Faltam apenas

Java 9 trará ajustes de limite de memória em containers Docker

PorRedação iMasters em

O Java 9 ganhou uma mudança experimental para que a JVM consiga perceber que está rodando dentro de um container e ajuste os limites de memória de forma apropriada. Apesar do aumento da popularidade dos containers nos últimos anos, muitas ferramentas, incluindo a JVM, ainda dependem dos parâmetros do host para avaliar os recursos disponíveis, muitas vezes ficando sem memória com mensagens de erro desconcertantes. Essa mudança, que pode estar disponível para o público assim que o Java 9 for lançado, tenta prevenir vários destes cenários.

Tecnologias Container como Docker, Heroku ou Kubernetes são uma forma de máquinas virtuais leves baseadas no sistema operacional Linux. Assim, elas podem fornecer uma funcionalidade muito parecida com as máquinas virtuais mais rápidas e consumindo menos recursos, mas existem algumas desvantagens: enquanto as máquinas virtuais completas simulam uma pilha inteira de hardware dedicado, o que significa que o software existente funciona principalmente como esperado, as tecnologias de containers usam o hardware e o sistema operacional do host, o que significa que o software que se baseia em informações do host pode ignorar as restrições extras que os containers impõem.

Na JVM, se o limite máximo da memória é definido com -Xmx, ela irá configurá-lo como uma fração da memória física (tipicamente ¼, mas pode variar), e isso pode não levar em conta os limites impostos pelo container. A mudança proposta tenta prevenir esse problema ao verificar se a JVM está rodando dentro de um Control Group ou cgroup, uma tecnologia Linux como a maioria das tecnologias de container usadas para impor limites no uso de hardware e outros recursos. Se a JVM detecta que está dentro de um cgroup, ela tentará encontrar o limite de memória definido no container e considerará esse limite como a memória física disponível. Como ainda é experimental, a novidade somente será aplicada se ativada com a opção -XX:+UseCGroupMemoryLimitForHeap.

Incorporado ao Kernel do Linux em 2008 e redesenhado em 2013, o cgroups isola o uso de recursos e permite que aplicações controlem o acesso a memória, CPU, IO e rede, entre outros. Diferentes aplicações podem criar sua própria hierarquia de cgroups com limites diferentes por grupos, o que significa que uma aplicação não conhece, a priori, o grupo que a mesma irá executar. É por isso que a JVM só pode fazer uma suposição sobre cgroups e o limite de memória, divulgou o site InfoQ.

Deixe um comentário! 0

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

leia mais