Desenvolvimento

7 fev, 2019

Alan Turing, pai da computação, é nomeado ícone do século 20 pela BBC

visualizações
Publicidade

A história de Alan Turing já havia sido eternizada por ser contada no filme O Jogo da Imitação. Agora, ela ganha mais um capítulo.

Reconhecimento

A série BBC Icons, da emissora de TV britânica BBC, nomeou Turing como um ícone do século 20. Segundo o portal Loving Manchester, o apresentador de TV Chris Packham fez um discurso emocionado sobre o trabalho do pai da computação durante o programa. Chris disse que Turing era “um gênio, um salvador, mas ele também era autista e gay, então o traímos e o levamos ao suicídio”. “Vergonha. Uma marca implacável na consciência da humanidade”, completou o apresentador.

Alan foi o autor do princípio da programação que deu origem aos computadores e sistemas binários que usamos até hoje em dispositivos eletrônicos, de computadores a celulares. Ele era um gênio da matemática, que ajudou a Segunda Guerra Mundial a chegar ao fim. Isso, porque ele possibilitou, com seus cálculos, uma enorme vantagem da Inglaterra sobre a Alemanha, ao criar uma máquina que decifrava códigos e enigmas dos alemães. Uma grande revolução para a época.

Alan Turing chegou a ser preso e castrado pelo governo do Reino Unido, por ser homossexual. Anos mais tarde, ele se suicidou em decorrência de depressão, impedido de trabalhar e sem reconhecimento por seus feitos que beneficiaram a história mundial da tecnologia e da sociedade.

Quem foi Alan Turing

Alan Mathison Turing nasceu em Paddington, na região de Londres, em 23 de junho de 1912  e morreu em Cheshire East, em 7 de junho de 1954. O matemático era também criptoanalista, lógico e cientista da computação.

Foi influente no desenvolvimento da ciência da computação e na formalização do conceito de algoritmo e computação, desempenhando um papel importante na criação do computador moderno. Foi também pioneiro da inteligência artificial e da ciência da computação. É conhecido como o pai da computação.