/Desenvolvimento

voltar
/Desenvolvimento

Processo de Teste de Software – Parte 03

PorAlexandre Bartie em

Etapa 5: Execução dos Testes

Esta etapa é caracterizada pela execução e conferência dos testes planejados, de forma a garantir que o comportamento do aplicativo permanece em “conformidade” com os requisitos contratados pelo Cliente.

Dinâmica das Macro-Atividades

Este diagrama representa a seqüência das “macro-atividades” a serem executadas na etapa de “Execução dos Testes”.

Detalhamento das Macro-Atividades

Esta lista representa o conjunto de atividades que deverão ser executadas para que cada macro-atividade seja considerada finalizada, funcionando como um “check-list” de execução da etapa de “Execução dos Testes”.

Disponibilização do Ambiente dos Testes:

  • Parametrização da distribuição da carga dos testes nos diversos “sites” de execução;
  • Limpeza de Diretórios que serão manipulados durante a execução e conferência dos testes;
  • Avaliação da disponibilidade da Infra-Estrutura (Servidores, Redes, Comunicação, Disco);
  • Acionar ferramentas de monitoramento de interrupção “anormal” de processamento;

Execução dos Casos de Testes Progressivos:

  • Executar os casos de testes “progressivos” selecionados, respeitando a priorização estabelecida;
  • Coletar as evidências dos casos de testes executados (armazenamento padronizado);
  • Comparar as evidências que possuem “resultado esperado” (possui baseline);
  • Analisar as evidências que não possuem “resultado esperado” (ausência baseline);
  • Identificar os casos de testes em “conformidade” com os requisitos;
  • Identificar os casos de testes em SUSPEITA de “não-conformidade” com os requisitos;

Confirmação dos Resultados Progressivos:

  • Re-Executar os casos de testes progressivos em SUSPEITA de “não-conformidade”;
  • Analisar as evidências e compará-las com o baseline (se existir) e resultados anteriores;
  • Identificar os FALSOS-POSITIVOS e apontar imprecisão do processo de comparação;
  • Identificar os DUPLO-POSITIVOS e atestar a “não-conformidade” com os requisitos;

Execução dos Casos de Testes Regressivos:

  • Executar os casos de testes “regressivos” selecionados, respeitando a priorização estabelecida;
  • Coletar as evidências dos casos de testes executados (armazenamento padronizado);
  • Comparar as evidências com o “resultado esperado” (possui baseline);
  • Identificar os casos de testes em “conformidade” com os requisitos;
  • Identificar os casos de testes em SUSPEITA de “não-conformidade” com os requisitos;

Confirmação dos Resultados Regressivos:

  • Re-Executar os casos de testes regressivos em SUSPEITA de “não-conformidade”;
  • Analisar as evidências e compará-las com o baseline existente (sempre deverá existir);
  • Identificar os FALSOS-POSITIVOS e apontar imprecisão do processo de comparação ou baseline;
  • Identificar os DUPLO-POSITIVOS e atestar a “não-conformidade” com os requisitos;
  • Comunicar a Finalização da Etapa de “Execução dos Testes”; (interna)

Definição das Responsabilidades

Neste diagrama, está a representação dos papéis e responsabilidades para cada grupo de atividades envolvido na Etapa de “Execução dos Testes”.

Mapeamento dos Artefatos

Nesta representação, estão destacados os “artefatos de entrada” exigidos como premissa para que cada macro-atividade possa ser realizada. Também são destacados os “artefatos de saída” produzidos como resultado da atividade.

Etapa 6: Análise dos Resultados

Esta etapa é caracterizada pela análise e confirmação dos resultados relatados durante a fase de execução dos testes. Os resultados em “não-conformidade” deverão ser “confirmados” e “detalhados” para que a Fábrica de Software realize as correções necessárias. Já os casos de testes progressivos em “conformidade” deverão ter seu resultado “POSITIVO” reconfirmado e seu “baseline” atualizado.

Dinâmica das Macro-Atividades

Este diagrama representa a seqüência das “macro-atividades” a serem executadas na etapa de “Análise dos Resultados”.

Detalhamento das Macro-Atividades

Esta lista representa o conjunto de atividades que deverão ser executadas para que cada macro-atividade seja considerada finalizada, funcionando como um “check-list” de execução da etapa de “Análise dos Resultados”.

Revisão dos Resultados em “Não-Conformidade”:

  • Identificar os casos de testes que obtiverem “não-conformidades”;
  • Avaliar as evidências dos testes e realizar a confirmação da “não-conformidade”;
  • Identificar os FALSOS-POSITIVOS e apontar imprecisão do processo de comparação;
  • Revisão da Análise dos Casos de Testes Progressivos em “Conformidade”:
  • Identificar os casos de testes progressivos que estão em “conformidade” com os requisitos;
  • Revisar as evidências e atestar a “conformidade” dos casos de testes;
  • Identificar os FALSOS-NEGATIVOS e apontar imprecisão do processo de análise dos resultados;

Atualização do Baseline:

  • Identificar os casos de testes progressivos em “conformidade” e atualizar seu “baseline”;
  • Identificar os casos de testes em “não-conformidade” e atualizar o “baseline” esperado;
  • Guardar o baseline (backup) para a ser empregado na próxima execução dos testes;

Formalização dos Defeitos Detectados:

  • Isolar cada caso de testes que resultou numa “não-conformidade”;
  • Coletar todas as evidências que provam a não conformidade;
  • Detalhar as condições em que foram estabelecidas cada caso de teste em “não-conformidade”;
  • Realizar a classificação de cada defeito identificado (“aplicativo”, “natureza”, “severidade”);
  • Reunir todas as informações e formalizar os defeitos detectados;
  • Comunicar a Finalização da Etapa de “Análise dos Resultados”; (externa)

Negociação de um Novo Ciclo de Testes (se necessário):

  • Avaliar a necessidade de um novo ciclo de testes diante da qtde e severidade dos defeitos;
  • Reavaliar os impactos de outros projetos diante da necessidade de um novo ciclo de testes;
  • Avaliar o nível de cobertura dos testes a ser considerado (ciclo completo ou reduzido);
  • Avaliar a possibilidade de aplicar os testes em paralelo ao processo de homologação/implantação;

Definição das Responsabilidades

Neste diagrama, está a representação dos papéis e responsabilidades para cada grupo de atividades envolvido na Etapa de “Análise dos Resultados”.

Mapeamento dos Artefatos

Nesta representação, estão destacados os “artefatos de entrada” exigidos como premissa para que cada macro-atividade possa ser realizada. Também são destacados os “artefatos de saída” produzidos como resultado da atividade.

Etapa 7: Encerramento do Processo

Esta etapa é caracterizada pela avaliação de todo o Processo de Teste de Software, comparando os resultados alcançados em relação ao que foi inicialmente planejado. Neste momento, diversos indicadores são extraídos, visando avaliar qualitativamente e quantitativamente o desempenho do trabalho, através de comparações históricas de projetos anteriores.

Dinâmica das Macro-Atividades

Este diagrama representa a seqüência das “macro-atividades” a serem executadas na etapa de “Encerramento do Processo”.

Detalhamento das Macro-Atividades

Esta lista representa o conjunto de atividades que deverão ser executadas para que cada macro-atividade seja considerada finalizada, funcionando como um “check-list” de execução da etapa de “Encerramento do Processo”.

Extração dos Indicadores (Individuais / Projeto):
  • Extrair os indicadores quantitativos; (critérios objetivos)
  • Extrair os indicadores de produtividade; (critérios objetivos)
  • Extrair os indicadores de confiabilidade; (critérios objetivos)
  • Extrair os indicadores financeiros; (critérios objetivos)
  • Extrair os indicadores de nível de satisfação; (critérios subjetivos)
Resumo do Processo de Testes:
  • Registrar um Resumo do Processo de Testes;
  • Registrar a Lista de Defeitos Detectados;
  • Registrar Níveis de Serviço Alcançado X Planejado;
  • Registrar Nível de Cobertura de Alcançado (Requisitos Garantidos);
  • Registrar Indicadores Obtidos do Processo;
  • Registrar Lições Aprendidas;
  • Registrar Detalhamento dos Ciclos de Testes Realizados (Caminho Crítico);
  • Anexar e-mail’s sobre o processo;
  • Divulgação Corporativa do Resultado do Projeto de Testes;
Análise dos Indicadores do Processo
  • Comparar indicadores quantitativos com históricos;
  • Comparar indicadores de produtividades com históricos;
  • Comparar indicadores de confiabilidade com históricos;
  • Comparar indicadores financeiros com históricos;
  • Comparar indicadores de nível de satisfação com históricos;
  • Analisar indicadores e avaliar tendências dos indicadores;
  • Sugerir ações para promover melhorias ou reverter tendências negativas;
  • Divulgação Corporativa dos Níveis de Serviço alcançados pelo Processo de Testes;
Versionamento do Processo de Teste
  • Versionar todos os artefatos produzidos durante o processo de testes;
  • Versionar todos os fontes empregados na automação dos testes;
  • Versionar todos os fontes empregados nos simuladores;
  • Versionar todas as ferramentas de produtividade empregadas nos testes;
  • Versionar todos os instrumentos de limpeza e instalação do ambiente de testes;
  • Versionar todos os elementos necessários para aplicar os casos de testes gerenciados;
  • Garantir uma única configuração que garanta a recuperação de todos os artefatos de testes;
  • Garantir uma rápida e precisa recuperação dos testes, no caso de “testes emergenciais”;
Avaliação Final e Melhoria do Processo:
  • Avaliar os riscos planejados e os que foram concretizados;
  • Avaliar a performance do projeto em relação aos históricos existentes;
  • Atualizar Plano de Melhoria Contínua;
  • Comunicar a Finalização da Etapa de “Encerramento do Processo”; (interna)

Definição das Responsabilidades

Neste diagrama, está a representação dos papéis e responsabilidades para cada grupo de atividades envolvido na Etapa de “Encerramento do Projeto”.

Mapeamento dos Artefatos

Nesta representação, estão destacados os “artefatos de entrada” exigidos como premissa para que cada macro-atividade possa ser realizada. Também são destacados os “artefatos de saída” produzidos como resultado da atividade.

É isso, espero que tenham gostado.

Até a próxima!

Deixe um comentário! 3

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

  1. Boa tarde Alexandre Bartie!
    O meu nome é Jussara e tenho uma pergunta sobre como aplicar os metódos progressivos e regressivos.
    Quando uma nova versão está para ser liberada, mas antes, o software está no processo de testes.
    Um responsável indica as correções ou novas funcionalidades. O mesmo indica o resultado esperado.
    O Tester aplica os testes regressivos: (verificar o que estava ok se continua.
    Depois aplica os testes progressivos: (verificar se o que está sendo implantado/corrigido está correto de acordo com o resultao esperado).
    Ao aplicar dessa forma posso considerar que ocorreu o processo citado em seu blog?
    Agradeço a atenção desde já.

  2. Boa tarde Alexandre Bartie!
    O meu nome é Jussara e tenho uma pergunta sobre como aplicar os metódos progressivos e regressivos.
    Quando uma nova versão está para ser liberada, mas antes, o software está no processo de testes.
    Um responsável indica as correções ou novas funcionalidades. O mesmo indica o resultado esperado.
    O Tester aplica os testes regressivos: (verificar o que estava ok se continua.
    Depois aplica os testes progressivos: (verificar se o que está sendo implantado/corrigido está correto de acordo com o resultao esperado).
    Ao aplicar dessa forma posso considerar que ocorreu o processo citado em seu blog?
    Agradeço a atenção desde já.

leia mais