Desenvolvimento

Desenvolvimento

E vamos voltar a falar do Ghost e como ele é bom para projetos pessoais

17 abr, 2018
Publicidade

E aqui estou eu para falar mais um pouco da minha experiência com o Ghost. Desde fevereiro de 2018 estou trabalhando com este gerenciador de conteúdos e estou gostando muito.

Claro que se comparado ao WordPress ele ainda tem alguns problemas, como a falta de plugins, mas parece que isso mudará em breve, pelo menos um pouco. O que tenho gostado mais no Ghost é a sua rapidez para carregar os conteúdos. O conteúdo estático realmente faz toda a diferença e a entrega do conteúdo para o visitante é praticamente instantânea.

Outro ponto forte é a indexação das páginas pelo Google, que ocorre muito bem e isso me surpreendeu. Quando migrei do WordPress para o Ghost, aproveitei para excluir alguns conteúdos antigos e pensei que isso iria afetar de alguma forma as visitas vindas do buscador, mas isso não ocorreu. Em poucos dias, todas as páginas novas estavam indexadas e, o mais importante, tudo mais organizado do que antes.

Claro que nem tudo é uma maravilha. Algumas coisas no Ghost ainda estão bem longe de se comparar ao WP. Mesmo assim, se a sua intenção é apenas criar um site de conteúdo, esta é uma das melhores opções.

Iniciando no Ghost

Para ajudar quem esta iniciando agora na plataforma, produzi um vídeo que mostra a instalação em localhost e algumas dicas básicas para começar a produzir conteúdo.

Este vídeo é o primeiro de uma série de três, onde vou continuar mostrando o poder do Ghost e também dando algumas dicas importantes para tirar o maior proveito do CMS.

Vale lembrar que este sistema possui um conceito bem diferente do WordPress, onde o menos é mais na sua mais pura essência. Por isso, não saia do WP caso esteja procurando algo igual, mas sim, se deseja uma solução simples e que entregue o que promete, que é o controle e compartilhamento de conteúdo.