Data

Data

Oracle Enterprise Manager – conceitos e arquitetura

7 mar, 2013
Publicidade

Oracle Enterprise Manager é uma ferramenta que fornece a capacidade de monitoramento e gerenciamento de componentes Oracle e não-Oracle para um ambiente de TI.

 Alguns recursos básicos do Oracle Enterprise Manager:
  • Monitorar a saúde de componentes de aplicações, Banco de Dados e Servidores;
  • Automatização e simplificação de Tarefas do DBA;
  • Fornecimento de Relatórios de Performance e Disponibilidade de recursos;
  • Identificação de Riscos de Segurança;
  • Verificação de Patchs de atualização;
  • Integração com ferramentas de Service Desk, como Oracle Siebel;
  • Gerenciamento e Relatórios de Backups;

Produtos Enterprise Manager

Oracle Enterprise Manager é disponibilizado pela Oracle em três diferentes produtos:

Oracle Enterprise Manager Database Control
    • Gerenciamento de 1 database apenas;
  • Administração Somente de recursos locais de um servidor;
  • Single-User;
Oracle Enterprise Manager Grid Control
  • Gerenciamento de diversos Databases;
  • Administração de recursos em diversos targets;
  • Administração de Targets Oracle e Não-Oracle;
  • Conceito de Administração em Grid, remotamente;
Oracle Enterprise Manager Cloud Control
  • Evolução do Enterprise Manager Grid Control;
  • Gerenciamento de diversos Databases;
  • Administração de recursos em diversos targets;
  • Administração de Targets Oracle e Não-Oracle;
  • Melhorias em Relação ao Grid Control;
  • Voltado para Cloud;

Versões disponíveis

Oracle Enterprise Manager é disponibilizado pela Oracle em três versões:

  • Oracle Enterprise Manager Grid Control 10g;
  • Oracle Enterprise Manager Grid Control 11g;
  • Oracle Enterprise Manager Cloud Control 12c;
* Neste artigo, a versão demonstrada é a 12c.

Visão Geral sobre o Enterprise Manager Cloud Control 12c

O Oracle Enterprise Manager Cloud Control oferece monitoramento centralizado, administração e gerenciamento da infraestrutura de TI, inclusive para soluções não-Oracle.

Com os mesmos princípios das versões 10g e 11g, é possível monitorar uma grande variedade de produtos através de um único console.

O Enterprise Manager Cloud Control possui diversos novos recursos incluindo melhorias na interface gráfica, estabilidade, confiabilidade e performance. Ainda é possível manter-se conectdo com o MOS (My Oracle Support) para verificação e gerenciamento de patches de segurança, chamados (Service Request) e outros.

1

Gerenciamento de infra-estrutura

Todos os componentes de infra-estrutura podem ser monitorados e gerenciados pelo Oracle Enterprise Manager Cloud Control através de interface única via Web.

2

Overview de funcionalidades

3

Arquitetura do Enterprise Manager Cloud Control 12c

O Oracle Enterprise Manager Cloud Control é composto dos seguintes componentes:

  • Oracle Management Agent;
  • Oracle Management Service;
  • Oracle Management Repository;
  • Oracle Management Plugins;
  • Enterprise Manager Cloud Control Console;

4

Oracle Management Agent (OMA): É executado no Host alvo (target) para monitoramento de recursos e apresentação ao Enterprise Manager. Funciona em conjunto com os plugins de monitoramento e envia informações coletadas ao Oracle Management Service (OMS).

Oracle Management Service (OMS): Tem como tarefa construir a interface WEB que gerencia os Agents e Plugins monitorando informações dos alvos (targets) e coletando essas informações para armazenamento em repositório através de JDBC para análises futuras.

Oracle Management Repository (OMR): É a coleção dos objetos do Cloud Control no banco de dados, criados sobre o usuário SYSMAN e duas tablespaces para administração do DBA. Sua principal função é armazenar todas as informações disponíveis sobre alvos monitorados, administradores e aplicações gerenciadas pelo Cloud Control.

Oracle Management Plug-ins: São plugins instalados para monitorar diferentes tipos de alvos (Targets). Diferentemente das versões anteriores (onde o plugin era instalado no OMS e para gerenciamento de produtos de outros vendors apenas), no Enterprise Manager Cloud Control 12c os plugins permitem que todos os alvos de um agente sejam monitorados.

Enterprise Manager Cloud Control Console: Ferramenta gráfica para gerenciamento e monitoramento de alvos (targets) do ambiente.

Maximum Availability Architecture (MAA): Permite eliminar pontos de falha, garantindo alta-disponibilidade para o serviço do Oracle EM Cloud Control 12c.

5

Novos Recursos do Enterprise Manager Cloud Control 12c

Monitoramento através de plugins: Gerenciamento de alvos através de atualização de plugins. Caso uma nova versão de um produto seja lançada, basta atualizar o plug-in de monitoramento.

Auto-atualização: Atualização automática de plugins e recursos através de site externo da Oracle (Enterprise Manager Store).

Melhorias no Agent: Na versão 12c, o Enterprise Manager possui melhorias no Agent que é executado em cada alvo, executando uploads de informações coletadas no alvo de maneira síncrona, eliminando a necessidade de armazenar informações no alvo para posterior upload para o repositório.

Nas versões 10g e 11g, as métricas são coletadas pelo agent. Na versão 12c as métricas são coletadas por plug-ins instalados no EM Console.

Também é possível executar todas as tarefas administrativas de um agente (start, stop, secure, etc) através do Console, eliminando assim a necessidade de administração em cada alvo monitorado.

Interface

Visualmente ocorreram várias alterações. É possível agora personalizar a página inicial do Enterprise Manager selecionando o que é mais prioritário (Tela de Incident Manager por exemplo). Facilidade de menus e acesso à informações rapidamente.

Segurança

É possível gerenciar usuários com permissões distintas para controle de acesso à alvos, objetos e outros recursos do Enterprise Manager, segregando permissões para usuários e administradores conforme role definida à cada um. Existem inúmeros privilégios para diferentes administradores, permitindo filtrar o acesso à cada área do Enterprise Manager.

Novas métricas

Utilizando o mesmo conceito das versões anteriores, a versão 12c possui uma série de novas métricas para monitoramento de diversos alvos. As métricas da versão 10g podem ser migradas para a nova versão 12c.

Monitoramento de aplicações Oracle

Com a versão 12c é possível monitorar toda a família Oracle de aplicações (Oracle Fusion Applications). Através de um domínio WebLogic é possível monitorar vários aplicações Oracle, inclusive em ambiente clusterizado (Clustered Oracle Fusion Applications).

ASM Cluster como um alvo

Implementação de monitoramento de ASM em cluster (no caso do Oracle RAC) como um único alvo. Todas as operações de configuração, gerenciamento e administração podem ser feitas através do Enterprise Manager Console.

Backup e restore

Nova funcionalidade para realizar backup de vários Databases, Oracle Homes e Filesystems em uma única operação. A operação de restore pode ser realizada de maneira isolada em cada alvo selecionado.

Monitoramento emergencial

Com esse recurso é possível se conectar a um banco de dados sem resposta através de um mecanismo interno do Enterprise Manager e analisar possíveis problemas de performance ou conectividade.

Database upgrade

Com a versão 12c é possível automatizar o upgrade de Databases na versão 10.x e 11.1x para versão 11.2.0.x com mínimo impacto e downtime.

Relatórios de análise

Foram adicionados três tipos de relatórios: ASH Analytics, Real-Time ADDM e Compare Period ADDM. Todos podem ser utilizados para análises offline. Todos possuem níveis detalhados de informações sobre performance no banco de dados.

Data Masking e Data Subsetting

Neste recurso é possível criar uma cópia reduzida de um banco de dados produtivo com o objetivo de criar uma nova base para desenvolvimento, testes, QA, etc. Na criação desta cópia as chaves referenciais são mantidas, sendo assim, a integridade dos dados é garantida. Este recurso ainda dispensa necessidade de consumo de recursos em Storage.

Durante o processo de criação desta cópia reduzida, é possível ainda filtrar somente os dados interessantes para um ambiente de Desenvolvimento / QA. Desta forma os dados produtivos podem ser mantidos intactos e seguros.

Segregação de roles

O Enterprise Manager nesta versão suporta a segregação de roles por usuário. As roles são divididas em “Design” e ”Operator”. Na role “Design” são permitidas tarefas administrativas enquanto na role “Operator”, somente tarefas de manutenção e monitoramento.

Gerenciamento para Oracle Exadata Database Machine

Suporte completo para administração e gerenciamento do Oracle Exadata Database Machine. O Enterprise Manager tem capacidade para ativar tarefas de monitoramento, reconhecimento de recursos como Exadata Cells, Infiniband Switchs e outros e também análise de performance do Oracle Exadata Database Machine.

Oracle Exalogic Elastic Cloud

Suporte completo para recursos do Oracle Exalogic Elastic Cloud, com painéis de recursos dedicados, monitoramento, gerenciamento de domínios do Oracle WebLogic, Deploys em aplicações, análise de clusters Exalogic entre outros.

Suporte à Domínios WebLogic

Com esta nova versão é possíveis identificar servidores Oracle Fusion Middleware WebLogic – através de domínios pode-se encontrar mesmo os servidores que estejam offline. Com isso é possível facilitar o gerenciamento destes servidores, adicionando ou removendo Application Servers do domínio.

O Enterprise Manager Cloud Control 12c permite a aplicação de patchs em servidores de um domínio WebLogic utilizando rolling patchs, evitando indisponibilidade de serviços.

Na versão 11g, o Oracle Enterprise Manager possui como pré-requisito uma instalação  prévia do WebLogic Server (WLS). Na versão 12c isso não é mais necessário.

Suporte à ambiente heterogêneo (não-Oracle)

É possível monitorar e gerenciar ambientes e produtos de diversos outros vendors. Para isso, basta utilizar o recurso de atualização de plugins.

Exemplos:
  • IBM WebSphere Application Server;
  • Microsoft SQL Server;
  • MySQL;
  • Outros;

 Cloud Ready

Suporte para utilização como “Plataform as a Service (PaaS)” onde, por exemplo, é possível que um usuário qualquer faça uma requisição à um Servidor WebLogic em cluster, onde a requisição é gerenciada pelo Application Cluster.

Plugins para gerenciamento e suporte à ambientes virtualizados com Oracle VM, permitindo aplicação de Rolling Patchs, backups e configuração em tempo real minimizando indisponibilidade.

  • Como  “Infrastructure as a Service (IaaS)” pode-se utilizar templates do Oracle VM contendo o software a ser utilizado;
  • Como “Database as a Service (DaaS)” pode-se utilizar templates de Ambientes Single-Instance ou RAC Databases.

Pode-se criar templates de monitoramento para estes serviços com gerenciamento automático de alertas e backups.

Acesso móvel

Acesso através de Smartphone (iPhone). Pode-se verificar detalhes de um problema, associar, priorizar ou escalar incidentes gerados e identificados pelo Enterprise Manager Cloud Control.

Motivadores do Enterprise Manager Cloud Control 12c: p

or quê atualizar?

Gerenciamento Centralizado de Databases

  • Aplicação de Patchs;
  • Backup Centralizado;
  • Análise de Performance em Tempo Real (Real ADDM);
Monitoramento de Application Servers
  • Domínios Oracle Weblogic;
  • Aplicação Patchs;
  • Performance;
Adminstração simplificada
  • Gerenciamento de Targets;
  • Instalação e Manutenção de Agents;
  • Gerenciamento através de Plug-ins;
Oracle VM
  • Monitoramento Completo de ambientes Virtualizados;
  • Sistemas Operacionais Guest e Server;
Segurança
  • Segregação de Roles: Desgin / Operator;
  • Patchs;
Suporte em ambiente heterogêneo
  • IBM WebSphere Application Server;
  • Microsoft SQL Server;
  • MySQL;
  • Outros;
Performance
  • Otimização no Gerenciamento de Recursos;
  • Monitoramento eficaz em Performance;
  • Melhorias automatizadas;
Backup
  • Gerenciamento unificado de Backup de vários Databases;
  • Criptografia;
Up-To-Date
  • Compatibilidade de Versões;
  • Oracle Database 9.2.0.8  e superiores;
  • Oracle Weblogic 8.x e superiores;

Opções de implementação

O Oracle Enterprise Manager 12c pode ser executado em diferentes configurações e topologias conforme necessidade de disponibilidade. Alguns exemplos abaixo:

Ambiente único (Single Server)

Topologia mais simples onde todos os recursos residem no mesmo servidor. Nessa opção, o repositório (OMR) possui as informações de todos os Targets (Alvos) monitorados. As permissões de acesso aos targets devem ser definidas através do OMS a nível de usuário.

Vantagens

  • Simples Instalação;
  • Simples Manutenção;
  • Custo Reduzido;

Desvantagens

  • Limitado aos Recursos de um único Servidor;
  • Não possui Alta-Disponibilidade;
  • Todos os alvos monitorados de todos os vendors ficam armazenados no mesmo OMR (Oracle Management Repository);
  • Performance pode ser afetada;
  • Indisponibilidade do Serviço durante Manutenções;
  • Em caso de falhas, pode-se perder o ambiente completo;

6

Separação do OMS

Implementação de um servidor com serviços de monitoramento (OMS) e repositório (OMR) em cada Vendor (OMS1 e OMS2). Cada OMS monitora apenas os alvos de seu vendor e não possui nenhuma informação dos demais Alvos dentro do OMR.

Vantagens

  • Simples Instalação;
  • Segurança das informações separadas em cada Vendor;
  • Facilidade e Performance no monitoramento para o Vendor;
  • Indisponibildade somente para ativar novo servidor.

Desvantagens

  • Limitado aos recursos do Servidor;
  • Maior Custo. Exige servidores adicionais;
  • Administração mais complexa (Duplicidade de OMS para monitoração do ambiente);
  • Necessita novas portas TCP para novo Servidor;
  • Complexidade para Gerenciamento de Backups e Recursos;
  • Não existe alta-disponibilidade.
  • Configuração adicional de novo OMS e OMR;

7

Alta-disponibilidade

Topologia de alta-disponibilidade. Configuração em Cluster (Oracle Real Application Clusters) para o OMR e Load Balance para o OMS.

Nessa opção, o repositório (OMR) possui as informações de todos os Targets (Alvos) monitorados de todos os vendors (OMS1 e OMS2). As permissões de acesso aos targets devem ser definidas através do OMS a nível de usuário.

Vantagens

  • Configuração em Alta-Disponibilidade;
  • Load Balance entre Ambiente (OMS1 e OMS2);
  • Isolamento de Recursos;
  • Redução de Pontos de Falha;
  • Indisponibildade somente para ativar novo(s). servidor(es);
  • Menor Impacto no Ambiente;
  • Garante Acesso Full-Time.

Desvantagens

  • Instalação Complexa;
  • Necessita instalação do Oracle Real Application Clusters 11g;
  • Maior Custo;
  • Adminsitração complexa.

8

Pré-requisitos de hardware e software

  • Intel Based (x86_64);
  • Processador: Intel Xeon 3Ghz (Quad-Core ou Six-Core) ou Superior;
  • Memória: 24GB RAM ou Superior;
  • Disco: 100GB (Preferencialmente em Storage / Array).
    • Banco de Dados (15GB)
    • Backups
    • Sistema Operacional
  • Red Hat Enterprise Linux 5.7;
  • Oracle Enterprise Linux 5.8;
  • Red Hat Enterprise Linux 6 ***;
  • Oracle Enterprise Linux 6 ***;
  • Versão Grid Control (OMS) 12.1.0.1.0;
  • Versão Repositório (OMR) 11.2.0.3.0.

As recomendações são baseadas em matriz de certificação de produtos Oracle (My Oracle Support – Certification Tab)

** Com a relação de Sistemas Operacionais acima, a Oracle garante suporte até Outubro / 2016.

*** Para utilização da versão 6 (RHEL / OEL) é necessário a aplicação do Patch 13242773 no OMS

Migrando de versões anteriores

O Oracle Enterprise Manager 12c pode ser atualizado da Versão 10g ou 11g. A versão mínima aceita para o OMR é a 10.2.0.5. 

Para executar esta atualização, é necessário a aplicação do Patchset 8202632. Caso o OMR esteja em versão superior, não é necessário nenhum tipo de upgrade.

9

 

Plano Macro de Migração (10gR2 -> 12c)

    • Backup Completo do Ambiente atual: Grid Control 10g;
    • Prepação do Ambiente para Migração
    • Instalação do Console de Pré-Upgrade
    • Atualização dos Agents para versão 12c
    • SwitchOver para Novos Agents 12c
    • Upgrade do OMS para versão 12c
    • Upgrade do OMR para versão 12c
    • Testes Gerais e Validação do Ambiente
    • Disponibilização
 
Pré-Requisitos para configuração em Cloud
    • Red Hat Enterprise Linux 5.7;
    • Oracle Enterprise Linux 5.8;
    • Red Hat Enterprise Linux 6 ***;
    • Oracle Enterprise Linux 6 ***;
    • Versão Grid Control (OMS) 12.1.0.1.0
    • Versão Repositório (OMR) 11.2.0.3.0
    • Portas TCP
    • Secure Upload Server: Porta 1159 (Secure Upload);
    • Agent: Porta 4889 (Agent Registration);
    • Secure Console: Porta 443 (EM 12c Secure Console);
    • Unsecure Console: Porta 80 (Opcional);
As recomendações são baseadas em matriz de certificação de produtos Oracle (My Oracle Support – Certification Tab)
** Com a relação de Sistemas Operacionais acima, a Oracle garante suporte até Outubro / 2016.

*** Para utilização da versão 6 (RHEL / OEL) é necessário a aplicação do Patch 13242773 no OMS

Referências