Front End

28 set, 2018

Progressive Web Apps: a nova realidade da experiência mobile

100 visualizações
Publicidade

Com a popularização mundial dos smartphones, em meados de 2008, começamos a observar uma mudança no comportamento de navegação web. Nesse momento, é lançado a Apple Store e há um boom no surgimento de aplicativos nativos. Por muito tempo, estes reinaram soberanos no dia a dia do usuário. Porém, se observarmos mais de perto, o custo para criação de um app é extremamente alto, impossibilitando que essa funcionalidade seja aplicada à algumas empresas, bem como, para alguns nichos não faz sentido ter um app.

Com o passar dos anos, há uma estabilização nessa tendência de mercado. Estudos apontam que 60% dos aplicativos nunca foram baixados, além de 80% dos usuários gastarem boa parte do seu tempo de navegação em apenas 5 aplicativos. Analisando os dados, bem como o custo elevado, conseguimos verificar que a criação de aplicativos nativos pode ser tratada, atualmente, como um tiro no escuro: pode ser um sucesso ou um verdadeiro fracasso.

Então, por que não unir navegação web e aplicativos nativos como uma experiência única para o usuário?

Essa é a proposta principal do Progressive Web Apps, ou PWA.

PWA são um conjunto técnico de aplicações web que adicionam aos sites funcionalidades, que antes eram características dos aplicativos nativos. Seguindo as premissas do Google, um PWA deve ser:

  • Progressivo: Item fundamental, pois deve ser acessível a todos os usuários, independente do navegador;
  • Responsivo: Deve se adequar a qualquer device;
  • Independe da conectividade: Deve trabalhar off line ou com conexões de internet ruins;
  • Semelhante a apps: A interação deve ser semelhante a uma experiência em aplicativos nativos;
  • Atual: Sempre com informações atualizadas;
  • Seguro: Somente sites com HTTPS (certificados de segurança) podem aplicar o PWA;
  • Descobrível: Indexação em mecanismos de busca otimizado para sites com PWA;
  • Reenvolvente: Engajamento garantido por conta das notificações push;
  • Instalável: Os usuários podem instalar um atalho do site, e este se comportará de forma semelhante a um aplicativo nativo;
  • Linkável: Compartilhamento via URL.

A importância desta tecnologia web é tamanha, que grandes empresas já estão abandonando as atualizações de seus aplicativos nativos, e investindo em aplicações PWA para seus sites. Quando você proporciona esta experiência de navegação ao seu cliente, você evita que ele se distraia, pois ao entrar no seu site, o foco da atenção do seu cliente é somente seu. Além do custo ser muito menor, quando comparado a criação de aplicativos nativos.

Ainda temos alguns impeditivos técnicos, como a Apple, que não suporta todas as features do PWA (push notification e navegação off line), porém outras duas gigantes da web apostam fortemente nesta tecnologia: Google e Microsoft.

O que concluímos é que os Progressive Web Apps vieram para ficar, pois acompanham a mudança global no comportamento do cliente no ambiente web. Quanto mais facilitarmos para que nossa empresa seja localizada nos mecanismos de busca, além de proporcionar uma experiência nativa ao nosso cliente, teremos um retorno satisfatório quanto ao desempenho da nossa operação na web.

Vale a pena mencionar que o UOL Criador de sites proporciona que todos os sites criados em nossa plataforma tenham PWA. Legal, né?!