Agile

1 fev, 2019

Dashboard de projetos ágeis em larga escala no VSTS

100 visualizações
Publicidade

Já falamos no artigo anterior sobre as configurações no VSTS para gerenciar projetos ágeis em larga escala. Agora vamos ver como criar dashboards para representar os principais indicadores do Programa (PI – Program Increment) e respectivas sprints, trabalhando com múltiplos times.

O SAFe (Scaled Agile Framework) recomenda algumas métricas, como:

  • Portfolio Metrics: Lean Portfolio Metrics, Portfolio Kanban Board, Epic Burn-Up Chart, Epic Progress Measure, Enterprise Balanced Scorecard e Lean Portfolio Management Self-Assessment
  • Large Solution Metrics: Solution Kanban Board, Solution Train Predictability Measure, Solution Train Performance Metrics
  • Program Metrics: Feature Progress Report, Program Kanban Board, Program Predictability Measure, Program Performance Metrics, PI Burn-Down Chart, Cumulative Flow Diagram, Agile Release Train Self-Assessment, Continuous Delivery Pipeline Efficiency, Deployments and Releases per Timebox, Recovery over Time, Innovation Accounting and Leading Indicators, Hypotheses Tested over Time, DevOps Health Radar
  • Team Metrics: Iteration Metrics, Team Kanban Board, Team PI Performance Report, SAFe Team Self-Assessment

E assim criamos um dashboard no VSTS para representar as principais métricas:

  • Flow: número de tarefas (ou features) por status. Ajuda a visualizar a distribuição e refinamento do board. Por exemplo, se há muitas tarefas em homologação
  • Workstream: gráfico com representatividade similar, mas separado por workstream, assim você pode analisar a distribuição de tarefas em cada time
  • Kanban: visão numérica da distribuição de tarefas por status (pode ser a soma de pontos das features ou horas de atividades)
  • Riscos e Blocks: ajuda o time a representar riscos ou bloqueios para o Scrum Master, RTE (Release Train Engineer), PM (Product Manager) e PO (Product Owner)
  • Burndown: progresso de cada time em relação ao sprint

Vamos iniciar? Crie um novo dashboard no VSTS. O primeiro gráfico está no widget Chart for work items. Adicione e configure conforme abaixo. O tipo do gráfico é o stacked area e a query necessária é bem simples, também na figura abaixo:

O próximo gráfico de Workstream pode utilizar a mesma query. Adicione novamente o gráfico chart for work items e selecione o tipo Stacked Bar. Os critérios utilizados, são: Area Path (times de projeto) e agrupando por State (estado da tarefa ou feature).

O gráfico a seguir utiliza a mesma query e widget. O tipo do gráfico agora é o Pivot Table. Configure a Area Path (em Rows) e State (em Columns).

Os indicadores de Risco e Bloqueio podem ser representados com o widget Query Tile Pro. As queries fazem referência a um custom field que criamos para sinalizar no Work Item quando há um risco ou block naquela atividade.

Por fim, adicionamos o widget Burndown para representar a evolução das atividades na Sprint para cada time. Como são vários times trabalhando, não conseguimos juntar em um único dashboard o Burndown nativo do VSTS (Sprint Burndown) e por isso, configuramos este para na mesma tela representar todos.

É claro que a representação pode ser única com a visão de todos os times. Neste caso optei por criar um Burndown para cada time. Outro ponto é na configuração do período. Escolhemos data (plot burndown by), pois a intenção é analisar a evolução naquela sprint.

A opção Iteration faz a comparação entre Sprints, e esta visão se projeta quando o objetivo é analisar a evolução do programa (PI – Program Increment).