Tecnologia

30 abr, 2014

Google testa chip Power em servidor para grandes volumes de dados

visualizações
Publicidade

Nesta semana, o Google exibiu seu primeiro servidor baseado em processador Power8, durante uma conferência da IBM em Las Vegas.

O Google é membro fundador da Fundação OpenPower, projeto da IBM para abrir a arquitetura de seu chip Power para uso em novos tipos de servidores. Logo, não é segredo de que a empresa estava envolvida com essa tecnologia, mas, até então, ela não havia confirmado publicamente que estava construindo hardware baseado em Power chip.

Na segunda-feira, Gordon Mackean, engenheiro do Google que também é presidente da Fundação OpenPower, postou uma foto da placa-mãe do servidor Power8 do Google em sua página no Google+.

Por enquanto, trata-se de apenas um teste. Isso não significa que o Google adotará o processador Power amplamente em servidores de seu data center.

De acordo com Mackean, a nova plataforma de servidor é essencial para medições de desempenho e otimizações contínuas, bem como para integrar e testar os avanços em curso, que se tornam disponíveis através do OpenPower e da comunidade OpenPower.

Inicialmente, os chips Power foram usados em servidores Unix da IBM, mas, com o declínio das vendas desses sistemas, a companhia foi obrigada a expandir o uso da arquitetura. Ao licenciar o Power8, a IBM espera convencer outras empresas a projetar chips e servidores Power para uso em outros equipamentos.

A tecnologia vai competir com chips Xeon x86 da Intel, que atualmente dominam o mercado, e também com processadores de 64 bits da ARM, que estão chegando lentamente aos servidores.

Com informações de Computerworld