/Desenvolvimento

voltar
/Desenvolvimento

Criando um roadmap de produto de maneira ágil

PorLuiz Fernando Duarte Junior em

Quando estamos iniciando um novo produto ou até mesmo evoluindo um produto já existente, é muito importante um mínimo de organização para que saibamos onde queremos chegar, o que queremos ter no produto, etc. Mesmo em casos onde a mudança seja constante, ter um roadmap ajuda a tomar decisões de escopo, de priorização e principalmente, a ter uma ideia do quão distante estamos de chegar aonde queremos.

Existem diversas técnicas para criação de roadmaps de produtos. Dentre as técnicas mais ágeis e que não tentam ser lá muito precisas – até porque tentar prever o futuro é algo bem impreciso na minha opinião – temos a Futurespective e a Matriz Valor x Risco. E é delas que falarei hoje, embora outra dinâmica complementar seja a Buy a Feature Game que já falei antes.

Matriz Valor x Risco

A matriz de valor x risco é um artefato ágil para dimensionar o tamanho de um projeto ou roadmap, além de ajudar na priorização do mesmo e definição dos épicos e features de um produto.

Você pode fazer esta dinâmica com folhas A3, quadros brancos ou ainda flip-charts. Ela não é uma dinâmica muito boa de aplicar em times grandes, o ideal é que não passe de cinco pessoas e, por se tratar de uma dinâmica focada no negócio, o ideal é não ter a presença de membros que não possuam – ou não gostem – da visão de negócio do produto.

Desenhe uma matriz bi-dimensional com dois eixos, estilo um plano cartesiano. No eixo vertical, escreva Valor e no eixo horizontal, escreva Risco. Cada eixo deve ter duas ou mais partes, como Baixo, Médio e Alto Valor, ou Baixo, Médio e Alto Risco, de baixo para cima e da esquerda pra direita, respectivamente. Se você procurar na Internet vai ver variações, como na imagem abaixo, que ajudam a entender como a sua matriz pode ser organizada.

Matriz Valor x Complexidade

Em post its, escreva as features ou épicos do seu produto e posicione um-a-um os post its nos quadrantes apropriados, considerando quanto valor eles irão agregar para os clientes e/ou para a empresa e quanto de risco eles possuem.

Considere Valor como não sendo algo meramente financeiro. Valor pode ser engajamento, pode ser marketing boca-a-boca, pode ser algo que gere mais NPS, pode ser algo que reduza o churn, que aumente a conversão, etc.

Embora tudo isso de uma forma ou de outra se traduza em dinheiro, não precisa se apegar a valores financeiros diretos. Essa definição mais abrangente de valor é algo a ser levada a sério, pois até mesmo aparece na prova da certificação de PSPO.

Considere Risco como qualquer coisa que torne mais arriscado pegar esta feature ou épico para implementar. Pode ser muito esforço necessário, muito custo, desconhecimento dos detalhes, falta de tecnologia ou de pessoal especializado para tocar a tarefa. Pode ser um prazo muito justo ou uma complexidade muito alta de desenvolvimento. Tudo isso representam riscos para que tenhamos sucesso na empreitada deste épico.

Após terminar de colocar os post its nos lugares certos, cabe ao time decidir a sua estratégia de priorização do roadmap. Não há uma única estratégia válida aqui, pois cada empresa tem a sua realidade, mas uma análise importante dos quadrantes incluem:

  • Alto valor e alto risco (topo á direita): geralmente o que possui alto risco e alto valor são as que realmente darão um retorno altíssimo para a empresa. O fator risco deve ser mitigado o mais rápido possível para que não sejamos surpreendidos no futuro por algo que acabe minando o projeto como um todo. Atacar o alto risco/alto valor primeiro é uma estratégia segura a longo prazo;
  • Alto valor e baixo risco (topo á esquerda): uma estratégia de curto prazo, boa quando se está com a corda no pescoço e precisam-se de ações rápidas e que gerem valor. Em outras situações, ataque estas após as de alto risco/alto valor.
  • Baixo valor e baixo risco (embaixo à esquerda): não é uma boa estratégia, geralmente só devem ser priorizadas em casos de ociosidade ou em períodos “entressafras”;
  • Baixo valor e alto risco (embaixo à direita): jamais faça elas, não valem a pena.

Ao definir sua regra de priorização, você terá o seu roadmap definido e priorizado. Se precisar de alguma estimativa de alto nível, convém jogar um Planning Poker sobre o menor épico que valha a pena desenvolver (alto valor e baixo risco?) e, após estimá-lo, projetá-lo sobre os demais post its para ter uma ideia total do roadmap.

Por exemplo, se o menor épico ganhar um 3 e você decidir que ele demora em média dois meses, some os demais pontos e divida por 3 para saber o número de meses do seu roadmap. Mantenha uma escala exponencial como a de Fibonacci para pontuar tarefas baseadas em seu risco, para não cometer o erro de estimar um roadmap muito “no detalhe”.

Futurespective

Essa dinâmica pode ser complementar à Matrix Valor x Risco ou mesmo substitui-la. Sua abordagem é ainda menos precisa e muito mais ágil, quando estamos em uma de duas situações:

  1. Você quer ver se o seu time está alinhado com a visão estratégica da empresa em relação ao(s) produto(s) que estão desenvolvendo;
  2. Você quer construir um roadmap do produto de maneira colaborativa, com o seu time, para dar uma visão comum a todos;

Seja qual for o seu objetivo, esta dinâmica é bem interessante e pode render bons frutos, apenas não se preocupe em gerar um plano de ação detalhado com ela, pois isso não irá acontecer. Conheci ela durante um workshop do Daniel Wildt e achei bacana reproduzir aqui.

Separe o seu time em grupos de 3-5 integrantes. Evite grupos muito grandes para evitar discussões desnecessárias. Essa não é uma dinâmica que trará precisão no seu roadmap, mas um alinhamento geral muito bom, então não tem necessidade de discutir nos mínimos detalhes os prazos e prioridades das coisas.

Estabeleça que cada participante vai escrever 10 post-its com épicos ou features que ele acredite serem importantes para o produto e que ainda não foram desenvolvidas.

Após todos escreverem, cada membro deve apresentar aos demais o que ele escreveu. Juntos, devem definir quais x itens devem ser prioridade para os próximos 3 meses (desconsiderando repetidos), sendo que x deve ser o número de integrantes da equipe que está fazendo a dinâmica. Depois, quais os próximos x que devem ser prioridade para os 3 meses posteriores e assim por diante, até os itens terminarem.

Para tomarem a decisão de prioridade, pode ser usada a Matriz Valor x Risco, a Buy a Feature Game ou qualquer outra dinâmica que você conheça. O resultado dessa dinâmica será um roadmap de alto nível que garante uma visão comum entre os membros do time.

Eventualmente, este roadmap será alterado, mas não tem problema, como diz no Manifesto Ágil: mais vale responder às mudanças do que seguir um plano.

De 0 a 10, o quanto você recomendaria este artigo para um amigo?

 

Deixe um comentário! 0

leia mais
Este projeto é oferecido pelas empresas:
Este projeto é mantido pelas empresas:
Este projeto é apoiado pelas empresas: