Core business e semântica

PorFábio Flatschart em

Sim, o HTML5 já é uma realidade consolidada, já chegou e já está em uso! Longe de meras especulações ideológicas ou futurológicas, a discussão em torno da adoção ou não do HTML5 é datada e já ultrapassada. O desafio agora é torná-lo parte do modelo de negócio, parte do DNA dos novos processos e dos novos fluxos de criação, produção e monetização.

Mas por que o HTML5 é um vetor importante do ponto de vista da escolha e gestão de novos modelos de negócios? Vamos tratar de duas abordagens: uma do ponto de vista do “core business”, outra do ponto de vista da semântica.

Core Business

“Core Business” é a alma mater de uma empresa, é sua competência principal, é aquilo que é o ponto central de sua estratégia, a razão da sua existência. O mundo digital e especificamente o digital online colocaram em cheque o core business. Veja o mercado editorial: impérios centenários baseados no apego maior ao meio (papel) do que à mensagem (informação/conhecimento) foram pegos em bancarrota; a indústria fonográfica agora está se recuperando do susto, já antigo, dos MP3, torrents e companhia…

Onde foi a ruptura do modelo de negócio? Não foi tecnológica, mesmo porque, cada vez mais, a tecnologia torna-se uma commodity acessível e barata. A ruptura foi conceitual: após séculos de escravidão, a mensagem (texto, imagens, áudio, vídeo e todo tipo de dados) se libertou do meio. Aliás, o meio não importa mais, o hardware diverge e o conteúdo converge!

Nesse novo cenário, HTML5 e a Open Web Platform surgem como potencializadores estratégicos do core business das empresas. Ao promoverem e permitirem o uso de tecnologias abertas e agentes de usuários universais possibilitam que o foco do negócio liberte-se do suporte, do dispositivo ou da plataforma e, sendo assim, produtos e serviços passam a ser oferecidos em modelos independentes, colaborativos e compartilháveis.

Jeffrey Jaffe, CEO do W3C, aponta as vantagens da adoção de soluções Open Web Platform: “A platform for innovation, consolidation and cost efficiencies” (veja em “The future of applications: W3C TAG perspectives”).

Perceberam as palavras-chave? Inovação, consolidação, custos e eficiência. Não estamos falando apenas de mudanças de paradigmas tecnológicos, estamos reforçando as estratégias de mercado e gerando competitividade através da escolha de soluções abertas baseadas no ecossistema do HTML5.

O núcleo do seu negócio deve ser construído a partir de coisas que não vão mudar (HANSSON, David Heinemeier &  FRIED Jason, Rework. Crown Books, 2010)

Cuide do núcleo do seu negócio, do seu core business, que o HTML5 e a Open Web Platform cuidarão de torná-lo acessível e universal.

Semântica

O bombardeio de informações e de possibilidades de escolha na web nos leva a viver em mundo de nichos e tribos no qual as infinitas opções são o cotidiano de empresas e consumidores.

O papel dos mecanismos de busca cresce em importância à sombra desse paradoxo, eles são o nosso guru desbravando os segredos das esferas de informação.

Cada umas dessas infinitas esferas é composta de infinitas subesferas que estão na extremidade da cauda longa, esperando para serem descobertas…

Quem pode nos conduzir e orientar nesse universo de informações é a indexação semântica de conteúdo, um dos grandes, senão o maior ponto de ruptura do HTML5.

A semântica é o estudo dos significados. Ela está presente na linguística, ciência, literatura, música, tecnologia e design. Ela procura estabelecer a relação entre palavras, frases, sinais, códigos, símbolos e o universo que eles representam. Dados semânticos são dados enriquecidos por ligações e relações que podem se desmembrar em infinitos subníveis. Você pode ir de Santo Dumont à Casa do Pão de Queijo tendo Minas Gerais como o interlocutor semântico dessas duas extremidades.

Dados semânticos são organizados em espirais infinitas que interligam significados. Na web, essas espirais podem ser organizadas a partir de recursos conhecidos como microformatos, cujos padrões podem ser definidos por esquemas e metodologias de classificação (como schema.org) que buscam “fechar” o grande looping do conteúdo:

Dados > Informação > Conhecimento > Inteligência

semantica

Produzir conteúdo relevante e semântico é uma tarefa multidisciplinar que vai do planejamento estratégico até a marcação rigorosa de código, dos elementos estruturais do HTML5 ao Open Graph, do SEO tradicional às taxonomias personalizadas dentro de um mundo regido pelos recursos que o HTML5 e a Open Web Platform tornaram possíveis: disponibilize tudo > faça com que o consumidor encontre.

Como podemos aplicar estratégias semânticas ao core business da sua empresa?

  • A semântica faz a ponte entre o físico e o virtual (reconhecimento, “tagueamento” e indicação de produtos baseados em reconhecimento de padrões textuais, visuais ou comportamentais do usuário no mundo físico)
  • Dados semânticos facilitarão a importação e o compartilhamento de informações por quaisquer aplicações e sistemas (Interoperabilidade de plataformas e conteúdos, Internet das Coisas, EaaS – Everything as a Software)
  • Fluid Knowledge (Informação aberta, acessível e compreensível por sistemas e humanos, MOOCS, Wikis, Crowdsourcing, Colaborative Writing)

Permanece a importância do conceito, da história, do conhecimento adquirido pela humanidade, do valor da experiência, da oportunidade de trocar, compartilhar e conviver, mas mudam as competências tecnológicas, a forma como vamos nos comunicar, aprender, relacionar, o acesso à informação, às distâncias geográficas e às diferenças sociais.

Deixe um comentário! 6

6 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

  1. Caro Fábio, muito bom artigo.

    Estou em uma jornada de estudos sobre Marketing Digital, as suas explicações deram um grande “upgrade” neste desafio.

    Acho que esta resume grande parte do artigo “Produzir conteúdo relevante e semântico é uma tarefa multidisciplinar que vai do planejamento estratégico até a marcação rigorosa de código”. Muito boa construção, esclarecedora, lógica e verdadeira: estratégia a operação conectados, como tem que ser.

    Irei segui-lo por aqui.

    []´s
    Fernando Palma
    http://www.portalgsti.com.br

leia mais
Este projeto é mantido e patrocinado pelas empresas: