/Desenvolvimento

voltar
/Desenvolvimento

Dá para programar sem internet?

PorDiego Pinho em

Hoje em dia é difícil pensar no nosso dia a dia sem a internet. Mesmo as pessoas que vivem afastadas das grandes metrópoles já possuem a internet em suas vidas. Seja para acessar uma rede social, procurar uma receita, assistir um programa ou se comunicar com os amigos e familiares, a internet já faz parte do nosso cotidiano, até mesmo no Brasil, onde a qualidade do serviço é lamentável.

Quando voltamos o nosso olhar para o setor de tecnologia, essa dependência com a internet é ampliada inúmeras vezes. Hoje, são pouquíssimas as aplicações que são executadas somente em desktop. A massiva maioria das aplicações hoje funcionam a base da grande rede, trafegando informações para bases no mundo todo.

Outras fortes evidências disso são a queda de vendas de PCs, que somente no Brasil, caiu 31,7% e teve o seu pior resultado em 13 anos; assim como o crescimento dos sistemas operacionais mobiles, em especial o Android, que recentemente superou o Windows como o sistema operacional mais usado do mundo. Todo mundo quer estar conectado. E se você é um programador, não é diferente.

Quantas vezes ele já salvou sua pele?

Atire a primeira pedra quem nunca procurou por aquela stack de erro super estranha no Google e acabou encontrando a solução no Stack Overflow. E não é para menos, afinal, estamos falando de uma comunidade de 7 milhões de pessoas (contando somente as cadastradas!). Mas não existe somente este site, há uma verdadeira infinidade de sites e fóruns na internet que nos ajudam na hora do sufoco – com destaque há alguns nacionais, como o GUJ, iMasters e o Viva o Linux. Mas essa facilidade de acesso à informação e dependência da internet nos faz questionar: hoje em dia, é possível programar sem internet?

Antes de tentar responder a esta pergunta, gostaria de citar um artigo: Why Can’t Programmers.. Program?, de Jeff Atwood. Mesmo sendo um artigo escrito há 10 anos, ele já revela sua preocupação em relação ao fato de muitos ditos “engenheiros de software” não serem capazes de realizar simples algoritmos por conta própria nas entrevistas de empregos. De acordo com o artigo, 199 de 200 candidatos não eram capazes.

A mão já começa a coçar atrás do Google, não é mesmo?

O acesso a informação ficou tão fácil que, para resolver os problemas, as pessoas não se preocupam mais em entender a sua causa, mas sim em encontrar algo que faça resolvê-lo (vulgo copiar e colar da internet e colocar na produção). A solução muitas vezes pode dar certo, mas a pessoa se torna refém do próprio remendo quando outros problemas começam a acontecer, afinal, ele não faz a mínima ideia do que está fazendo.

Agora imagine essa situação em software vitais, como operadores de voo, aplicações financeiras, softwares embarcados em máquinas, foguetes, carros… Já pensou no que pode acontecer? E não pense que o perigo está distante, porque ele é seu vizinho. Seus dados pessoais, seu dinheiro e pertences estão armazenados em programas de computadores conectados ao mundo todo. Um código inocente copiado da internet pode abrir uma brecha de segurança e permitir com que seus dados vazem no mundo inteiro.

É preocupante, não é mesmo?

Mas calma, não é o fim do mundo!

Antes que você ache que devemos destruir a internet, mantenha a calma. O problema não está em usar a internet para programar e sim no jeito que ela está sendo usada.

Da próxima vez que você se deparar com um problema que não entende, antes de buscar a solução na internet, faça o seguinte exercício:

  1. Tente entender o que está acontecendo no seu código e procure resolver o problema sozinho. Muitas vezes o erro é mais fácil de consertar do que você imagina;
  2. Procure ler a documentação oficial da ferramenta/biblioteca/framework que você está usando. Muitos projetos open source, por exemplo, contam com ricas documentações nos seus repositórios;
  3. Se assim mesmo não conseguir, use a técnica do Rubber Duck ou consulte um colega.

Se for usar a internet em busca de respostas, procure discutir online com as pessoas seu problemas antes de sair copiando códigos alheios. Leia e entenda exatamente o que você está fazendo, deste modo, dificilmente será refém das próprias soluções.

É possível programar sem internet, mas não é necessário, basta saber usar.

Deixe um comentário! 3

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

  1. Eu gosto de chamar isso de memória gancho, as pessoas sabem, mas como hoje é informação em excesso, ele só guardam o básico (conceito) e ficam dependente da internet. Mas hoje o mercado cobra resultado, se mesmo assim ainda da resultado, não vai mudar.

  2. Hoje em dia a gente acha de tudo antes de sofrer na documentação. Mas a documentação é sempre mais legal de consultar pois vc aprende mais sobre o que está usando e não se perde na imensidão da internet antes de voltar a programar.

leia mais