Seções iMasters
Desenvolvimento

Ideias para automação residencial com Arduino

Desde que o Arduino surgiu, em 2005, as criações “faça você mesmo” – do inglês do it yourself  ou simplesmente DIY – nunca mais foram as mesmas. Esse hardware livre mudou a forma como as pessoas inventam coisas ao possibilitar as mais diversas aplicações. São projetos de arte eletrônica, robôs dos mais diversos tipos e projetos com interfaces criativas que operam a partir de sensores dos mais diversos tipos. O limite é a criatividade dos makers, ou fazedores, por trás de cada projeto. Cada placa tem suas características próprias, como número de entradas, número de saídas e quantidade de memória, mas, por se tratar de uma plataforma aberta, todos e quaisquer tipos de melhorias e modificações são possíveis.

Nesse contexto, a tão sonhada automação residencial amplamente difundida pelo desenho Os Jetsons, da década de 1980, vem se tornando uma realidade e um hobby para fazedores no mundo todo. Com o Arduino, é possível construir diversas aplicações que trazem a robótica e a computação pra dentro de nossas casas. Essas possibilidades fizeram surgir inclusive o termo domotics, que significa home robotics, ou robótica doméstica. Confira a seguir algumas ideias de projetos de outros fazedores para automação residencial construídas com a plataforma Arduino.

Um café com um tweet

Quem nunca sonhou em ter o café quentinho e pronto naquele momento exato da manhã ou logo depois do almoço? Este projeto permite que você envie um tweet com uma hashtag específica para uma cafeteira que preparará a bebida. Batizado de Tweet-a-Pot, o projeto requer apenas quatro componentes: uma cafeteira elétrica, uma placa Arduino de qualquer modelo, uma chave controlada do modelo PowerSwitch Tail II e um computador. A chave controlada PowerSwitch Tail nada mais é que uma pequena extensão elétrica dotada de um interruptor que é ativado por um sinal elétrico externo. Uma ponta dela vai ligada à tomada e a outra ao eletrodoméstico que você quer controlar. Por meio de um sinal elétrico enviado para a chave, você pode comandá-la a abrir ou fechar, ligando ou desligando o eletrodoméstico que estiver conectado.

arduino-cafe

A lógica de funcionamento é simples: um pequeno programa escrito em Python, rodando no computador, se autentica com os servidores do Twitter e fica em loop consultando sobre as atualizações de um usuário, que foi criado especificamente para o projeto. Toda vez que ele encontra um novo tweet, o programa lê a mensagem e procura pela hashtag, por exemplo “#querocafe”. Se encontrada, ele avisa o Arduino, que também está conectado ao computador, que o usuário quer que a cafeteira seja ligada. O Arduino, por sua vez, envia o sinal ao PowerSwitch dizendo que ele deve ligar a cafeteira. Se tudo der certo, depois de alguns minutos, o café estará prontinho e bem gostoso.

Uma solução simples, mas bastante engenhosa! Confira as instruções completas aqui.

Aguar as plantas

Você vai ficar um mês viajando de férias e não quer que suas plantas morram de sede? Com este projeto, é possível programar o Arduino para regar as plantas na periodicidade que desejar. Ou melhor ainda: além de molhar as plantas, você pode, com o mesmo sistema, controlar o nível de iluminação que os vegetais recebem dentro de casa, ativando luzes quando necessário.

garduino

O nome desse projeto é Garduino, uma mistura de gardner – jardineiro em inglês – com Arduino. Para construí-lo é necessária uma placa Arduino, dois relês e alguns sensores, como uma célula fotoelétrica para medir a intensidade da luz, um termistor para a temperatura, e pregos galvanizados para checar a umidade do solo. Montando o circuito corretamente e ligando os relês de modo a controlarem uma bomba d’água e lâmpadas, o sistema pode decidir em quais situações as plantas precisam de mais água ou mais luz e acionar cada uma das cargas. Se você se interessar, dê uma olhada na página do projeto com instruções detalhadas no Instructables.

Alarmes personalizados

Outra possibilidade de automação residencial com Arduino são os alarmes. Com sensores de presença, é possível detectar intrusos e disparar avisos. Já os sensores de fumaça e calor podem identificar inícios de incêndios e, se for o caso, acionar o corpo de bombeiros local ou enviar uma mensagem para o seu celular. A realidade é que você pensar no tipo de alarme que quiser para sua casa e criá-lo você mesmo com essa plataforma e um pouco de eletrônica.

Um bom exemplo é o projeto de um alarme disparado por movimento que utiliza um desses sensores passivos de infravermelho, ou PIR – passive infrared – como são conhecidos no meio técnico. Eles são aqueles utilizados para acender as luzes do hall do elevador quando tem alguém por ali. Basicamente, o sensor mede a quantidade de radiação infravermelha naquele ambiente. Como todo objeto que está com a temperatura acima do zero absoluto emite radiação infravermelha, quando alguém entra no hall, o sensor percebe uma mudança na radiação naquele lugar e dispara o circuito para acender a lâmpada por um determinado período. No projeto em questão, a ideia é usar um desses sensores ligados a um Arduino para disparar um sinal sonoro quando uma mudança for detectada pelo sensor. Trata-se de um projeto bem simples, mas que é um bom começo para você se familiarizar com os conceitos de entradas e saídas da plataforma Arduino. Veja instruções detalhadas aqui.

Estas são apenas algumas das possibilidades que fazedores do mundo inteiro começam a desbravar com o Arduino. E você? Já pensou em automatizar sua casa? Por onde você começaria? Conte para nós nos comentários.

Artigo publicado originalmente no Fazedores.Com – http://blog.fazedores.com/ideias-para-automacao-residencial-com-arduino/

Mensagem do anunciante:

Torne-se um Parceiro de Software Intel®. Filie-se ao Intel® Developer Zone. Intel®Developer Zone

Comente também

1 Comentário

Qual a sua opinião?