Data

15 jun, 2018

Big data e IoT: Existe relação? Sim!

100 visualizações
Publicidade

Mesmo sendo coisas extremamente diferentes, tem sido difícil pensar em uma sem lembrar da outra.

Muitos dispositivos e diversos objetos hoje são conectados à internet e enviam dados para fins de análise, onde o objetivo principal é utilizar esses dados para aprender sobre tendências e padrões.

Ok, mas por que essas tendências e padrões? Para causarmos impacto no estilo de vida das pessoas, e sempre para melhor! Por exemplo: após essas análises, podemos criar robôs com machine learning, que avisam os usuários sobre o seu consumo de energia; se ele está alto ou não, avisamse você está a muito tempo na frente da TV e apresentam tendências sobre exercícios físicos.

Porém, não somente os dados em si criam esses robôs. O que criam esses robôs são as soluções, que emergem conforme as análises e a localização das respostas que precisamos. Pensando sempre no futuro, a Internet das Coisas, ou Internet of Things (IoT) e Big Data estão de uma forma bem íntima interligados.

Quem veio primeiro: Big data ou IoT?

Big data. Para a realização de análises, o termo big data já existia muito antes do IoT. Quando as informações demonstram volume, veracidade e velocidade, já são interpretadas como big data. Isso é igual a uma enorme quantidade de dados que nem sempre são estruturados; alta velocidade de processamento de dados e a velocidade com que eles chegam.

A internet das coisas

Vamos pegar vários objetos do nosso dia a dia e transformá-los em objetos inteligentes! É isso mesmo; carros, relógios, geladeiras aquecedores e etc. Esses produtos que normalmente não estariam ligados à internet e agora são capazes de gerenciar dados. Eles recebem chips de computadores. microprocessadores e sensores com a finalidade de coletar dados. Esses chips são bem diferentes dos que são utilizados em computadores e smartphones; esses chips são específicos para coletar dados para especificar o desempenho do produto e os padrões de uso do cliente.

Daqui a alguns anos IoT estará praticamente em toda a nossa vida; em casas inteligentes, wearables, transporte, bens de consumo e muito mais.

Unindo big data e IoT

Essa tecnologia disruptiva vai precisar de novas infraestruturas, incluindo aplicações para hardware, software e sistemas operacionais. As empresas vão precisar lidar com o fluxo de dados que vai surgir e examinar em tempo real conforme a sua evolução. Então é aí que o big data entra; as ferramentas de análise de big data, principalmente as do ecossistema do Hadoop (exemplo: Apache Mahout, que já tem algoritmos de machine learning), onde essas ferramentas têm a capacidade de lidar com esses enormes volumes de dados. Dados que serão gerados desses dispositivos IoT que criam um fluxo contínuo de informações.

IoT fornece dados a partir dos quais a análise pode extrair informações para gerar insights necessários. Como o IoT conduz dados em uma escala diferente, a solução analítica deve acomodar suas necessidades de processamento, ou seja: extremamente rápida.

Existem várias ferramentas que fornecem análise quase em tempo real em conjunto de dados de grande porte. Citarei novamente as ferramentas disponíveis no ecossistema do Hadoop. Também tem bancos de dados de rack completo que podem ser alterados para servidores que podem processar até 100 TB, uma quantidade pequena de hardware.

Bancos de dados analíticos que vão aproveitar a tecnologia GPU, dando mais possibilidades ao hardware, por exemplo: 5 TB em um grande banco de dados no carro, auxiliam muito as empresas de IoT a relacionar o crescente número de dados, o que ajuda a adaptarem-se às tendências de mudança e a obterem respostas em tempo real.

Conforme a IoT continua em expansão, ainda vamos testemunhar questões sobre segurança, pois sabemos que os hackers podem invadir praticamente qualquer coisa, como qualquer sistema que esteja vinculado e acessar dados confidenciais.

Big data e IoT ainda vão se unir mais no futuro. É claro que ambas as áreas irão gerar soluções e oportunidades (para outras áreas também) para impacto duradouro.

Mas onde big data e IoT atuam junto?

Organizações de navegação usam análise de dados e sensores para melhorar a eficácia, economia e até redução do impacto ambiental. Os sensores servem para monitorar a saúde do motor, número de paradas, quilometragem e velocidade.

Tem até para gerenciamento de recursos humanos. Aplicando conceitos de big data e IoT, aumentam a produtividade, eficácia e seleção aprimorada de talentos. A peopleRH realizou uma pesquisa em 2017, onde fica evidente que tanto a análise de big data, quanto a de IoT, têm um papel importante a desempenhar na gestão de RH.

Desenvolver processos para converter dados em insights é uma parte importantíssima para o sucesso de big data e IoT. Devemos pensar através da qualidade das informações que estão obtendo, projetar sistemas e otimizar esse processo. Aumentando o número de dispositivos conectados, as organizações ampliarão as oportunidades de usar esses dispositivos para coletar dados e aprimorar seus processos e modelos de negócios.