Seções iMasters
Certificações

DicasLPI 103.1 – Trabalhar na linha de comando

Dando continuidade aos nossos objetivos, iremos abordar sobre como trabalhar na linha de comando. Vamos detalhar o tema e apresentar as melhores práticas dentro do assunto.

A maneira mais comum de um usuário ou administrador interagir com um sistema Linux é através da linha de comando. A mesma apresenta um prompt do shell, indicando que o sistema está pronto para ser utilizado, podendo o prompt ser apresentado com $ indicando que é usuário comum ou caractere #, indicando ser usuário root.

Shell

É o módulo que atua como interface entre o usuário e o sistema operacional. Possui um conjunto de comandos internos (built in) que permite ao usuário solicitar serviços do sistema operacional. Implementa também uma linguagem de programação que dispõe de comandos de decisão, de controle de fluxo, funções etc, permitindo a elaboração de pequenos programas, denominados shell scripts.

O shell é um programa independente do kernel favorecendo, assim, o desenvolvimento de vários shells ao longo da história do Unix. Entre os programas interpretadores de comandos pode-se destacar o bash, ash, csh, tesh, sh.

O que é o Bash

É um dos vários shell’s disponíveis em diversas distribuições Linux, em algumas sendo o padrão. O Bash, cujo nome é um trocadilho para homenagear Stephen Bourne, foi desenvolvido para uso no projeto GNU, criado por Richard Stallman, da Free Software Foundation (FSF). Seu propósito é desenvolver um sistema operacional compatível com o Unix e substituir todos os seus utilitários comerciais por utilitários distribuídos gratuitamente. O Bash, como shell-padrão do sistema GNU, nasceu oficialmente em 10 de janeiro de 1988.

Modos de operação do Bash

  • Interativo – O prompt é exibido, indicando que o shell está aguardando comandos digitados pelo usuário;
  • Não-Interativo - São utilizados arquivos de comandos (scripts) criados pelo usuário para serem executados na ordem encontrada no arquivo de script;
  • Restrito – Modo de operação na qual o Bash atua em ambiente mais controlado do que o padrão.

Uma característica interessante do Bash é que ele possui a função de auto-completar os nomes de comandos que foram digitados via entrada padrão. Isso é feito pressionando a tecla TAB; o comando é completado e acrescentando um espaço. Funciona perfeitamente para comandos internos e caso o comando não seja encontrado, o Bash emite um beep.

Teclas de edição básica

As teclas de edição básica tem como finalidade “agilizar” os trabalhos de usuários ou administradores na utilização do terminal.

  • Ctrl + B – Move o cursor um caractere para a esquerda
  • Ctrl + F – Move o cursor um caractere para a direita
  • Del – Elimina o caractere sob o cursor
  • Ctrl + D – Equivalente à tecla Del
  • Backspace – Elimina o caractere à esquerda do cursor
  • Ctrl + _  – Desfaz a última edição efetuada
  • Ctrl + X Ctrl + U – Equivale a Ctrl + _
  • Ctrl + A – Move o cursor para o início da linha
  • Ctrl + E – Move o cursor para o final da linha
  • Ctrl + l – Limpa a tela
  • Alt + F – Move o cursor para a palavra à direita
  • Alt + B – Move o cursor para a palavra à esquerda

Com isso, iniciamos nossos estudos de como trabalhar na linha de comando. No próximo artigo daremos continuidade ao assunto.

Comente também

1 Comentário

Qual a sua opinião?