Desenvolvimento

22 abr, 2019

IA pode contribuir com mais de US$ 15 trilhões para a economia Global até 2030

visualizações
Publicidade

Uma pesquisa da PwC mostra que a adoção de IA será responsável por ajudar no desenvolvimento de setores e na preservação do meio ambiente. O estudo foi encomendado pela Microsoft. O documento ganhou o nome de “Sizing the Price of AI” (“Medindo o preço da IA”, em português).

O resultado demonstra, pela primeira vez, o potencial de utilizar Inteligência Artificial (IA) para transformar empresas e setores. O objetivo é reduzir os impactos ambientais no mundo. Segundo a pesquisa, a Inteligência Artificial poderá contribuir em mais de US$15,7 trilhões para a economia global até 2030.

Esse aumento representa um crescimento de cerca de 4,4% na comparação com o número atual. Além disso, se o uso de Inteligência Artificial for aprimorado, existe uma estimativa de redução na emissão de gases de efeito estufa em até 4,0%. Isso representa uma quantia equivalente a 2,4 Gt (bilhões de toneladas) de CO2. Ou seja, o equivalente às emissões anuais da Austrália, Canadá e Japão juntos.

IA: Pesquisa avalia setores globais

A consultoria avaliou quatro setores críticos para a economia: agricultura, água, energia e transporte. Os benefícios de produtividade de aplicações de Inteligência Artificial dentro desses setores podem gerar um salto na economia global. Isso produziria um ganho potencial de até US$5,2 trilhões.

A análise abrange estimativas do PIB e emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE). Além disso, avalia o provável impacto sobre o emprego em escala global, em sete regiões. São elas: América do Norte, Américas do Sul e Central, Europa, Ásia, Oriente Médio e Norte da África, África Subsariana e Pacífico.

As tecnologias de previsão também podem reduzir o consumo de eletricidade. Um dos maiores desafios do mundo moderno é fornecer energia acessível e confiável para todos, minimizando o impacto negativo na Terra. A utilização de Inteligência Artificial trará um impacto no PIB global (2,2% até 2030) e nas emissões de GEE.

O relatório mostra que 32 milhões de hectares de floresta poderiam ser salvos globalmente até 2030. Isso, se os governos maximizassem o uso da IA no apoio à aplicação de leis, que resultariam na redução de 29 Gt (bilhões de toneladas) de CO2e nas emissões de gases.

A utilização de Inteligência Artificial também permite facilitar e acelerar a implantação de sistemas de transporte sustentáveis. Essas aplicações podem oferecer aumentos substanciais na produtividade da mão-de-obra e de capital no setor de transportes devido a seus efeitos de automação associados.

Preservação Ambiental

O estudo revela que, como parte dessa preservação ambiental, a qualidade do ar também melhoraria. A poluição é um dos maiores riscos ambientais para a saúde humana. Por meio da inteligência artificial seria possível fornecer alertas precoces mais precisos sobre a baixa qualidade do ar.

Na análise, a consultoria estima que o uso da Inteligência Artificial para melhora desse problema poderia reduzir custos e impactos na saúde em US$ 150milhões, globalmente, em 2030. De acordo com a consultoria, existem cinco princípios para desbravar o potencial da Inteligência Artificial para o meio ambiente:

  • Facilitar o conhecimento, alinhamento de valores, colaboração e parcerias multidisciplinares, incluindo cientistas, sociedade, governo, entre outros.
  • Garantir que será possível iniciar “A IA responsável” e estender essa aproximação prioritária para incluir ao impacto na sociedade e no meio ambiente.
  • Endereçar as necessidades da infraestrutura digital, acesso às ferramentas e dados de Inteligência Artificial, além de outras tecnologias complementares.
  • Promover oportunidades e treinos para aprimoramento e requalificação, para se adaptar às transformações setoriais.
  • Reforçar P&D para pesquisa e escalabilidade para desenvolvimento comercial.