/Marketing Digital

voltar
/Marketing Digital

Vamos pensar além do WWW

PorFelipe Morais em

Ano
passado, comecei a me dedicar muito ao estudo do conceito de Presença
Digital. Alinhei esse conceito ao meu conhecimento de planejamento estratégico
digital, mudando até os rumos das minhas palestras e aulas para esse tema
(disponível no meu slideshare.net/felipemorais2309), pois eu estou cada vez
mais analisando o quanto as pessoas estão fragmentadas na mídia, e isso é
importante para entendermos como impactá-las.

Na
década de 70, era muito fácil fazer um plano de mídia. Existiam 5 emissoras de
TV, umas 10 rádios, 5 ou 6 jornais e revistas, e pronto. O profissional tinha
pouco o que inventar, pois o público dele estava ali. Hoje, existem mais de 100
canais de TV a cabo, 2,2 milhões de URLs .com.br, mobile, Facebook, Orkut,
games, blogs, buscadores, mais de 10 mil rádios, 4 mil revistas e por aí vai. Vivemos
uma época em que a produção de conteúdo está cada vez mais fácil. Qualquer um
pode sentar na frente do computador, escrever um post, um artigo, ter um blog,
ter um canal em alguma ferramenta social e assim sucessivamente. Há 20 anos, quem formava
a nossa opinião era o Cid Moreira. Hoje qualquer um de nós forma opinião.

Pensar
além do WWW é ter esse conceito de fragmentação na cabeça e entender que o
consumidor não está mais apenas no site da marca, o site da marca é o porto
seguro dele, mas não é ali que a marca vai conseguir impactá-lo. Quando ele
chega ali, ele já foi mais do que impactado.

É
preciso entender que o consumidor na internet, sendo ele um e-consumidor ou
apenas um usuário que não compra, está em diversos canais da web, não apenas nas redes sociais, mas em games, blogs, sites segmentados, recebendo e-mail,
trocando mensagens com seus amigos via MSN e por aí vai.

Quando
nós, planners digitais, pensamos em uma ação para uma das marcas com as quais
trabalhamos, pensamos em como a nossa mensagem será altamente relevante para o
nosso consumidor se interessar em querer saber mais sobre a nossa marca, mas
devemos pensar que uma ação no YouTube tem um jeito de ser feito e
consequentemente uma resposta, assim como no Twitter, em um game ou no blog
mais popular de um determinado assunto.

As
pessoas estão cada vez mais fragmentas, isso é fato. Estamos consumido, às
vezes, mais do que 4 mídias ao mesmo tempo. No momento em que escrevo este
artigo, estou com meu e-mail, Facebook, Twitter e iTunes abertos. Celular ao
lado, claro. Olha quantas oportunidades de as marcas me impactarem, afinal, sou
perfil de algumas. Acredito que você, amigo leitor, está lendo este artigo com
pelo menos mais uma ferramenta aberta, podendo ser alguma rede social sua ou
mesmo um blog da sua preferência, isso é normal, recebemos mais de 5 mil
mensagens por dia.

Ser
relevante está cada vez mais difícil, mas é necessário. Entender que o consumidor
não está só no seu site é mais necessário ainda, pois temos que analisar onde ele
está, o que deseja, o que quer e como vamos responder aos seus desejos para
trazê-lo ao site da nossa marca.

Pense
sempre em ir além do site, ir além do WWW, pois o consumidor da marca que você
trabalha já pensou nisso há muito tempo!

 

Deixe um comentário! 0

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

leia mais