Banco de Dados

10 abr, 2019

Azure – Como criar uma base de dados SQL no Microsoft Azure pronta para ser utilizada

100 visualizações
Publicidade

Olá, galera!

Há um tempo estou ensaiando para mexer no Azure, mas como na empresa em que trabalho temos uma área de Infra que provê os ambientes para publicarmos nossos sites, APIs e services, fui deixando essa stack de lado, mas esses dias estava navegando na web e achei esse link, que nada mais é do que uma página no Portal Azure incentivando o desenvolvimento em Go.

Por isso decidi mergulhar de cabeça nos estudos dessa plataforma (maravilhosa, diga-se de passagem), mesmo que não vá usar por aqui na empresa.

Bom, pra começar vamos conhecer um pouco do Microsoft Azure e como manipular bases de dados SQL na plataforma.

Vem que tem!

O que é Microsoft Azure?

Microsoft Azure é uma plataforma que disponibiliza diversos serviços e produtos para prover a implantação e gestão de soluções na nuvem : sites, APIs, APPs, base de dados, containers, services e mais um monte de soluções.

Isso significa, nada mais nada menos, que termos acesso a uma estrutura robusta e sólida, sem que tenhamos de prover e realizar a manutenção física de equipamentos.

No site oficial a definição é a seguinte:

  • O Microsoft Azure é um conjunto cada vez maior de serviços de nuvem para ajudar sua organização a enfrentar seus desafios de negócios. É a liberdade de criar, gerenciar e implantar aplicativos em uma enorme rede global usando suas ferramentas e estruturas favoritas.

Para criar uma nova conta, basta acessar o site Azure e realizar o início gratuito. Através de um cadastro inicial, são disponibilizados todos os serviços populares gratuitamente durante doze meses, mais $200 dólares para comprar serviços dos demais produtos nos primeiros 30 dias.

Hoje a lista de serviços gratuitos é o suficiente para realizar estudos aprofundados sobre como desenvolver apps e sites serverless, dê uma olhada:

Esses serviços são renovados todos os meses, durante um ano! Legal, né?

Mas além disso há uma lista bacana de produtos que são sempre gratuitos. Dentre eles, produtos que estão na crista da onda, como: Machine Learning, IoT e Inteligência Artificial. Confira:

Nem que seja para fins de estudo, vale super a pena dar uma espiada na plataforma. Neste artigo vamos falar dos recursos de servidores e bases de dados SQL na nuvem.

Como criar um servidor e uma base de dados SQL no Microsoft Azure?

Após essa breve introdução, vamos ao que interessa afinal: a criação da base de dados SQL.

1 – Escolher a opção “Criar um recurso”.

2 – Serão apresentados diversos recursos, entre eles a opção “Banco de Dados”, escolha essa.

3 – Escolha a opção “SQL Database”.

4 – Informar os dados básicos para a criação do novo Banco de Dados SQL.

Os campos devem ser preenchidos da seguinte forma:

  • Assinatura: para conta gratuita, terá apenas a opção avaliação gratuita.

Grupo de recursos: caso seja seu primeiro recurso criado, basta clicar em “Criar novo” e informar um nome de seu interesse no campo “Nome”. Como eu já tinha criado o recurso, já aparece o valor “devWoman” nesse campo.

Criação de um Grupo de Recursos

Nome do banco de dados: informe o nome da sua base de dados. As validações do nome ocorrem enquanto você digita. Eu dei o nome de “databaseArticle”.

Servidor: nesse campo vai aparecer a relação dos servidores que você tem criado. Eu já tinha um server chamado devWoman, contudo, vou mostrar como criar um novo para exemplificar.

Quando você clica no link “Criar novo“, aparece uma aba lateral com informações a serem preenchidas, conforme a imagem abaixo:

Importante: a localização Sul do Brasil e algumas outras não estão disponíveis para utilização na assinatura gratuita – e muito provavelmente deve custar uma nota, pois estão mais próximas da nossa localização física).

Ao clicar no botão selecionar nessa aba, o servidor recém criado será selecionado na tela de criação do Banco de Dados.

Importante: anote o nome do usuário e a senha que você definir, pois esse será o perfil de administrador do seu Banco de Dados e vamos utilizá-lo logo a seguir.

Computação + armazenamento: nesse campo escolhi a opção Básico. Para mudar a opção basta clicar em “Configurar banco de dados”, que serão apresentadas as três configurações principais. Escolhi a mais básica e leve para nosso exemplo e cliquei em Aplicar.

Os demais campos vou deixar com os valores pré preenchidos. No final ficou do jeito da imagem abaixo:

5 – Finalizando a criação da Base.

Para continuar, basta clicar no campo “Examinar + Criar”, que vai te direcionar para a página de confirmação, com um resumo das informações que você forneceu. Daí é só clicar em “Criar” e ver a mágica acontecer.

Durante o processo você pode acompanhar o que está rolando na criação dos seus recursos. E no final, um resumo, com vários detalhes da criação/implantação de cada um dos recursos.

Como criar uma base com massa de dados?

A Microsoft disponibiliza uma base de dados bem conhecida na comunidade e muito utilizada nos tutoriais e provas de conceitos envolvendo Bases de Dados SQL, que é AdventureWorks.

Vou mostrar como criar uma nova base usando como fonte de dados a AdventureWorksLT.

1 – Utilize como base os passos do tópico anterior até o passo 4

Nos campos “Grupo de Recursos” e “Servidor” você pode acrescentar os que você já criou. No campo “Computação + armazenamento” mudei para o plano Básico de 2GB. Confira abaixo como ficou:

2- Definindo a fonte de dados

Há duas formas de criar uma base com massa de dados. A primeira é restaurando um Banco de Dados que você já possui ou baixou na internet (há vários na internet – deixei alguns ali nas referências) e a segunda é através da base Amostra que o Azure disponibiliza.

Para usar a base Amostra, é simples (pra quem sabe onde está, porque fica meio escondido). Antes da finalização da criação da nova Base de Dados, no campo “Usar dados existentes” basta usar a opção “Amostra”. Veja na animação abaixo:

Ao acessar a base recém criada AdventureWorks, a partir do “Editor de consultas (visualização)”, voilà, todas as tabelas exportadas estarão disponíveis.

Como acessar sua base de dados a partir do SQL Server Management Studio (SSMS)?

Com seu servidor e sua base de dados criados, vamos inicialmente acessar o server através do SQL Server Management Studio (SSMS), que é por onde vamos manipular nossa base de dados.

Primeiramente vamos conectar no SSMS, com nossos dados de acesso, que são:

  • Nome do servidor: está lá no próprio Azure, nas propriedades do seu banco de dados. Veja:

  • Logon e Senha: é nesse momento que vamos utilizar o usuário e senha que você informou na criação do servidor no passo anterior.

Você vai preencher os campos na janela de conexão que aparece logo que você abre o SSMS:

Ao clicar em conectar, será solicitado que você realize o login com sua conta Azure, para que seja criada uma regra de firewall para seu número de IP vinculada ao servidor lá no Portal.

Seu IP é identificado automaticamente, então basta realizar o login e clicar em ok e a regra será criada.

Então aqui está nossa base de dados, com a massa da Amostra que consumimos da base AdventureWorksLT.

Caso você tenha interesse em alterar estruturalmente sua Base de Dados, como criar, alterar ou deletar tabelas, ou manipular dados, é necessário que utilize o SSMS, Visual Studio, SQL Operations Studio ou Azure Data Studio.

Como consultar os dados no Portal Azure?

Por fim, é possível realizar consultas na sua Base de Dados através do Portal Azure (confesso que fiquei maravilhada com essa possibilidade). Não sei dizer qual é a potência desse recurso, mas só de imaginar realizar uma consulta hard code através do navegador, fico animada.

Na área de propriedades do Banco de Dados temos a opção “Editor de consultas (visualização)” – mostrei mais acima como chegar lá – após realizar o login.

É isso, gente! Espero que esse artigo lhes ajude a conhecer um pouco dos recursos do Microsoft Azure em conjunto com o SQL Server.

Espero que tenha ajudado e se tiverem alguma dúvida ou sugestão, deixem nos comentários.

Referências