Analytics

13 jan, 2014

As cinco melhores práticas para criação de tags UTM

8033 visualizações
Publicidade

Rastreamento UTM é muito importante para medir os seus dados. O problema com esse rastreamento é que ninguém nunca explica como configurá-lo corretamente para que ele seja de fato útil. Se você tem feito marketing online e rastreado seus resultados sem muito carinho, vai querer ter em mente as melhores práticas que listamos abaixo.

O que exatamente são tags UTM?

Curiosidade interessante: o nome UTM veio da empresa Urchin Sofware, adquirida pelo Google em 2005. A partir dela, surgiu o Google Analytics, mas UTM (Urchin Tracking Modules) permanece como a convenção para tags de URLs.

Se você olhar nas URL em que clica na maior parte dos e-mail marketings ou banners de propagandas, vai ver a tag UTM por lá. São aqueles longos links que terminam com utm_source e utm_medium. Esses são parâmetros que permitem que você analise de onde os seus usuários estão vindo.

Já se perguntou como o Google Analytics sabe de onde o tráfego está vindo? Algumas dessas informações vêm do HTTP referer – um tópico para outro dia – mas para o resto você mesmo precisa fornecer os parâmetros UTM.

Quando você vê “google adwords” ou “email marketing”, significa que esses parâmetros UTM estão sendo registrados do clique no link original e então armazenados nos cookies do usuário. De lá, o Google Analytics utiliza esses dados para atribuir comportamentos interessantes ao seu site. Entender esses parâmetros ajuda você a configurar melhor as tags UTM.

Melhores práticas para tags UTM

Configurar suas URLs com tags UTM não é algo muito complicado. Aqui estão as cinco coisas mais importantes que você precisa lembrar.

1. Tenha como objetivo taguear todas as URL que você pode controlar que levam ao seu site.

Toda vez que você pede a uma pessoa para clicar em um link, você deve configurar uma tag UTM. Isso inclui todos os seus links de e-mails (seu fornecedor de serviço de e-mail provavelmente possui uma forma automática de incluir tags UTM), links de anúncios, artigos de imprensa, posts de blogs etc.

2. Use uma ferramenta para criar a URL.

URLs com tags UTM podem ser bem inconvenientes. Em vez de digitá-las à mão, use uma ferramenta como esta para auxiliá-lo. Isso assegura que você está pensando em acrescentar todos os parâmetros concretos à URL e… bônus: você ainda consegue a copiar a URL para colá-la diretamente. Para gerenciar links sociais, ferramentas como o Hootsuite incluem uma opção para acrescentar parâmetros personalizados de URLs para todos os seus links.

3. Fique atento para letras maiúsculas e minúsculas.

Será essa a parte mais chata das tags UTM? Irritantemente, sim. É importante lembrar que a tag “utm_source=adwords” é diferente de “utm_souce=Adwords” (você talvez queira deixar tudo em caixa baixa; é isso que fazemos!).

4. Armazene os valores dos parâmetros UTM na sua base de dados.

Cada vez que uma transação acontece, você desejará avaliar o desempenho das suas atividades de marketing. Você pode fazer isso ao ler os valores dos parâmetros UTM do cookie do Google Analytics na sua base de dados.

5. Pense sobre como você nomeia as campanhas.

Para rastrear seus esforços de marketing ao longo do tempo, você precisará ser esperto em relação a seus padrões de nomes. Mantenha o mais simples e curto possível. Nomes complicados são difíceis de manter!

Quer mais? A partir do momento em que começar a capturar essas informações na sua base de dados, você poderá avaliar o desempenho do seu marketing e de suas campanhas publicitárias de uma forma mais sofisticada, incluindo tempo do cliente, taxas de reincidência de compras e média de valores de compras.

***

Artigo traduzido pela Redação iMasters, com autorização do autor. Publicado originalmente em http://blog.rjmetrics.com/2013/10/29/top-5-things-to-keep-in-mind-about-utm-tagging-your-urls/#.UnujUPlwp8E