/Desenvolvimento

voltar
/Desenvolvimento

Frameworks e Ferramentas PHP – Parte 2

PorJoão Batista Neto em

Dando continuidade ao hangout da semana passada, hoje falaremos sobre ferramentas e componentes para desenvolvimento.

  1. Porque utilizar um framework?
    1. Código maduro
    2. Código testado
    3. Código seguro (mantido)
  2. Componentes
    1. Componentes de administração de pacotes (PEAR, Composer, Pyrus, PHAR)
    2. Componentes de teste (PHPUnit, Behat, Selenium)
    3. Componentes de log (Zend_Log, Monolog, PHP)
    4. Componentes de métrica (phpmd, phpcs, phpcpd, pdepend)
    5. Componente de documentação (PHPDocumentor, Doxygen)
    6. Componente de automatização (Phing, Ant, Make)
  3. Ferramentas
    1. IDEs (e outros editores)
    2. Controle de versão: SVN (centralizado) e Git (descentralizado)
    3. Debug e Profilling (xdebug, zend debugger, graphviz, cache grind)
    4. Como organizar a bagunça dos frameworks
    5. O include_path e o autoload
    6. Como a PEAR/Pyrus funcionam
    7. Como o Composer funciona
    8. PSR#0
  4. Full stack frameworks
    1. Symfony e Zend
    2. Cake, Code Igniter, Yii, Fuel, Laravel e outros

Para interagir com o pessoal da sala, utilizamos o canal #devtalk no Freenode

Deixe um comentário! 18

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

  1. O cara você falou bobagem quando falou que Perl não é adequado para web, pura presunção. Você nem conhece as ferramentas Perl para desenvolvimento web. Procura saber mais Frameworks Perl e sobre Plack, antes de falar. Aconselho você saber mais sobre a linguagem antes de criticar. :)

    1. Lucas, sobre bobagem, mais adequado seria dizer sobre seu comentário. Tanto no primeiro hangout sobre frameworks e ferramentas, quanto nessa parte 2, o que mais foi falado e frisado foi: Conheça profundamente o problema, somente depois escolha a ferramenta adequada para a resolução.

      Veja, Perl é uma ferramenta poderosíssima, isso é indiscutível, mas PHP nasceu como uma linguagem de domínio específico: a web. É claro que existem N linguagens em que é possível desenvolver para web, a questão nem é essa. Existir frameworks em Perl, Java, Ruby, Python e, até mesmo, PHP, não muda o fato de PHP ter nascido para web. Da mesma forma que Perl é melhor que PHP para N casos de uso, PHP é melhor que Perl para outros N casos de uso.

      Outra coisa que foi falada no hangout é que esses “flames” que as pessoas criam sobre ferramentas é uma grande bobagem (utilizando seu termo), porque a linguagem, ou seus frameworks, não passam de ferramentas: Martelos, serrotes, pregos, parafusos.

      Levantar uma discussão desse tipo Lucas, ao meu ver, é como um marceneiro querer brigar com outro marceneiro, dizendo que seu serrote é melhor que o dele. Isso sim é bobagem, porque no fim das contas, o que é importante é o produto, não a ferramenta utilizada para construí-lo.

      ;)

  2. Desculpa Lucas, mais como já diz um certo ditado: Quem falar o quer, Esculta o que não quer, infelizmente você foi infeliz na sua colocação.

    João parabéns pela resposta e pelos Hangouts.

  3. João Neto, parabéns pela resposta. É incrível como ainda as pessoas entram nesse tipo de discussão, programador não é: Pastor, Padre, Budista, Xamã… ter uma escolha pessoal sobre linguagem, Framework, IDE, é normal, mas não dá pra defender com unhas e dentes uma tecnologia como se ela fosse feita pra tudo. Isso não existe! Vamos parar com isso e sermos mais profissionais. Como João B. Neto já deixou claro, vamos conhecer o nosso problema pra sabermos escolhermos a melhor ferramenta pra resolver o problema.

  4. Não mudo minha opinião que você foi infeliz com seu comentário do vídeo. Você poderia ter feito o seu artigo e seu vídeo, sem precisar criticar nenhuma linguagem, você ironizou os programadores Perl. “Você ainda chamou os caras que criaram e-commerce de loucos”. Eu não estou criticando seu artigo não e nem discordo que PHP nasceu para web, isso todo mundo sabe. Você atacou os programadores gratuitamente.

    1. Você interpretou o contexto de uma forma diferente, quando ele disse: Que Loucura! não foi despresando, me pareceu até que ele tinha se admirado com a façanha, mas daí contexto diferentes… Acho que vc interpretou mau.

      1. Exatamente Silva,

        Seria até estúpido de minha parte me referir de forma pejorativa aos programadores Perl, ou de qualquer outra linguagem, uma vez que eu mesmo frisei tantas vezes sobre conhecer o problema antes de escolher a ferramenta.

        Quando falei sobre aquele e-commerce em Perl, eu estava falando sobre um caso muito específico que eu vi. Em momento algum me referi às ferramentas desenvolvidas em Perl para web, muito menos sobre desenvolvedores Perl. Além disso, eu não disse “os caras”, no plural, mas sim “o cara”, no singular, me referindo especificamente ao cara que havia escrito aquela plataforma.

        Btw, uma plataforma que utilizo muito, e que é escrita em Perl, é o Bugzilla. Uma excelente ferramenta, que atende à todos os meus requisitos, e que é escrita em Perl.

        Volto a reforçar: O que importa é o produto, não a ferramenta para construí-lo. Se o produto é bom, a ferramenta utilizada é irrelevante.

      2. Tranquilo João, Parabéns pelo artigo.
        Eu falo com toda certeza, Perl é muito forte na web, tem vários Frameworks, o Dancer é um framework para pequeno projetos web, já o Mojolicious e Catalyst é para projetos maiores. E ainda tem o CPAN. E se optarmos por não usar Frameworks, não precisamos rodar em CGI, usamos o mod_perl e FastCGI. Perl evoluiu e continua evoluindo :)
        Desculpa qualquer coisa.

  5. Ola Neto,

    Me desculpe se estou sendo muito intrusivo.

    Estou acompanhando a serie de Hangouts sobre PHP, esta sendo muito edificante, entretanto o que mais aprendi na serie foi o quanto eu sei pouco sobre desenvolvimento web.

    Estudei Analise de Sistemas na faculdade e digo sem titubear, aprendi MUITO pouco. Quando comecei a fazer freelas em desenvolvimento de sistemas e comecei a estudar sobre como fazer as coisas e como as coisas funcionam, vi o quanto não aprendi na faculdade.

    Estudei bastante sobre Rede, HTML, CSS, Javascript, PHP, JQuery, Ruby, mas ainda me sinto um aventureiro, muito longe de um programador.

    O ponto é, estou bastante perdido sobre qual caminho trilhar, estou no momento estudando e trabalhando com o Framework Yii, consigo fazer as coisas, mas fico muito frustrado, por que muita coisa eu faço sem saber exatamente o que estou fazendo, um tanto quanto tentativa e erro.

    Poderia me ajudar Neto? Conhece algum artigo que trate disso, ou saberia me dizer quais são os caminhos para ser um bom programador. Conheço muitas pessoas que estão no mesmo pé que eu. Inclusive na empresa que eu trabalho há desenvolvimento de software e acredito que eles estejam pior do que eu, pois eles acham que sabem muito sobre desenvolvimento e não sabem o que significa design patterns.

    Novamente me desculpe se estou sendo muito intrusivo, desde já muito obrigado.

    1. Felipe, você já está no caminho correto, acredite.

      Veja, estamos todos em constante aprendizado. Todos os dias aprendemos coisas novas. O cara que afirma que “sabe tudo”, ou parou no tempo ou não tem a menor noção da dimensão das coisas e, nesse caso, é bastante limitado em termos de conhecimento.

      O fato, Felipe, é que você já tem o espírito daquele que quer crescer. Questione sempre, pesquise sempre e nunca confie em apenas uma fonte. Quanto mais você correr atrás de informação, mais você perceberá que não sabia nada e mais fácil será para você absorver novos conhecimentos. Um grande obstáculo enfrentado por aqueles que estão estudando, é achar que sabem determinada coisa e, por isso, deixam de pesquisar. Se tivessem pesquisado, teriam percebido que as coisas vão além e teriam aprendido mais.

      Para se tornar um bom programador, tudo o que você precisa fazer é ter ciência da própria ignorância, somente assim você estará aberto a novas informações e conseguirá ver além.

      1. Obrigado pela resposta Neto e muito obrigado pelos Hangouts e diversos artigos que escreve, são muito bons.

  6. João sem querer ficar puxando o seu saco, mas a suas contribuições e esclarecimentos, junto com os comentários do Augusto e do Alexandre, pelo menos no meu caso tem sido imensas, e eu acredito que para muita gente também. Se alguém que esta começando a cursar uma faculdade, e acha que vai aprender 10% do que vcs aboradaram até agora, está muito enganado. Parabéns.

leia mais