Acessibilidade

17 nov, 2014

W3C Brasil e Ministério Público do Estado de SP divulgam Cartilha de Acessibilidade na Web

visualizações
Publicidade

O escritório brasileiro do World Wide Web Consortium (W3C) e o Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP) lançaram na sexta-feira o primeiro fascículo da Cartilha de Acessibilidade na Web.

cartilha

No lançamento, que aconteceu no auditório do Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo (SEESP), houve a assinatura de um termo de cooperação entre o escritório brasileiro do W3C e o MPSP para a produção de novos fascículos com orientações sobre acessibilidade na Web.

“Nem sempre as pessoas compreendem que a acessibilidade no meio digital é tão importante quanto no meio físico. Ser impedido de acessar a conta corrente no site de um banco, por exemplo, pode ser frustrante tanto quanto não conseguir entrar em uma agência bancária. A iniciativa de produção da cartilha surgiu de demanda do Ministério Público do Estado de São Paulo com o objetivo de ir além da abordagem técnica. O intuito desse material é reunir orientações para que o cidadão conheça as barreiras de acessibilidade existentes e seus direitos no acesso a informações digitais na Web. Mais sete fascículos serão produzidos para dar continuidade a esse trabalho”, explicou Reinaldo Ferraz, especialista em desenvolvimento Web do W3C Brasil.

O primeiro dos sete fascículos previstos sobre o tema contextualiza a acessibilidade na Web e apresenta as principais barreiras de acesso, as recomendações e as diretrizes para desenvolvedores de aplicações e soluções web com o objetivo de superar ou minimizar as barreiras para o usuário web.

Procuradores, promotores e auditores estão entre o público-alvo da cartilha, bem como gestores, administradores e gerentes de projetos, desenvolvedores, designers, arquitetos de informação, testadores, analistas de qualidade, provedores de conteúdo e qualquer cidadão interessado sobre o tema.

A Cartilha de Acessibilidade na Web (pdf) está disponível sob a licença Creative Commons e qualquer pessoa que tenha acesso a seu conteúdo pode compartilhar, copiar, distribuir e transmitir a obra, desde que atribua os créditos e não utilize a cartilha para fins comerciais.