Carreira Dev

12 fev, 2019

Dev além do código – Alex Lattaro

100 visualizações
Publicidade

O profissional de desenvolvimento web é conhecido como alguém que trabalha muito, algo que está longe de ser um demérito. Pelo contrário, os devs são profissionais importantíssimos em qualquer empresa ou projeto. Alex Lattaro, que já passou pelo iMasters como Community Manager e hoje está na Microsoft, por exemplo, diz que já chegou a trabalhar 38 horas sem dormir.

Se reconheceu nessa jornada?! Para o serviço render, Alex prefere trabalhar à noite, madrugada a dentro – como grande parte dos desenvolvedores. Mais silêncio e menos interrupção! Ou seja, esse é o tipo de profissional que literalmente troca o dia pela noite. E não é sem motivo.

O propósito

Trabalhar é mais do que uma “obrigação”; é um desafio diário para o desenvolvedor. É como se fosse uma competição pessoal para se superar e atingir o objetivo do job que ele tem que entregar. Não é um peso, não é ruim. “Só quem faz parte desse mundo, entende como é gratificante descobrir que conseguiu evoluir mais um pouco o seu projeto em relação ao dia anterior”, explica o desenvolvedor, que é  um exemplo disso.

Perguntado sobre que tipo de empresa ou projeto ele mais gosta de trabalhar e se envolver, ele disse que prefere aqueles “que tem um desafio e um propósito. Não gosto de trabalhar apenas para enriquecer o bolso de alguém ou de aumentar números. Preciso de um motivo, uma chance de mudar o mundo, nem que seja o mundo de meia dúzia de pessoas”.

Não é só trabalho

E quem não está envolvido no setor de Tenologia pensa que os desenvolvedores não têm outro assunto, a não ser trabalho. Quem pensa isso, não imagina o que um dev faz. Alex diz que “sempre” tem que explicar. “Embora a percepção sobre o desenvolvedor tenha mudado muito, fora da nossa bolha ,as pessoas nos vêem como geeks. Mas nem todo geek é desenvolvedor. Sempre temos que explicar o que fazemos e normalmente eu opto por reduzir a reposta por preguiça de explicar”, conta Lattaro entre risos.

Ele usa o tempo em que não está trabalhando para ler e estudar (afinal, os códigos e novidades no setor surgem a todo momento). Além disso, ele é músico, joga vídeo game e jogos de tabuleiro, frequenta academia, faz sua própria cerveja, cozinha, pratica corrida e cuida da horta que tem em casa.

Quem o vê durante esses momentos não imagina o caminho que ele percorreu para chegar até aqui. Como o próprio gosta de dizer, ele teve “uma jornada”. O interesse por tecnologia começou em meados dos anos 2000, quando se formou no ensino médio. Sempre teve interesse por computação, mas não tinha exatamente um conhecimento do que era a área de desenvolvimento.

O início

Ele entrou na UNESP, no curso de ciências da computação, mas ficou apenas um ano. Depois, entrou em engenharia química na UNIFAL, ficou dois anos e voltou para a computação. Mas acabou por se formar no IFSP, em análise e desenvolvimento de sistemas. Ainda fez estágio no CPqD e por lá estudou muito sobre IA e Smart Grid.

No mercado de trabalho, Alex diz que o principal desafio foi a adequação política entre diferentes empresas. Ele conta que algumas são mais livres, outras têm mais regras (ou são mais “corporativas”, como diz). “Você tem que saber como lidar com isso e se adaptar à realidade de cada uma, assim como precisa se adaptar à realidade de cada cliente”, completa.

Ele lembra com orgulho uma das situações mais inusitadas que ele vivenciou: “Foi quando desenvolvi um app para smartwatch, para pessoas com deficiência visual. A dificuldade em fazer os testes era algo bem inusitado. Uma vez chegamos a nos vendar para poder testar nosso aplicativo”.

O futuro

“Num futuro distante, acredito que o desenvolvimento web estará muito interligado com IoT, AI e wearables. Estas tecnologias existem há muito tempo, mas ainda não atingiram a maturidade esperada. No futuro, estaremos tão interligados por meio da web que estas tecnologias passarão a ser commodities”, explica Lattaro.

iMasters – O que você falaria para quem quer entrar na área ou já está começando?

Alex Lattaro – Cara, você já está atrasado. Mas não se preocupe, ainda dá tempo. É só começar a estudar e não parar nunca mais.

iMasters – Tem algo mais sobre a sua vivência como desenvolvedor que você gostaria de compartilhar?

Alex Lattaro – Do meu ponto de vista, desenvolvedores são pessoas muito inteligentes que tem todo o potencial necessário para mudar o mundo. Seja para o bem ou para o mal. Por isso, precisamos sempre estar atentos à ética do nosso trabalho e sempre levantando as discussões na comunidade. Aliás, a comunidade, para mim, é um dos pontos mais importantes do mundo developer.