/Marketing Digital

voltar
/Marketing Digital

O que são redes sociais corporativas e quais são suas vantagens?

PorRafael Ramos em

redessociais1 300x224 o que são redes sociais corporativas e quais são suas vantagens?

O termo organizações que aprendem foi criado por Peter Senge, no livro “A Quinta Disciplina”. Esta definição reflete a capacidade de cada empresa aprender e gerar valor através da colaboração.

Quando falamos sobre colaboração, sempre esbarramos no assunto do momento – as redes sociais! Após o boom das redes para uso pessoal, e também as redes sociais específicas (para networking e interessados num mesmo tema), surge uma nova modalidade: as redes sociais internas, mais conhecidas como redes sociais corporativas.

O que é uma rede social corporativa?

Redes sociais são plataformas online que reúnem pessoas em torno de um interesse. Já as redes sociais corporativas reúnem também em uma plataforma online profissionais, clientes, fornecedores e parceiros. Em alguns casos, as redes sociais corporativas reúnem apenas os profissionais, sem expandir o acesso para fora da empresa.

Quais são as vantagens?

  • Inovação: Integrar colaboradores, fornecedores e clientes num mesmo ambiente é buscar feedback, envolver o cliente nas decisões e, principalmente, incentivar a inovação em todas as esferas.
  • Colaboração: Diversas empresas já estão buscando alternativas ao e-mail (vide o exemplo da Atos Origin descrito em um artigo publicado no Gestão etc.). Disponibilizar o conhecimento crítico de sua empresa em uma rede social corporativa é a melhor forma de incentivar a colaboração entre seus funcionários.
  • Disponibilidade: Uma rede social corporativa permite que as informações estarão disponíveis em tempo real a todos os envolvidos, sem a dependência dos e-mails.
  • CRM 2.0: Trazer o cliente para sua rede social corporativa é torna-lo mais fiel ao seu produto, além de possibilitar a interação com ele, ouvir sua opinião, e criar novos produtos que atendam às suas reais necessidades.

Conclusões

redes sociais 300x199 o que são redes sociais corporativas e quais são suas vantagens?

As redes sociais internas vieram para ficar. A necessidade de colaboração, juntamente com a possibilidade de maior integração entre empresa e cliente, transformam as redes sociais corporativas em grande aliada das empresas que querem largar na frente com algo inovador e diferenciado.

Existem diversas ferramentas no mercado que possibilitam criar uma rede social interna em poucos minutos. Confira algumas dicas que selecionei e veja qual se encaixa melhor ao perfil da sua empresa:

Ning.com: Ferramenta global que possui traduções para vários idiomas. Oferece 30 dias de avaliação e planos que variam de R$ 9 a R$ 99 mensais.

SuaRede: Primeiro serviço brasileiro de redes sociais privadas. Oferece 30 dias de avaliação grátis e um único plano completo por R$ 99 mensais. Possui funcionalidades específicas para empresas, igrejas, fã-clubes, academias, bandas e condomínios.

Yammer.com: Em inglês, sem tradução para o português. Foca somente em redes sociais para empresas, mas oferece um plano grátis com muitas limitações. O plano pago custa US$ 5 por usuário, o que tornaria o serviço muito mais caro.

Lotus Connections: Ferramenta da IBM customizável para cada necessidade. No site não informa o custo.

Agora compartilhe conosco: sua empresa já possui uma rede social corporativa? Conhece outras ferramentas diferente das listadas acima?

Deixei seu depoimento abaixo nos comentários como usuário e também opine sobre os benefícios dessas redes sociais. Colabore com novas sugestões e participe!

Deixe um comentário! 50

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

  1. Oi Rafael!
    Muito bom o texto, tb acho que as redes sociais corporativas vieram para ficar, elas facilitam muito a vida no trabalho!

    Na agência onde trabalho usamos a Zyncro (www.zyncro.com.br) eu acho fantástica pq além de oferecer essa interface de rede social, as funcionalidades e tal, ela é integrada com as redes sociais de massa. Acho isso super importante pq as coisas estão cada vez mais interligadas.

  2. Rafael,

    A TOTVS criou uma rede social corporativa também o ByYou (www.byyou.com.br), o interessante dela que a ferramenta apresenta dois perfis: um pessoal e outro corporativo, podendo ter comunidades e assuntos conforme o perfil.

    O interessante disto é a utilização em massa na entrega de informação, ou seja, tudo que é necessário é apresentado e discutido nas comunidades, facilitando a solução de problemas que acontecem diariamente.

  3. Eu acho que essas redes são úteis no trabalho, mas elas nunca farão frente a uma rede social mais pessoal, como o Facebook.

    Márcio, acho que essa idéia da TOTVS não funciona na prática. Pq as pessoas deixariam de usar sua rede social pessoal pra usar a sua? A parte corporativa OK, mas pessoal…

  4. Poka, obrigado por sugerir outra rede social. Como falei, as redes sociais corporativas vieram para ficar e o mercado demandará naturalmente mais opções.

  5. Márcio, trabalho em uma das franquias da Totvs mas atualmente o ByYou ainda não está disponível para nossa franquia. Espero em breve poder avaliar a ferramenta. De qualquer forma, a ideia é fantástica.

  6. Tatiana, concordo com você quando você fala das redes sociais de massa. Uma rede social privada (ou corporativa) nunca irá substituir um Facebook, por exemplo. Porém, da mesma forma que um Facebook consegue atingir um número maior de usuários, menor é a segmentação. O que as redes privadas trazem de benefício é justamente essa possibilidade maior de controle, privacidade e a garantia que somente pessoas interessadas num determinado tema participem.

  7. Eu concordo, Rafael, mas eu acredito que cada uma deve ter seu espaço, rede corporativa e rede pessoal. Minha crítica foi em relação a essa proposta da plataforma da TOTVS de ter uma opção de perfil corporativo e outro pessoal. Rede corporativa não é pra ter perfil pessoal, pra isso existem as redes como o Facebook. Integrar as ferramentas tudo bem, mas ter um perfil corporativo e outro pessoal dentro da rede corporativa… Não vejo motivo.

    MUITO BOA a apresentação do Ricardo! Parabéns!

  8. Rafael, parabéns pelos artigo. Entre as soluções que você citou estou usando a SuaRede (www.suarede.com.br). Fui usuário do Ning da época que era free, mas acabei migrando em função do preço e qualidade do suporte. Concordo com a Tatiana, que este tipo de rede nunca será uma opção para uso global.

  9. Tatiana,

    Essa discussão é boa e talvez valha um artigo para ela: será possível no presente ou num futuro próximo a diferenciação de plataformas sociais pessoais e profissionais? Ou existe uma tendência de união desses dois conceitos?

    O que a Totvs faz nada mais é do que apostar nessa união. Minha opinião: o desafio será enorme, uma vez que quem entra numa rede pessoal não deseja falar de trabalho, e vice-versa.

    Pense há 5 anos atrás: era impossível imaginar que outra pessoa da empresa soubesse o que você pensa fora da empresa (e hoje sabe, te seguindo no Twitter), visse suas fotos pessoais (e hoje vê, no Facebook) etc.

    A discussão é boa mas foge um pouco do contexto do artigo em questão. Que tal um post coletivo sobre o assunto no meu blog? http://www.gestaoetc.com.br

    O convite está feito!

  10. Marcela, obrigado por sua participação neste espaço.

    É muito bom saber que estão nascendo outras soluções alternativas ao Ning e que oferecem diferenciação não somente no preço.

    Como está sendo sua experiência?

  11. Aceito o convite, Rafael!
    Vou entrar em contato com você por e-mail para alinharmos isso, o tema realmente é bom e vale a discussão :)

  12. Rafael e Tatiana,

    Gostei da discussão de vocês e gostaria de acrescentar algumas coisas…

    Há alguns anos atrás, rede social era sinônimo de lazer e uso pessoal. Acredito que um dos motivos que levou o Orkut a entrar em declínio foi esse, pois o mesmo não conseguiu embutir o conceito de uso corporativo.

    Já no Facebook, talvez mais por um amadurecimento do conceito do que por mérito da própria ferramenta, o mundo corporativo captou a oportunidade de se aproximar de seus clientes e entrou de cabeça na rede. Na minha opinião, isso criou um efeito cíclico: as pessoas entram no Facebook porque encontram tudo por lá e as empresas entram no Facebook porque o público está lá.

    Com isso, o comportamento pessoal já começa a apresentar modificações e a própria rede começa a oferecer recursos de privacidade. O mundo pessoal e o profissional estão se encaixando, se adaptando para existirem em um mesmo ambiente. A meu ver, prova disso é o sucesso de uma rede social como o LinkedIn e, mais ainda, o tão elogiado recurso Cicles do Google+.

    As redes corporativas estão chegando para ficar e, pensando com meus botões, se tiver que apostar em uma opção, eu apostaria que pessoas e corporações aprenderão a conviver cada vez mais em um mesmo ambiente social digital!

    Abraços a todos!

  13. Gustavo,

    Eu concordo em parte, realmente o grande mérito do Facebook sobre o Orkut são suas funcionalidades, entre elas, ter percebido a força do corporativo. Mas acho que a presença das corporações nas redes pessoais acaba sendo algo mais promocional e não usual, de fato.

    O uso de uma plataforma corporativa vai além disso, é linkar a empresa, tornar o trabalho colaborativo, como as funcionalidades da rede social pessoal, voltadas para o trabalho.

    Dessa forma, não vejo como esses dois conceitos poderiam se unir. Há uma tendência de juntar cada vez mais vida pessoal e trabalho, mas isso já daria um terceiro post pro Rafael, hahaha!

    O debate está ótimo, abraços a todos!

  14. Muito interessante o texto e fácil entendimento. Pena que não pude ir na aula no dia em que o senhor falou à respeito desse assunto! Um abraço!

  15. Parabéns pelo Artigo Rafael. Sou grande entusiasta das redes corporativas infelizmente a iniciativa pública está um tanto que longe desta realidade.

    Acho interessante o fato das empresas, outrora acessíveis somente pelo temido e mal visto call-center, hoje rumarem no sentido de aproximar-se dos clientes. Mas não de uma forma corporativa e sim de uma forma menos formal que é hoje o mecanismo das redes sociais. Acredito que essa aproximação viabilizou a percepção de que o conhecimento colaborativo além de dinâmico e uma grande ferramenta de aumento da satisfação e por fim da qualidade dos serviços.

    Como contribuição gostaria de saber se talvez não fosse interessante que a rede corporativa em algum momento fizesse interseção com as redes sociais populares, permitindo assim a participação do cliente no processo produtivo. Alguém pensa que isso seria bom?

    Mais uma vez, parabéns pelo Artigo!

  16. Parabéns pelo artigo. Quero migrar minha rede do Ning para outra plataforma, o que você me indicaria? Você acha que do Yammer e da SuaRede?

  17. Rhuan,

    Particularmente, acredito que esse seja o caminho. Hoje você já tem notícias de empresas criando redes sociais privadas destinadas a seus clientes. Se não me engano, a Toyota anunciou recentemente o lançamento de uma rede desse tipo.

    Acredito que essas redes permitirão maior integração entre corporativo e pessoal. A rede social corporativa não terá uso exclusivo como intranet ou como base de conhecimento interno. Ela deverá oferecer diversos perfis, permitindo que colaboradores se aproximem de outros colaboradores e, principalmente, se aproximem de clientes. E os clientes, por sua vez, terão um contato mais próximo com a empresa e seus colaboradores, mas, tão importante quanto, terão maior proximidade com outros clientes, para que juntos possam ter maior participação no dia-a-dia das corporações.

    E, Tatiana, é nesse sentido, com essas múltiplas integrações, que acredito que se justifique uma rede como a da Totvs.

    Agora… será que isso tudo é apenas uma viagem minha, um exercício de futurologia ou algo realmente possível?

    E aí, o que acham?

  18. Rhuan,

    O caminho é esse. As soluções corporativas que citei acima (Ning, SuaRede e outras) já possuem integração com redes sociais convencionais (Twitter, Face, Google+).

  19. Mauro,

    Vou falar sobre as duas que conheço: Ning e SuaRede.

    O Ning é um serviço global, já consolidado e com milhares de clientes. Por outro lado, a maior reclamação que vejo nos fóruns de discussão é sobre o atendimento falho e demorado.

    A SuaRede, por outro lado, é mais voltada para o mercado brasileiro, possui as mesmas funcionalidades do Ning, e ouvi falar muito bem do suporte rápido e direcionado.

    As duas fornecem um período trial para você testar. Experimente as duas e volte para nos dizer suas impressões.

  20. Paulo,

    Não é à toa que as redes sociais corporativas também são chamadas de Intranet 2.0. Para qual plataforma você irá migrar?

  21. Rafael,

    Concordo que as redes sociais vieram pra ficar. Entretanto o cenário “agitado” atual limita muito o escopo da previsibilidade, dado o espírito volátil da Rede (vide Google+). Atualmente, vivemos um emaranhado de Redes Sociais gerando um cansaço no médio prazo; nesse momento creio que a simplicidade e a criatividade vencerá, só acompanhando pra ver. No âmbito corporativo, exceto pela usabilidade, ainda acho os fóruns uma alternativa mais prática, olhando a questão real de GC, mas as Redes não é algo para se ignorar nesse meio. Acredito que a próxima onda seja o “gesture” e aí quero ver como se comporta essa forma de interatividade e compartilhamento.
    Muito boa abordagem e artigo, grande abraço!

  22. Gostei do artigo. Acredito que o social não seja mesmo uma tendência, mas sim que seja a realidade. As ferramentas e as redes sim, vão e vem… Hoje eu conheço uma interessante que não foi citada, e vou relatar minha experiência.

    Eu conheço o Webcenter da Oracle. É uma solução para empresas grandes, com custo alto, mas pode por exemplo insisrir o aspecto social em aplicações que não contém esses recursos, como por exemplo inserir um Wiki em um sistema de suporte, ou inserir um fórum a uma aplicação de CRM que o Portal está consumindo.

    Além dessa facilidade, que eu só encontrei no Webcenter mesmo, tem todos esses outros recursos sociais de Blog, Wiki, Fórum, Perfil Social do colaborador, Extranet, etc… Eu uso aqui e planejo o desenvolvimento como consultor e posso dizer que não ví coisa parecida na área de Social Enterprise até hoje.

    Abraços

  23. Daniel,

    Obrigado pela sua participação. Interessante saber que a Oracle tem ferramentas sociais também. Realmente eu não conhecia.

    Gostaria de um exemplo de alguém que usa o IBM Lottus Connections. Você conhece o produto?

  24. Essa discussão tem sido muito boa. Recentemente participamos de uma oficina de comunicação interna. Em detrimento desta oficina, estamos formando um Grupo de Trabalho onde irei sugerir a criação de uma rede social corporativa.
    Esqueci de me identificar: sou o responsável pelo MKT do Senac-PB.

    Parabéns pelo artigo e pelas opiniões postadas.

    Abraços a todos

  25. Os Sistemas corporativos ERP direcionam a informação para a Organização. A tecnologia PRIMORY integra o Sistema ERP e direciona os resultados para o”DONO”do dinheiro

  26. Conheço outra rede social coorporativa que parece ser mais “completa” que as descritas acima. Tive uma apresentação deles na minha empresa e achei bastante interessante. Estou procurando este tipo de produto, se alguem souber de outras empresas que oferecem este servico, agradeco a indicação.

  27. Luis,

    Na PBTI Soluções, estamos utilizando o tibbr (pronuncia-se tiber e escreve-se em minúsculo mesmo), que é uma solução da TIBCO Software.

    O grande diferencial do tibbr é a possibilidade de não somente seguir pessoas, mas também assuntos, e os mesmos podem ser “alimentados” por informações corporativas, vindas de aplicativos de ERP, CRM, ECM da Oracle, SAP, Microsoft (Sharepoint), Salesforce, etc. A TIBCO utiliza o seu forte know-how na área de EAI para permitir a integração destes aplicativos com o tibbr nativamente.

    Além deste diferencial, o tibbr possui ainda um série de funcionalidades úteis em uma rede social corporativa: microblogging, diretório corporativo (perfis), vídeo-conferência, compartilhamento de desktop, chat, acesso a redes sociais pessoais, comunidades, voice memos, acesso via aplicativo celular, etc.

    Você pode conferir maiores detalhes do tibbr no site:

    http://pbti.webnode.com.br/conhe%C3%A7a%20o%20tibbr/o-que-e-o-tibbr-/

    Abraços.

  28. Olá, Rafael, parabéns pelo artigo! Hoje na minha empresa estão especulando a criação de uma rede corporativa, porém vejo que ainda não sabem bem o que fazer, qual o objetivo e finalidade que a mesma terá após implantada.
    Foram compradas algumas licenças da Yammer para um grupo de 100 usuários para testes, mas vejo que ainda é um plano ou até mesmo uma moda. Que a gestão da mesma e o seu obejtivo ainda não foi definido. Por exemplo: Qual departamento você acha que poderia ser o responsável pela mesma: TI? RH?
    Enfim, vejo que ainda estamos engatinhando…
    o que me diz sobre isso?
    abs.,
    Ana.

  29. Parabéns Rafael pelo artigo. Gostei bastante da abordagem e pelo que vi é um tema bastante polemico no bom sentido. É de fato uma ferramenta que vem a agregar no ambiente corporativo. Estou terminando minha graduação em sistemas de informação e estava pensando em desenvolver uma ferramenta deste tipo como tcc. Gostaria de saber se achar algo muito complexo para ser desenvolvido em um ano e quais aspectos você acha que poderiam ser adicionados que fariam a diferença sobre os produtos existentes.
    abraço!

  30. Oi boa Tarde Sr. Rafael gostaria de saber se vc teria algum tipo de artigo sobre o assunto que eu podesse implementar nos meu TCC me formo este ano e estou assim meio perdido ainda…

    Desde já grato Norton Costa Cambui
    Poté MG

  31. Ótima matéria!

    Concordo com a maioria, as redes sociais corporativas vieram para ficar e não será apenas uma “modinha”.

    Elas auxiliam no dia-a-dia das empresas. A empresa onde eu trabalho utiliza a “BLOCS – Intranet e Rede Social Corporativa” e ela possui diversas ferramentas que nos fazem abandonar algumas ferramentas do Google, como por exemplo o Google Agenda.

  32. Muito bom o artigo! Recentemente foi lançada a SocialBase (www.socialbase.com.br) que é bem do estilo do facebook e eles possuem um plano grátis para montar uma rede social corporativa.

  33. Boa tarde! Sou sócio em um escritório de advocacia e gostaria de criar uma página no Linkedin, acontece que não irão aceitar momentaneamente novas paginas empresariais. Assim, gostaria de uma sugestão de rede social voltada para o ramo do Direito Imobiliário Fundiário ou outra mais genérica. Segue meu link do site para maiores detalhes dos serviços que ofertamos. http://www.gestaofundiaria.com.br

    Grato

leia mais