Amazon Lex, tecnologia por trás do Alexa, está aberta para desenvolvedores

PorRedação iMasters em

Amazon Lex, a tecnologia que aciona o Alexa, assistente virtual da Amazon, saiu do preview, de acordo com um relatório da Reuters. O sistema, que envolve tecnologia de compreensão da linguagem natural combinada com reconhecimento automático de fala, foi introduzido pela primeira vez em novembro, na conferência AWS re-Invent da Amazon, em Las Vegas.

Na época, a Amazon explicou como o Lex pode ser usado por desenvolvedores que querem construir seus próprios aplicativos de conversação, como chatbots. Como exemplo, a empresa tinha demonstrado uma ferramenta que permitiu aos usuários reservar um voo usando apenas a voz.

No entanto, o sistema não se limita a trabalhar apenas nos chatbots que você encontra nas aplicações de mensagens de consumidor atualmente, como o Facebook Messenger (embora possa ser integrado a essa plataforma). O Lex pode realmente funcionar em qualquer chatbot de voz ou texto no celular, web ou em outros serviços de bate-papo além do Messenger, incluindo Slack e Twilio SMS.

A Amazon sugeriu que o serviço poderia ser usado para uma variedade de propósitos, incluindo aplicações web e mobile, nas quais a tecnologia fornece aos usuários informações, capacita sua aplicação, ajuda com várias atividades de trabalho ou até fornece um mecanismo de controle para robôs, drones e brinquedos.

Chatbots em mensagens – e particularmente em bots de comércio eletrônico – é um sólido ponto de entrada para a tecnologia da Lex. Os consumidores de hoje têm ficado frustrados com a atual safra de chatbots que têm menus truncados para navegar e uma capacidade limitada para responder áas perguntas dos usuários. O Lex, por outro lado, permitiria que os desenvolvedores criassem bots que convertessem a fala em texto e aqueles que pudessem reconhecer a intenção do texto, tornando o bot resultante mais conversacional e mais sofisticado do que aqueles no mercado atualmente.

O Lex, como um serviço totalmente administrado pela Amazon, também escalaria automaticamente à medida que o uso dos bots aumentasse, o que significa que os desenvolvedores só pagariam pelo número de consultas de texto ou de voz que o Lex processa.

Para o TechCrunch, a iniciativa da Amazon de abrir o Lex para a comunidade de desenvolvimento poderia dar uma vantagem em sua capacidade de competir com outras tecnologias de voz, como o Google Assistant ou o Siri, da Apple. A empresa planeja levar o texto e as gravações que as pessoas enviam aos aplicativos Lex para melhorar o serviço e sua capacidade de entender mais consultas.

Desenvolvedores interessados no Amazon Lex podem acessá-lo aqui.

Deixe um comentário! 1

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

leia mais