DevSecOps

29 out, 2014

Anúncios em banner completam 20 anos

visualizações
Publicidade

Na segunda-feira, 27, os anúncios em banner completaram exatamente 20 anos. Embora seja considerado ultrapassado e receba críticas ano após ano, o formato publicitário sobreviveu e permanece até hoje.

banner

Abaixo, a retrospectiva:

27 de outubro de 1994
HotWired, a versão online da revista Wired, veicula o primeiro anúncio em banner. “Você alguma vez já clicou AQUI?”, ele perguntava. “VOCÊ VAI”, era a resposta. E ele tinha razão. No total, 44% das pessoas que viram clicaram nele, de acordo com Joe McCambley, que foi um dos membros da equipe que criou o anúncio para a AT&T.

Junho de 1995
SmartBanner, o primeiro provedor de anúncios, é lançado por dois estudantes de Stanford. Saturn e Intel estavam entre os primeiros clientes. Dave Zinman, um dos fundadores, afirmou que um pedido de US$ 100 mil em investimentos foi respondido pela Mayfield Fund, com uma mensagem de voz oferecendo US$ 1 milhão. E, assim, foi feito o primeiro investimento em publicidade digital.

1996
É fundada a DoubleClick. Fortune a descreveu como “um corretor de anúncios que serve ambas as empresas com websites e anunciantes que buscam atingir webheads”. DoubleClick, diz o artigo, também vende anúncios em banner para sites membros, recebendo de 30% a 50% da receita. O principal atrativo da empresa: segmentação.

1997
O mundo da publicidade digital ainda é “o reino dos jovens e loucos”, segundo Denise Zaraya, que trabalhou com os anúncios em banner iniciais na Media.com, agência da Grey. Trabalhar com anúncios também era uma atividade atribuída a visionários, afirma ela. O custo por cada mil visualizações (CPM) girava em torno de US$ 10 a US$ 12 na época, de acordo com Zaraya.

1998
DoubleClick se torna pública e levanta US$ 60 milhões em fundos.

2000
Com o estouro das empresas ponto-com (companhias de tecnologia da informação e comunicação baseadas na Internet), a indústria de publicidade digital – ainda dominada pelos anúncios em banner – enfrenta uma desordem total. A DoubleClick perde 70% dos seus clientes. “A única coisa que nos salvou é que nós perdemos, provavelmente, 80% dos nossos concorrentes”, afirma o antigo CEO Kevin Ryan ao TechCrunch.

2003
A indústria se recupera. “Houve um tempo em que os profissionais com experiência no digital não podiam ser contratados rápido o bastante e eles podiam escolher o trabalho que quisessem”, afirma Denise Zaraya. Nessa época, ela era diretora de produtos internacionais da DoubleClick.

2007
Google adquire a DoubleClick por US$ 3,1 bilhões em dinheiro. O Yahoo! compra a Right Media – uma empresa de tecnologia publicitária que fornece 4 bilhões de impressões de anúncios por dia – por US$ 680 milhões. Brian O’Kelley, chief technology officer da Right Media, funda a AppNexus. Este é o ano em que a mídia programática (automação) começa a ganhar destaque.

2011
AdKeeper, uma startup que recebeu aporte de US$ 43 milhões em venture capital, tenta fazer com que as pessoas salvem, ou “guardem”, os anúncios em vídeos quando não estão clicando.

2012
1,05 trilhão de anúncios em banner são vendidos por meio da AppNexus. A AdKeeper inicia seu processo de encerramento.

2013
Surge a publicidade nativa. Alguns sites, como o BuzzFeed, eliminam os banners. Outros, como o USAToday, apenas diminuem. O “complexo da indústria de banners” parece estar sob ameaça.

2014
6,2 trilhões de anúncios em banner (estimados) são vendidos pelo AppNexus. Em agosto de 2014, os anúncios são clicados em 0,9% das vezes, de acordo com o Google.

Com informações de Proxxima