Data

4 mar, 2015

Alterações a quente de tabelas Innodb no MySQL

100 visualizações
Publicidade

Olá, leitor, tudo bem?

Em resumo, com a compra da MySQL pela Oracle, alguns de nós usuários e fãs do MySQL pensamos que poderia ser seu fim. Ou que problemas estariam à vista em pouco tempo. E é com muito prazer que hoje nós, usuários do banco de dados MySQL, percebemos que o que ocorreu foi o contrário. O banco de dados MySQL está muito bem e cada vez mais forte.

A Oracle colocou, na versão 5.6 em diante do MySQL, vários recursos realmente importantes vindos do oracle knowledge base, entre eles a otimização e a alteração de tabelas innodb a quente.

É claro! Não é mágico! Não basta instalar a nova versão e sair mandando ver! Por isso, segue uma dica do seu amigo aqui!

Seguem as etapas: Planejamento, Execução, Guardando as ferramentas!

Planejamento

Escolha a tabela que pretende otimizar, busque-a no banco “information_schema” com o seguinte comando:

SELECT *
FROM information_schema.tables
WHERE table_schema = 'NomeDoBanco'
AND table_name IN ('NomeDaTabela');

Usei o “IN” no nome da tabela, pois costumo eleger mais de uma para manutenção.

Anote os seguintes campos retornados da tabela: DATA_LENGTH e INDEX_LENGTH, some os 2.

Esse é o tamanho total da tabela em disco para o MySQL.

Precisamos agora alterar uma nova variável do MySQL da versão 5.6, que é a innodb_online_alter_log_max_size.

Busque-a assim, por exemplo: SHOW VARIABLES LIKE ‘innodb_online%’; ou SELECT @@innodb_online_alter_log_max_size; e anote seu valor. Será necessário voltar mais tarde ao valor original. O valor padrão é 128Mb.

Pegue sua maior tabela a ser alterada – no meu caso, a tabela tinha 1,080Gb de dados e mais 800Mb de índice, totalizando quase 1,9Gb. Então setei essa variável com 2Gb de espaço, com o seguinte comando: SET GLOBAL innodb_online_alter_log_max_size = (2*1024*1024*1024);

Aproveito e deixo a dica: o MySQL armazena esses valores em bytes. Por isso fica chato ficar calculando. Seguindo o conceito matemático de como calcular Kb, Mb e Gb, use os multiplicadores (1024) para subir cada nível da conta. Assim, de forma simples num exemplo, 800Mb = 800 * 1024(Mb) * 1024(Kb). Certo?

ALERTA: Esta operação online não é suportada para tabelas com índices FULLTEXT.

Execução

Respire fundo e digite o comando: OPTIMIZE TABLE banco.nomeDaTabela;

Respire fundo novamente e execute.

Por que respirar fundo? Operações Alter Table e Optimize até a versão 5.5 faziam cópia, alteração e reconstrução das tabelas (ainda fazem se a variável innodb_online_alter_log_max_size não for grande o suficiente para guardar a tabela e suas alterações de uso (DML) enquanto o comando é executado).

Caso algo esteja errado e algum cliente do seu sistema tente usar um recurso que escreve ou faz JOIN para essa tabela, o sistema vai parar, conexão a conexão. O número de conexões vai subir e um restart do banco será necessário, caso não seja possível esperar o fim do comando enquanto vai matando as conexões clientes que chegam e competem pela atenção do banco. Enfim, não é simples!

Por isso tenha bastante calma, não se afobe e execute esses comando com sabedoria e cautela.

Aqui no meu caso, enquanto executava o Optimize, fiz testes de select, join e update nas tabelas e deu tudo certo. Mas são 23 horas! Não tenho nenhum cliente usando o sistema! Uma boa hora para testar a funcionalidade no banco produção.

Guardando as ferramentas

Como perceberam, precisei retirar a variável innodb_online_alter_log_max_size de seu valor original para 2Gb. Isso não pode ficar assim, tanta memória é necessária ao servidor no dia a dia. Por isso é necessário voltar a variável ao patamar padrão dela:

Usando o comando: SET GLOBAL innodb_online_alter_log_max_size = (128*1024*1024); /*128Mb*/.

Conclusão

O uso do recurso de alteração e otimização online de tabelas é muito útil. Mas deve sempre que possível ser feita a manutenção fora do horário de trabalho, em sua janela de manutenção. É para ser usado quando sua janela está escassa.

Aqui na Móveis Simonetti faço uso de recursos que me permitem automatizar alterações em tabelas como eventos e CRON, além, é claro, de tentar antever essas alterações sempre que possível.

Mas, em caso de emergência, ou de um novo recurso no sistema que vale a pena o risco, informe seus superiores e faça! E conte conosco sempre que precisar de uma dica.

Abraços e até a próxima!