Back-End

27 set, 2018

Blockchain: a tecnologia que traz segurança a diversos setores

100 visualizações
Publicidade

O blockchain é um registro único, consensual e distribuído em vários nós de uma rede, que está ganhando cada vez mais notoriedade. Sua potencialidade é tanta que o Fórum Econômico Mundial divulgou um whitepaper com o tema Percebendo o Potencial do Blockchain, no qual afirma que a tecnologia vai otimizar modelos de negócio e trazer inovação à diversas indústrias.

A tecnologia pode ser aplicada nos mais variados negócios, pois ela permite verificar, validar, rastrear e armazenar todos os tipos de informações, desde certificados digitais, sistemas de votação democráticos, serviços de logística, mensagens, contratos inteligentes, autenticação de livros raros e obras de arte e, é claro, transações financeiras.

Apesar deste potencial recentemente descoberto, a ideia do blockchain surgiu em 1991, quando Stuart Haber e W. Scott Stornetta escreveram o primeiro trabalho sobre uma cadeia que funcionaria em blocos protegidos por criptografia. O tema ganhou notoriedade em 2008 devido ao bitcoin e, de acordo com o MarketWatch, até 2022, espera-se um crescimento anual de 51% para vários mercados, como instituições financeiras ou a Internet das Coisas (IoT).

Caso você decida se aprofundar nos detalhes internos de sua implementação, a operação pode ser complexa de entender, mas a ideia geral é bastante simples. No caso das criptomoedas, é possível pensar no blockchain como o livro contábil em que cada uma das transações é registrada.

Cada bloco armazena um número de registros ou transações válidas, informações e links e sua vinculação com os blocos anteriores e posteriores ocorre por meio de um código único e irreversível, chamado hash. Estas informações possuem um lugar específico e imutável dentro da cadeia. A sequência completa é armazenada em cada nó da rede que compõe o blockchain.

À medida em que novos registros são criados, eles são primeiro verificados e validados pelos nós da rede e, em seguida, adicionados a um novo bloco que, por fim, será vinculado à cadeia.

A disponibilidade da informação é garantida em todos os momentos, já que cada nó da rede armazena uma cópia exata da cadeia. Isso torna o blockchain bastante seguro, pois, se um invasor tentar prejudicar o serviço, ele vai precisar anular todos os nós da rede. Basta um deles estar operacional para que todo o sistema continue funcional e as informações disponíveis.

Mesmo no caso de um cibercriminoso tentar modificar um único dado, a tarefa será complexa, pois ele precisa alterar toda a cadeia em pelo menos 51% dos nós, para obter sucesso. E ainda assim, o processo será trabalhoso, pois, como cada bloco é matematicamente ligado ao seu sucessor, se um deles é modificado, seu relacionamento com a cadeia é quebrado. Toda a informação registrada nos blocos, portanto, é perpétua e inalterável.

Uma vez que um novo bloco é adicionado à cadeia, ele se torna imutável também. Além disso, cada nó da rede usa certificados e assinaturas digitais para verificar as informações, validar as transações e os dados armazenados, o que garante sua autenticidade.

O blockchain atua como um meio para certificar e validar qualquer tipo de informação. Um registro confiável e descentralizado. É uma ferramenta poderosa para comunicar e armazenar informações com segurança. Penso que essa tecnologia tem como ponto forte eliminar a desconfiança, substituindo-a por uma verdade matemática.