Segurança

12 mai, 2020

Phishing pelo mundo: ataques chegam a 600 novos por dia em março, durante pandemia

100 visualizações
Publicidade

Em todo o mundo, apenas durante o mês de março (coincidindo com o início da quarentena por conta do COVID-19 em grande parte dos países), houve uma média de 600 novas campanhas de phishing por dia. Este é um golpe que envia mensagens com links maliciosos e leva o usuário a dar dados pessoais e bancários em páginas falsas ou resulta no download de vírus que passam a controlar os dispositivos e a roubar informações.

Os dados são da Fortinet® (NASDAQ: FTNT), líder global em soluções de segurança cibernética, e fazem parte dos resultados do primeiro trimestre de 2020 registrados na plataforma Fortinet Threat Intelligence Insider Latin America, ferramenta que coleta e analisa incidentes de segurança cibernética em todo o mundo.

Phishing

Por consequência do uso do phishing, a Fortinet identificou um aumento de 131% na incidência de vírus em março em comparação ao mesmo período de 2019. A tendência foi notada já nos primeiros meses do ano, com um aumento de 17% de vírus em janeiro e de 52% em fevereiro, se comparado aos mesmos meses do ano passado.

“Normalmente, o maior número de ataques vem na forma de exploits, que tira vantagem de defeitos e vulnerabilidades dos sistemas, mas vimos uma mudança no comportamento dos cibercriminosos este trimestre. Eles passaram a tentar entrar nas redes por meio de phishing, abusando da confiança e da ingenuidade das pessoas que estão em busca de informações sobre o COVID-19”, explica Alexandre Bonatti, diretor de Engenharia da Fortinet Brasil. “A situação é agravada pela utilização de conexões domésticas 100% do tempo por conta do modelo de home office. É essencial que as organizações tomem medidas para proteger seus funcionários e os ajudem a defender seus dispositivos e redes.”

A região da América Latina e Caribe, incluindo Brasil, sofreu aproximadamente 3 milhões de tentativas de ataques de vírus e malware no primeiro trimestre do ano por meio de phishing.

Considerando todos os tipos de ameaças, entre vírus/malware, exploits e botnets, o Brasil sofreu mais de 1,6 bilhão de tentativas de ataques cibernéticos no primeiro trimestre do ano, num total de 9,7 bilhões da América Latina.

A principal recomendação para evitar que esses ataques sejam bem-sucedidos é a educação sobre cibersegurança dos funcionários remotos e de suas famílias. “O erro humano ou o descuido está envolvido em 95% das violações de segurança, por isso é fundamental conhecer os truques utilizados e desconfiar de tudo que recebemos”, alerta Bonatti.

Para baixar o relatório sobre as tentativas de ataques registradas no Brasil durante o primeiro trimestre de 2020 e para conhecer a lista das principais ameaças registradas nesse período entre aqui.