DevSecOps

25 fev, 2014

Conheça estas fantásticas impressoras 3D

100 visualizações
Publicidade

Em um artigo anterior contamos tudo sobre a tecnologia de impressão 3D. Hoje, daremos sequência a este assunto e conheceremos alguns dos modelos mais legais que existem no mercado. Acompanhe com a gente!

RepRap: a pioneira aberta das impressoras 3D

Há um excelente motivo para abrirmos nossa lista com a RepRap. Ela é um dos primeiros projetos de impressora 3D a ganhar tração que é totalmente open source. Isto quer dizer que todas informações do projeto, desde a mecânica até o código-fonte é livre e acessível a qualquer um que quiser ver, construir e melhorar o modelo.

Ela foi o primeiro projeto a fazer sucesso com a ideia de uma máquina que fosse capaz de se auto-replicar. Ou seja, ela deverá, no futuro, ser capaz de produzir todas as peças necessárias para construir outra máquina igual. O objetivo é que elas possam ser distribuídas com baixo custo, permitindo que pessoas e organizações consigam fabricar objetos complexos, principalmente em situações onde hoje isto é impossível ou inacessível.

A RepRap merece ainda um reconhecimento especial por influenciar, ainda que indiretamente todas as outras listadas neste artigo. Muitos Fazedores só tiveram algum contato com o mundo da impressão 3D graças a ela ou uma de suas centenas de derivações.

Metamáquina: é impressora 3D e é do Brasil!

metamaquina-working2

Temos uma participante bem brasileira na lista! A Metamáquina, sediada em Barra Funda, São Paulo, fabrica impressoras 3D de baixo custo. Ela mantém o compromisso da RepRap, e seus projetos são baseados em hardware e software livres. O projeto já está em sua segunda versão, e não fez feio frente aos modelos estrangeiros. Segundo seus fundadores, eles já fabricaram e venderam (até a data de publicação deste artigo) mais de 150 unidades da Metamáquina

Ela usa o mesmo processo da RepRap, com uma bandeja fixa e a cabeça de impressão se movendo nos três eixos para depositar o filamento de ABS, camada a camada para fabricar o objeto. A altura máxima permitida são respeitáveis 15 centímetros. Se interessou? Ela pode ser comprada aqui.

Para nossa sorte, o Felipe Sanches, um dos fundadores da Meta Máquina, é colaborador do Fazedores e trará muitas novidades deste mundo e de outras áreas bem interessantes para nós.

Gigabot: a  impressora 3D tamanho GG

Gigabot_2-1024x866

A maioria das impressoras 3D domésticas só consegue construir objetos de dimensões modestas. Isto por que a medida em que se aumentam as dimensões da impressora, fica muito mais complicado lidar com as vibrações na estrutura, causadas pelo movimento da cabeça de impressão. Lidar com este problema garante à Gigabot uma posição nesta lista.

Sua área de impressão é de impressionantes 60cm³, enquanto a maioria das máquinas domésticas está em torno dos 15cm³, uma diferença de 64 vezes (sim, estamos falando de volume)! O ousado projeto foi todo financiado pelo KickStarter, onde recebeu mais de 250 mil dólares para a sua produção. O objetivo do time é permitir que qualquer empresa pequena tenha acesso à impressão 3D em grande escala.

Delta Maker: uma estranha no ninho das impressoras 3D

À primeira vista, olhos destreinados podem não saber que tipo de máquina a Delta Maker é. Filha torta do casamento de uma impressora e um robô, a Delta não utiliza o esquema convencional de eixos roscados, retos, por onde a cabeça de impressão se move. Ao invés disso, ele é baseado em um robô delta (por isso o seu nome).

O robô delta possui três braços, conectados a um elegante conjunto mecânico que faz com que a cabeça de injeção, na ponta dos braços, se mantenha sempre paralela à base. Este é um arranjo tremendamente eficiente, e por isto já é usado em maquinário industrial há muitos anos, mas só agora está sendo usado na impressão 3D.

Assim como a Gigabot, ela também foi financiada no KickStarter, com grande sucesso.

MakerBot Replicator 2: a impressora 3D campeã de audiência

REP2_PRESS_15x10_high14-1024x682

Uma das empresas de maior sucesso no mundo da impressão 3D para desktops é a novaiorquina MakerBot Industries fundada em 2009 por Bre Pettis, Adam Mayer e Zach “Hoeken” Smith. Eles começaram a fabricar e comercializar impressoras 3D quando quase ninguém falava disto e tudo nasceu em um projeto baseado na pioneira RepRap.

De lá para cá eles criaram vários modelos de impressoras 3D. A primeira a ser introduzida, em Março de 2009, foi a Cupcake CNC  que nasceu aberta e, por isto, contou muitas colaborações dos primeiros usuários que acabaram se transformando em upgrades da impressora. Depois, já no final de 2010, eles introduziram a Thing-O-Matic na Maker Faire de Nova Iorque. No começo de 2012 a MakerBot lançou a primeira versão chamada de Replicator. A primeira Replicator era uma impressora maior e mais robusta que os modelos anteriores e que contava com uma eletrônica mais avançada e com a possibilidade de trabalhar com duas cabeças de extrusão. Ao contrário das versões anteriores a Replicator não foi lançada na forma de kits e era vendida pré-montada.

Em Setembro de 2012 chegou ao mercado, em meio a uma polêmica em torno da não abertura do projeto de acordo com as premissas do hardware livre, a Replicator 2 que é hoje o carro chefe da empresa. A Replicator 2 apresentava dimensões de impressão maiores que as demais versões, eletrônica mais avançada, melhor resolução de impressão e também era vendida pré-montada. Na mesma data eles também lançaram uma versão experimental chamada Replicator 2X que contava com suporte a duas cabeças de impressão.

Além de suas super populares impressoras, A MakerBot Industries também conta com uma plataforma de colaboração chamada Thingverse onde usuários podem compartilhar arquivos, documentação e modelos. O site funciona como um repositório para os mais diferentes tipos de projetos e suporta arquivos para outras tecnologias de fabricação como e o caso do corte a laser. Se você precisa de algums modelos para começar a brincar, o Thingverse é um bom ponto de partida.

Como vemos, a MakerBot é mesmo um dos maiores sucessos comerciais da impressão 3D para desktop. Este sucesso culminou com a aquisição da empresa em Junho de 2013 pelo valor de quatrocentos e três milhões de dólares pela Stratasys, uma das líderes no mercado de impressão 3D industrial.

O que todas estas máquinas têm em comum é que, cada uma à sua maneira, todas estão colaborando para tornar a fabricação de objetos uma realidade para para cada vez mais pessoas. Continuando a nossa série sobre impressão 3D, no próximo post mostraremos outras formas de fabricação.