Os 10 ajustes necessários para implantar redes sociais corporativas com mais eficácia e menor custo

Carlos Nepomuceno
em Tendências

Humanices: em plena sociedade do conhecimento, ninguém tem mais tempo de parar para pensar – Nepô – da safra de 2012.

São eles:

  1. Encarar a migração para as redes sociais digitais como futuro inevitável, tendo a noção de que quanto mais tempo demorar, maior será a taxa de risco e menor o das oportunidades.
  2. Passar a ver a própria organização como uma grande rede social com problemas de eficiência para inovar e se reinventar diante da velocidade e complexidade de mudanças do novo século.
  3. Compreender que o novo ambiente de circulação de ideias fará a organização obrigatoriamente rever princípios e ampliar o diálogo honesto com os diferentes stakeholders, a partir de forte mudança cultural induzida pela tecnologia cognitiva, que altera nossa forma de pensar e agir.
  4. Alinhar tal macro-mudança ao planejamento estratégico.
  5. Envolver profundamente a alta direção no processo.
  6. Criar um grupo executivo multidisciplinar e multisetorial para coordenar as ações de implantação entre as diferentes iniciativas internas e externas, que envolve a gestão como um todo e as sub-gestões: de informação, de conhecimento, de inovação, de educação, de comunicação etc.).
  7. Adotar métricas de resultados que priorizem o aumento da taxa de eficiência, valor e competitividade da própria organização.
  8. Implantar normas, métodos e tecnologias que tornem obrigatório e involuntário o compartilhamento dos arquivos de trabalho, reduzindo o tempo de recuperação e cada vez mais a reciclagem e a inovação da base de conhecimento.
  9. Adotar normas, processos, métodos e tecnologias que permitam reduzir o trabalho de baixo valor agregado, com o uso de novos métodos e tecnologias das redes sociais digitais.
  10. Adotar a sequência de implantação, pela ordem: aumento da eficácia de processos nas sub-redes de ação e de informação, via compartilhamento compulsório e, só então, implantar novas sub-redes de comunicação e relacionamento, através da colaboração voluntária.

Que dizes?

Carlos Nepomuceno

é Consultor estratégico de Internet, incentivador de inovação disruptiva digital, publica originalmente em nepo.com.br e divulga no Twitter @cnepomuceno (Twitter) e facebook.com/carlos.nepomuceno, além do canal do Youtube: http://www.youtube.com/user/cnepomuceno http://meadiciona.com/nepomuceno/

Comentários

Para comentar no iMasters você precisa estar logado.

O iMasters possui mais de 13 mil textos publicados, em 13 anos já somos uma comunidade de mais 350 mil pessoas. Cadastre-se agora mesmo GRATUITAMENTE e tenha acesso a todo o mundo iMasters.

Já tenho conta Quero me cadastrar
  1. Concordo! Acredito que muitas empresas resolvem adotar as redes sociais sem um planejamento prévio. Para fins corporativos, para informar e integrar a equipe, acho que uma solução mais viável do que apostar em redes sociais públicas é adotar uma plataforma própria, customizada para as necessidades da empresa. Uma plataforma nacional que faz isso muito bem é a SuaRede http://www.suarede.com.br

Este projeto é mantido e patrocinado pelas empresas: