Seções iMasters
Mercado + Tendências

Pesquisa analisa inclusão digital com ajuste dos sistemas computacionais

A Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) desenvolveu uma pesquisa com o objetivo de alcançar um acesso participativo e universal do cidadão brasileiro ao conhecimento digital. A iniciativa foi feita para tratar da necessidade de criação de sistemas computacionais que possam ser usados por pessoas com diferentes perfis, independe da capacidade física, sensorial e cognitiva.

Por meio de uma atividade participativa com um grupo heterogêneo de pessoas de diferentes idades, graus de letramento e habilidade no uso do computador, a professora Vania Neris, do Departamento de Computação da UFSCar, e a docente Maria Cecília Baranauskas, da Unicamp, puderam perceber as diferentes necessidades de interação e como as pessoas gostariam que as interfaces de usuário fossem desenhadas.

Aqueles que desconheciam o uso do computador e tinham dificuldades para usar a barra de rolagem, escolheram, por exemplo, elementos de apoio à movimentação na interface. Já os que possuem mais habilidade não precisaram desses recursos. “Assim, é possível pensar em aspectos de flexibilidade para ajustar os sistemas computacionais, favorecendo a inclusão digital e se aproximando do conceito do design universal, ou seja, aquele que atende o maior número possível de pessoas”, aponta a professora da UFSCar.

Segundo Neris, o trabalho propõe o uso de normas para apoiar a modelagem e a formalização desses diferentes “comportamentos” que os sistemas computacionais podem ter de acordo com o contexto de uso.

Essa abordagem foi testada no sistema Vila na Rede, rede social inclusiva que faz parte do projeto “e-Cidadania: Sistemas e Métodos na Constituição de uma Cultura mediada por Tecnologias de Informação e Comunicação”, coordenado pela professora Cecília Baranauskas da Unicamp. Informações adicionais sobre o projeto estão disponíveis no site www.nied.unicamp.br/ecidadania.

O trabalho desenvolvido pelas professoras gerou o artigo “Making interactive systems more flexible: an approach based on users' participation and norms”, premiado como melhor artigo científico na nona edição do Simpósio de Fatores Humanos em Sistemas Computacionais, realizado em Belo Horizonte, de 5 a 8 de outubro. O IHC é o principal evento científico da área de Interação Humano-Computador do Brasil e é promovido pela Sociedade Brasileira de Computação.

Qual a sua opinião?