a ordem de boot para começar no PenDrive),
a instalação é muito simples, rápida e intuitiva. 

Cerca de 30
minutos depois você tem um S.O de verdade rodando para netbook. Note que, em
alguns modelos, o cursor do mouse trava ao ser deslizado, devido a uma
incompatibilidade de hardware, para resolver isso faça o seguinte:

Primeiro,
baixe os arquivos do kernel que funciona, digite ou copie e cole os seguintes
comandos no Terminal (Acessórios/Terminal), dica também colhida no artigo de Roberto Bechtlufft:

wget http://launchpadlibrarian.net/24767281/linux-image-2.6.28-11-generic_2.6.28-11.40_i386.deb
wget http://launchpadlibrarian.net/24767282/linux-headers-2.6.28-11-generic_2.6.28-11.40_i386.deb
wget http://launchpadlibrarian.net/24767280/linux-headers-2.6.28-11_2.6.28-11.40_all.deb

Depois,
instale os três DEBs baixados com o dpkg:

sudo dpkg -i linux-*

Agora
reinicie o computador. Depois de iniciar, os efeitos de mouse do desktop devem
estar funcionando corretamente, com movimentos suaves dos ícones giratórios ao
lançar aplicativos e notificações.

A etapa
final é marcar o kernel atual para que não seja atualizado (do contrário ele
será atualizado na próxima seqüência de “aptitude update &&
aptitude safe-upgrade”):

sudo aptitude hold linux-image-2.6.28-11-generic linux-headers-2.6.28-11-generic linux-headers-2.6.28-11

Pronto,
reinicie mais uma vez e seu mouse estará funcional.

O Ubuntu
Netbook Remix sacrificou diversos elementos visuais e distribuiu seus ícones e
janelas de forma que não estourassem a tela ou o acesso a comandos ficasse
limitado, resultado num “Desktop” extremamente funcional.

Com o Wine (para instalar vá em Aplicativos -> Adicionar/Remover), a
integração com programas Windows ficou perfeita. O melhor, no meu caso, foi
baixar todos os programas portable e copiá-los no cartão de memória SSD.  Deixando apenas o mínimo no HD local.

No Firefox
eu ainda instalei: Nasa Night Launch; Delicious Tool Bar; Twitter Fox; Evernote e o Speed Dial
para melhorar o acesso a informações que compartilho.

Por último, instalei o Google Gears e o Gmail Drive para ter todos os meus
arquivos compartilhados. 

Mas a busca não para, ainda quero testar o Android no netbook. Aliás, alguém
sabe me dizer por que cargas d’água o Android não chega “oficialmente” ao Brasil
e baixa logo de preço?