Seções iMasters
Carreira + Framework + JQuery

Não use jQuery! Não aprenda qualquer framework antes de…

…conhecer o mínimo da linguagem base em que esse FW foi escrito! E por isso que existem tantos desenvolvedores se enrolando… Tentam usar bibliotecas, frameworks e ajax antes de aprender o básico.

Aprender CodeIgniter, Kohana, CakePHP, Smarty…antes de aprender php é loucura! Ninguém faz curso de ZendFW sem nunca ter programado php. Primeiro se aprende php e depois vai para um FW. Então por que inverter os papeis com JavaScript?

Ok, a curva de aprendizado do jQuery (assim como dos demais fws) é menor, e se aparecer um problema?

Aí, aquele desenvolvedor que optou por começar com o framwork sem antes passar pela linguagem base começa a ter dúvidas básicas de programação. O FW não resolve tudo para ele. Só vai facilitar o trabalho se ele não se enrolar com os conceitos fundamentais.

Já vi gente pedindo plugin jQuery para descobrir o que está na url. Veja, ele não queria e nem precisava fazer um parser da querystring, só precisava saber o que estava lá. Não sabia da existência do documen.location e das diversas propriedades desse objeto.

Outro cara ainda, não queria usar o document.createElement(), ele insistia em querer fazer com jQuery! Ok, existe plugin pra isso!! Mas pra quê? O método nativo da linguagem já é tão bom! Vamos deixar para o FW, o que deve ser do FW. Ficar inchando nosso documento de plugins só vai detonar o tráfego. Usar plugins e FWs, onde não é necessário, só vai deixar nossa aplicação mais lenta!

Um outro caso: respondi a dúvida do desenvolvedor, que era super simples, usando apenas js e eram 3 ou 4 linhas de código. Ele testou, disse que funcionou e depois pediu para ver como ficaria aquilo em jQuery. Era idiota reescrever 4 linhas de js, usando o FW e nem dava! Percebi que ele pensava: “JavaScript estava ultrapassado e ele pretendia fazer da forma moderna.”

O mesmo ocorreu com AJAX: a dúvida estava resolvida, e o cara pediu para ver como ficaria em AJAX! E era tudo apenas javascript puro, não havia o menor motivo para ir no servidor e voltar. Nesse momento, começa a surgir uma confusão de papéis. Gente achando que AJAX é uma linguagem, que precisa enfiar jQuery em tudo…

Já vi tópico começar ‘sobre AJAX’ e terminar apenas com php puro! O cara queria colocar uma requisição assíncrona onde não precisava. Completa inversão de valores e pura falta de conhecimento, certo?

Sou totalmente contra os desenvolvedores que que começam a aprender linguagens server-side sem antes terem algum contato com HTML. Isso é básico! Programando web precisamos de HTML, é a linguagem padrão que vai possibilitar todo o resto. O teu php, asp, java.. vai gerar HTML mais cedo ou mais tarde.

Eis que começam a surgir dúvidas bobas. O cara vai fazer uma listagem de produtos para uma loja virtual e não sabe como colocar um produto do lado do outro. Isso é porque ele não sabe HTML, muito menos CSS! Sem entrar no mérito da divisão de trabalho, FrontEnd, BackEnd… ao menos um pouco da linguagem do outro, era bacana.

Em agências pequenas ou como freelancer, muitas vezes acontece de o mesmo profissional fazer ambos trabalhos, /(Front|Back)End/. Alguns passos são importantes e devem ser respeitados. Comece do básico, evolua, e aí sim vá para o além!

Antes de tudo, você recebe aulas de Lógica de Programação e Programação Básica, certo? Deveria ser assim, mas me assusta ver a quantidade de programadores que tem no mercado que não possuem essa base na formação.

Pra mim deveria ser assim: todo programador deveria obrigatoriamente estudar alguma linguagem de programação de baixo nível!

Alguns programadores não conhecem a diferença ou nem sabem que existe!

Não, não estou sendo arcaico. Estou sendo realista. O conhecimento adquirido ao fazer algo em Assembly por exemplo, é extraordinário. Se todos passassem por essa experiência, não teríamos tanto lixo sendo criado. Não precisa se tornar sênior, nem ser ótimo em HTML e CSS, nem defender tese de mestrado em lógica. Mas coisas como tipagem, declaração de variáveis, coletor de lixo e escopo… que faltam em vários programadores php e js que conheço. Vejo pessoas nos fóruns declarando uma function e achando que ela será executada só com isso, sem ele fazer uma chamada a ela.

Ponto importante: não ser dependente do Framework. Aprenda a fazer com ele, mas sem também!

E se a sua empresa resolver mudar de paradigma, ou você mudar de trabalho e lá usarem outros, ou nenhum? Como fica?

Você novamente vai gastar um bom tempo reaprendendo outra ferramenta que poderia ser muito menor, se tivesse alguma idéia de como essas ferramentas fazem o que fazem.

A Inversão de Controle pode ser a tua amiga. Conheço todos os “bons motivos” de se usar um FrameWork e o meu ponto é: não comece por ele, vá evoluindo e aprendendo a base!

Até a próxima!

Mensagem do anunciante:

Curso ao vivo de WordPress: Aprenda a gerenciar conteúdo no CMS mais popular do mundo com o Apiki WP Cursos. Vagas limitadas, matricule-se agora. Cursos Apiki

Comente também

132 Comentários

Wellington

Assino embaixo o que você disse, sou programador de interface e não gosto de usar jquery, tento fazer meus scripts o mais simples possível e acabo aprendendo coisas novas,
fora que existe muito preconceito com quem programa em javascript, o pessoal não considera você um programador, mas eles esquecem que essa linguagem esta presente em quase todas as páginas da web.
Sempre tive vontade de aprender Assembly, já fiz algumas coisas bem simples e todo mundo diz que é inútil aprender algo tão antigo, eu já não acho, você sabe se existe algum curso no Brasil?

Att.

    Ricardo Oliveira

    Wellington tambem gostaria de aprender alguma coisa sobre assemblyse puder postar algum artigo introdutorio.Grato.

    Flávio Vinícius

    http://www.numaboa.com/informatica/tutos/assembly
    Tem uma série de artigos bastante interessantes sobre o velho Assembly.

    José

    Assembly vc pode aprender em técnico de eletrônica e afins, pois há uma matéria de programação para PIC, lá eles estuda assembly e um pouco de C… pra quem quer conhecer a linguagem é um ótimo começo

Diogo

Concordo em gênero, número e grau!

O ambiente web tem diversos tipos de profissionais, mas hoje, há uma demanda pelo profissional “sabe-tudo” e isso é difícil de encontrar.

As empresas querem que designers, que não possuem nenhuma formação ou conhecimento de computação, desenvolvam algoritmos e sistemas como se fossem analistas/desenvolvedores.

E por isso, vemos esse tanto de sistema, principalmente em PHP, bugados e cheios de problemas. Eles acham que PHP é como HTML, uma linguagem de marcação, que após uma lida em uma apostila, irão sair programando.

Os bons desenvolvedores começaram no básico, que é a lógica de programação. Linguagem é apenas uma ferramenta, vc tem que ser bom é em “quebrar-a-cuca”.

Heloisa Biagi

Confesso que a princípio não gostei do título imediatista “Não use jQuery”, mas depois de ler o artigo, tenho que concordar com o autor. Eu comecei com o básico de lógica de programação e Javascript, para depois aprender jQuery. Hoje trabalho com jQuery por causa do CMS escolhido pela empresa e também porque o framework torna o desenvolvimento muito mais ágil e rápido (isso é fato inegável). Porém, se minha empresa quiser migrar para o Joomla e usar MooTools, bem, a base da linguagem eu já tenho, só preciso mesmo aprender um novo jeito de fazer as velhas coisas. O mesmo se aplica a qualquer framework de qualquer outra linguagem.

Paulo

Olá Willian,

É pra quem veio da época em que JavaScript só servia pra validar formulário (14 anos de web), adotar estes novos Frameworks foi díficil, no começo eu me negava a usa-los, e cheguei a desenvolver um FW ajax completo pra uma empresa que trabalhei, mas depois de conhece-los você se apaixona, pois facilitam muito nosso trabalho, fazem em poucas linhas coisas que faríamos em várias, e coisas que fazemos toda hora, mas você tem toda razão, ainda usar o básico quando apenas o básico é necessário é, pra não dizer essencial, como pode ser chamado de “boas práticas”.

Esses dias mesmo um amigo me pediu um livro de AJAX pra estudar, ai eu perguntei sobre seu conhecimento de HTML, CSS, Javascript e uma linguagem Server-Side, e ele disse que não era necessário, que o AJAX já fazia tudo aquilo.

As vezes eu fico revoltado quando vejo esse tipo de “profissional”, fiz uma entrevista de PHP uma vez com um cara e ele não conseguia conectar no banco de dados, pois na empresa dele ele digitava Conectar(); e funcionava e na minha empresa não. Esse é bem o caso que você disse, e se você vai pra uma empresa que trabalha com algo diferente?

Acho que a pessoa está errada quando você pergunta pra ela qual a sua profissão e ela diz “sou programador PHP!” ou “Sou programador ASP!”, o programador é programador e ponto final. Quem programa de verdade consegue mudar de plataforma sem maiores problemas, basta entender o paradigma da linguagem, como ela se estrutura, procurar por boas práticas, e gloogle na sintaxe, o resto é tudo igual.

    Jakson Rochelly

    Hehe “Conectar();” foi show!

    William Bruno

    é isso ai Paulo. Acredito que se não resgatarmos esses fundamentos, cada vez mais surgirão programadores que não sabem oq fazem.

    Estragando a nossa profissão.

    luciano Filho

    Verdadeiros operários da Tecnologia…

    CAGADORES DE CODIGO!!!

Wagner Ramos Pinto

Concordo em género , número e grau.

Rodrigo Scarfone

hahaha. Fui pego pelo título do artigo, parabéns!
Apoiado! Infelizmente hoje o conhecimento express proporcionada pela nossa digníssima web tem colocado como “modus operandi” essa maldita curva acentuada de aprendizado, velocidade/agilidade e qualidade sempre foram caminhos que se cruzam e se separam indo geralmente em direções bem contrárias…
Quando se fala aprenda a linguagem, deve-se falar tmbm: aprenda a pensar, aprenda lógica, aprenda… aprenda… e continue aprendendo antes de “superficializar” seus processos.

Ivan Albuquerque Ferro

Caro William Bruno vc conseguiu desabafar oque eu tenho engasgado a anos, eu comecei a estudar programação aprendendo clipper 5, hoje percebo que oque aprendi faz muita diferença sobre alguém que começou pelo PHP por exemplo…
Concordo com vc em número, gênero e grau!!!
Parabéns pelo seu texto!!!!

Jakson Rochelly

Muito bom o artigo! Concordo que temos que saber a linguagem por trás do Framework!

P.S.: só achei que exagerou um pouco na questão de Assembly. :P

    arilson

    não acho exagero nenhum, o que falta também em muito desenvolvedor é conhecimento de hardware, não precisa ser especialista, mas ter noção, ter uma base é fundamental, por exemplo existe por ai muito SQL mal escrito e normalmente o desenvolvedor fala, ah é culpa do hardware, bota mais máquina ai, bobagem é o cara que não se preocupa com performance, programando baixo nivel seja em assembly ou até em arduino por exemplo onde você une hardware e software ja é suficiente pro cara ter pelo menos uma idéia da importância de alinhar a questão do software e do hardware.

    Concluindo: desenvolvedor também precisa ter um minimo de conhecimento de baixo nivel e hardware e hoje em dia com as aplicações web, até mesmo uma noção de infra-estrutura eu acho interessante o cara saber.

    abraço a todos.

    Carlos Eduardo

    Disse tudo… tem cara que nem sabe como funciona um webserver, como que o sistema operacional trata o software que ele esta desenvolvendo…. é bem deste jeito mesmo coloca máquina ai… e ele continua declarando varáveis sem saber se precisa de tudo aquilp mesmo… faz um código mostro que se ele pensar um pouco reduz o processamento e a lianhas… é basicamente um micreiro “programando”.

Alexandre Ungaratti

Disse tudo, é a realidade de muitos “Profissionais”.

Carlos Augusto de Faria Filho

Ótimo artigo, muitos por aí usam jQuery e outros FW sem saber como funcionam. Já resolvi muito “pepino” de programador que fazia “lixo” por conta disso…

Eu, particularmente, não gosto de usar frameworks, gosto de programar tudo do meu jeito. Única coisa que uso, porque preciso, é jQuery. Mas pelo menos consigo resolver os problemas, quando acontecem.

Estudar nunca é demais…

Luiz Fernando Picolo

Concordo em partes com meu amigo deste artigo. Para que seja usado um framework adequadamente, o desenvolvedor necessita de um conhecimento, e não digo superficial, da linguagem que vai utilizar, ou seja, quem usa um FW, já deve saber mais do que o básico de uma linguagem.
Porém, aprender um linguagem em seu nível mais alto não é ruim, contudo, não é fácil.

Evandro Diego Erlo

Show velho, muito bom.

Camilo Teixeira de Melo

Caracas, você ganhou o meu respeito tecnologico!

Marcelo Custódio

Meus parabéns, Bruno. Concordo plenamente!

Tudo passa por um planejamento. Se não tiver com a corda no pescoço, organize-se pra aprender fundamentos (linguagens cruas) antes mesmo que não haja demanda aparente …

Por isso que o maior bem que temos é o nosso tempo. Sabendo programá-lo e usá-lo, geramos outros tantos bens de todas os tipos.

William Bruno

=) obrigado galera! fico feliz de ter conseguido transmitir essa questão tão importante para nós.

Davi

#FATO. Isso me fez lembrar uma antiga história, onde as pessoas cortavam as pontas do presento para assar no forno. O marido perguntou a esposa o porque dela cortar as pontas, então ela disse “Faço isso porque minha mãe faz assim.”, então foi perguntar à sogra o porque cortar as pontas do presunto, e então ela repondeu: “Faço assim porque minha mãe fazia assim.”, entao foi à ela pergutar o porque desse processo, e então ela respondeu: “Cortava as pontas porque o presunto não entrava no forno.”. Esse é o problema, as pessoas utilizam Framework mas não sabem como ele funciona! Executam um simples hide()/show(), mas nem sabem o que realmente aconteceu com o elemento.

    William Bruno

    Booa Davi! ótima analogia ! curti !

    Welison Silva

    Boa!! a pessoa não evolui, prefere manter o que esta funcionando do que melhorar o que já era bom..

Welison Silva

Concordo com a matéria… onde fica o prazer de programar, aprender!?

Ricardo Lima

Gostei muito desse artigo, William! Comecei apredendo HTML e CSS num curso mt bom da Adobe, depois parti direto pro PHP. Tava dando tudo certo, mas isso não quer dizer que eu tava entendendo perfeitamente o que eu tava fazendo…Quando comecei lógica de programação na faculdade com c++, muita coisa ficou clara pra mim! Linguagens de baixo nível com certeza são fundamentais na vida de um programador. Não sei o porque da pressa da galera!
Parabéns pelo artigo. abraço

Tylër Vortex

Verdade, totalmente verdade!
Parabéns por este artigo!

Eu inverti um pouco com o jQuery, hoje sei muito, pois entendi a sintaxe, a reutilização de código para efeitos em divs de mesma class ou mesma id, etc… só que poderia ter aprendido mais em menos tempo se tivesse começado a estudar javascript mais a fundo primeiro…

Paulo Andrade

Sou programador Java para Web. Na verdade, eu nunca aprendi qualquer framework porque ele sempre muda várias versões. =(

Danilo Abranches

Gostei do artigo! Também achei que exagerou um pouco na questão de Assembly.

berg

William Bruno, já que você está dando esse alerta geral para todos trilham os caminhos da programação que muitas vezes não fazem as coisas corretamente por não ter uma metodologia ou noção básica seria uma boa você abrir uma sessão no seu blog sobre Lógica de Programação e Programação Básica. É apenas uma sugestão.

zeh

mto bem defendido! parabens

Paulo Luvisoto

Confesso que, de uns tempos pra cá tenho usado muito jQuery, mas antes, eu já tinha um sólido conhecimento em HTML, JavaScript e linguagens server-side, como PHP e JSP.

jQuery é o único framework que utilizo. Para as outras linguagens, prefiro fazer na unha e ir criando minhas próprias bibliotecas…

Mayko

O maior problema não está no usar e sim pq usar. Sou programador java, adoro frameworks, pq não gosto de reinventar a roda, mas faço isso por entender o bastidores da linguagem e saber levar em conta se um FW é bom ou não. No caso do Jquery, uso e abuso, principalmente quando preciso de ajax, mas se eu posso fazer com javascript e vai ser mais fácil pq utilizar um framework. Existe muitos “programadores” q só aprende os Wizzards da vida mas não sabem estruturas de repetição, condição, variáveis. Um exemplo que eu já vi, o cara usa um FW MVC mas não sabe o que é MVC!!

Igor Carvalho de Paula

Concordo plemanete, tem gente vendendo video aula usando plugin pra IDE que faz tudo, eu me sentia nessa situacao, a IDE fazia ate certo ponto e o que eu queria tinha que fazer no braço….isso é embaraçoso: quem faz a aplicacao? eu ou a IDE? Eu sou programador ? então resolvi entrar de cara no codigo, hoje posso dizer que sou programador, desenvolvedor.

heli

Concordo plenamente, É indispensável saber onde você esta botando a mão…

Ronaldo de Alcantara

Parabéns pelo artigo-desabafo. Concordo com tudo.

Sei muita lógica de programação, sempre estou me reciclando fazendo cursos com tais bases desde 2007 e penso que programar em linguagens é somente um detalhe em meio ao universo do programar de verdade. Procurei aprender o Assembler e consegui me adaptar a linguagem sem problemas, o que me deixou com um rótulo de maluco. Daí fui ao C e C++ e por fim o PHP. Hoje estou me reciclando no PHP porque sei que ele é a base dos FW’s mais utilizados. Pensei que estivesse no caminho errado, mas parece que estou certo.
Aprendi que primeiro antes de ir para o computador, devemos escrever e muito no papel tanto os requisitos quanto a lógica para por ÚLTIMO escrevermos o código antes de TESTAR. Existe muita moda por aí e pouca coisa que se aproveite.

Sebastião Ricardo Machado

Willian, eu concordo contigo, hoje em dia há, no mercado, muitas pessoas que fazem curso na escola da esquina, e já acham que sabem programar. Só que a culpa não é muitas vezes de quem acabou de fazer algum curso, mas sim da ilusao vendia a eles.
E tambem da falta de vontade de correr atras para aprender, é o que eu mais vejo nos meus 15 anos de TI.
Javascript, deveria ser pré requisito para quem trabalha com camadas de apresentação a web / intranets /extranets, pois facilita muito alguns e pequenos processamentos, no client.
Não é?
Pois é a principio eu fiquei indignado, com o Titulo que você escolheu para abordar o assunto.
Não é o Jquery que é ruim, ruim sao as pessoas, que optao muitas vezes por eles e nem mesmo se interessam em aprender a linguagem, ou melhor, logica…., pois ele é realmente produtivo sim, porem o javascript, o css, o html entre outras coisas, devem estar na mente, de quem for desenvolver.
Só para finalizar, UTILIZEM SIM O JQUERY, mas antes de usa-lo, procurem saber como e porque ele foi construido.

abraço a todos.

Élison Gomes

Willian, perfeita sua matéria!

Hoje em dia é muito comum ver os “POF”, Programadores Orientados a Framework, o que é lamentável.

Abraços.

Aaaa Bbbb

Isso parece muito com o que acontece com jogos. O que tem de pergunta feita num fórum de desenvolvedores de jogos de pessoas que pegam um KIT ou engine de jogo pronta e espera criar um jogo do nada sem saber programar é fogo. Ou então sabe um pouco, mas quer funções ou tutoriais prontos para tudo.

Elder Monteiro de Almeida`

Muito bom o artigo, acho que conseguiu dizer o que vários verdadeiros profissionais queriam. Eu concordo com absolutamente todas as palavras. É triste ver os “programadores” acharem que FW vai resolver tudo e quando tem um probleminha eles não fazem idéia do que há de baixo do capô. Parabéns!

Alessandro Guimarães de Andrade

Excelente artigo! Sou Designer Web com interesse em Desenvolvimento e reconheço a importância do que foi dito neste artigo! Muito bom!!!

Henrique José Pires Barcelos

Eu quase pari um filho quando li em algum lugar: “Validação de form em Ajax: preciso conferir se a soma de dois campos é igual a um valor ‘X’ com Ajax, como que eu faço?”

Eu acabei aprendendo Javascript só depois do PHP, mas hoje em dia posso dizer que meu conhecimento naquele é muito superior a este. Javascript é lindo por natureza e os frameworks servem apenas para facilitar a execução de tarefas repetitivas, muitas vezes inevitáveis. O que se faz é o encapsulamento dessa repetição, tudo fica implícito. E SÓ.

Querer aprender framework antes de linguagem é querer pilotar um Fórmula 1 sem nem ao menos saber dirigir Fusca.

Como dizia o sábio Tio Ben: “Com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades”.
O framework pode ser poderoso, mas se vc não souber usar, vai fazer uma (ou várias) grande cagada.

Pra finalizar, sobre o Assembly: de fato, a utilidade de uma linguagem Assembly (que não é linguagem de máquina, diga-se de passagem) só é útil para desenvolvedores de drivers ou aplicações especificas que precisam trabalhar em nível de hardware.

Entretanto, depois de aprendê-lo semestre passado na faculdade, eu comecei a quebrar o código em alto nível (PHP, C, Javascript) em instruções Assembly (pq no final é exatamente isso o que ocorre) e me perguntar como eu poderia melhorar aquele bloco de código.

Ou seja, não é inútil, você provavelmente nunca vai utilizar Asm para fazer algo ‘real’, mas sabê-lo te ajuda a melhorar a maneira que você programa em alto nível também.

Lucas peperaio

maravilha de artigo, meus parabens cara

Cleber Azevedo

Depende cara, eu uso mais JSon + JQuery, porque é mais prático, rápido e fácil usar o plugins como .ajax ou getJSON.

Temos também .POST ou .GET e além do mais podemos combinar isso com o JTemplate, o que fica uma mão na roda, pra quem quer uma aplicação rápida e isso aí, não vejo nada demais ou diferença em usar Jquery ou JScript puro criado por nós mesmos, aliás só uma no final, o tempo de desenvolvimento, parece que você não sabe muito sobre gerencia de projetos então fica a dica.

Prazo e agilidade para o cliente é tudo, e se a performance e usabilidade será sempre a mesma, devemos encurtar caminhos o mais possível, programador tem aquela velha mania de re-inventar a RODA, pra que isso?

Devemos ser produtivos, e creio que um programador que consiga lidar tão bem com JQuery + JSon, ele sabe onde está mexendo e já viu o mínimo de JScript.

Grato, apesar da falta de objetividade e visão o Post está legal.
Parabéns

    Me diverte muito este povo que adora falar: “re-inventar a RODA, pra que isso?”, que alias deveria ser “reinventar a RODA”, porque se prestarmos atenção é sempre em defesa de algo que já foi reinvetado.

    Antes da jQuery existiam outros tantos frames, se não tivesse alguem insatisfeito o suficiente com o Mootool, scriptaculous, extjs, Yahoo UI, sei lá mais o que, talves não existisse o jQuery hoje, por exemplo.

    Talves, você devesse olha pelo lado do artigo que tá falando sobre FW seu gerenciamento de projeto neste ponto não se aplica (sim sei que você vai argumentar um kilo, mas o fato é que o artigo fala sobre usar ou não usar FW, a dinâmica aqui é: saber o que tá fazendo e não fazer rápido o que tem de ser feito;)).

    Trabalho com PHP a 7 anos e vejo um monte de gente falando que o Zend é o Melhor Fw do mundo, mas outrora era o cake, symfony, betovem, picasso, monet ou sei lá o que… já parou pra pensar que a Zend reinventou a roda? E olha amigo nem de longe esse demônio deste Zend é o melhor FW, mas tá na moda.

    Em fim, o que tou querendo dizer é que reinventando a roda ou não sempre precisamos de pessoas insatisfeitas para criar algo que não tá bom e assim teremos novas ferramentas. vai que numa dessas alguem reinventa a roda para andar sobre as nuvens, tudo é possível amigo, abra sua mente, tome um Kuat e deixe esta maxima ultrapassada de “tão reinventando a roda” pra trás, isso foi um slogan criado para promover a OO e não para dizer que não prodemos criar algo para concorrer com o que já existe (vide MS, Google, Apple, IBM, alias, tem alguma empresa 100% original na informática?).

    []‘s

      Rodrigo Martins

      O Zend tem tanto disso que não parece mais com um Framework e sim com uma biblioteca de classes, oque mim parece e que os programadores estão preguiçosos, incomodam mais em encontrar soluções prontas do que melhorar algo já existente ou criar a própria solução.

    Richard

    Não vi no post ele pedindo pra que não se usasse os frameworks e sim para tentar conhecer o que roda embaixo deles, podendo assim fazer um uso mais eficiente ou até fazer certas coisas que ele proporciona de outra forma que seja mais eficiente. A diferença básica está em conhecer o conceito, a linguagem e ai demorar pouco pra aprender uma ferramenta e conhecer a ferramenta e saber copiar tutoriais da internet e mandar uma dúvida ao autor em qualquer erro que este apresente.

    Cleber Azevedo

    Eu apenas citei o REINVENTAR A RODA, porque teve comentário aqui que o carinha está usando somente jscipt puro e não sei o porque, já que poderia ser mais ágil em suas aplicações.

    FATO!

    Rodrigo Martins

    No entanto quero só ver se um cliente disser que não quer que você use jQuery para carregar dodos via Ajax, uma vez que esteja tão acostumados com os Framework nesse caso o jQuery. E isto que Willian estava querendo expor. E creio que a grande culpa seja do mercado que exige qualidade em um curto período de tempo.

Luciano Lima

Ótimo texto. Concordo com TUDO! Sem exceção!

Eduardo Coutinho

Muito bom o post, importante chamar a atenção para aprender pelo menos um pouco da base antes de aprender o framework que foi construido por cima dessa base.

Julio Cesar Carraro

Com certeza saber a linguagem pura + lógica de programação é o melhor caminho. Não haverá FW que irá cobrir todas as necessidades do projeto e é quando entra JS puro, PHP puro e quando entram as maiores bobagens do projeto, por falta de estudo em técnicas avançadas, tais como OO, expressões regulares, etc. Sem contar segurança.

Não são poucos programadores avançados que falam da tipagem javascript como um ótimo terreno para estudar OO.

O artigo trata de um problema sério na programação “frankenstein” da atualidade. E não falo como programador, falo como designer que precisa saber programação.
Sempre tomei o caminho “mais longo”, pensando na manutenção a médio e longo prazo e confesso que estou longe de aprender alguma coisa, mas prefiro saber a base. Sempre me animei muito com os FW do mercado, mas no final das contas, o melhor caminho de aprendizado real é a linguagem pura.

Deixei jQuery de lado e estou aprendendo a base javascript e se fazem coisas muito mais simples com bem menos código. Para que chamar a biblioteca da Alexandria se você precisa de apenas um livro?

Ou ainda mais simples, para que chamar a “roda inventada” se você precisa construir uma aos poucos? Você pode atender um cliente mais rapidamente usando jQuery e coisas prontas. Mas mais cedo ou mais tarde o projeto dele vai exigir programação que estão fora da biblioteca. E você precisará sim inventar a roda. Ou aumentar ainda mais seu “frankenstein”.

Deivison Arthur

Não só o artigo foi espetacular como também teve uma grande sacada de marketing no título, chamando muita atenção rsrs. Sobre o artigo, eu também venho reclamando disso a muito tempo, pois como cada vez fica mais fácil de se fazer site e sistema web com auxílio dos FW e Sistemas GPLs, é cada vez fácil achar pessoas que só porque sabem usar determinada ferramentas, acham que sabem de tudo.

Outra área que vejo isso é na webdesign, niguém estuda e nem pesquisa, só porque sabem css ou photoshop se jugem webdesigners profissionais. A receita é “simples”, basta estudar :)

http://blog.deivison.com.br

joão paulo ribeiro neder

Concordo plenamente e vou além, é necessário saber não só os fundamentos da linguagem, mas também de computação em geral, quantos desenvolvedores já vi que não sabem nem mesmo o que é um processo do sistema operacional? Gerenciamento de memória? Pilha? Fila? Compram um pc com 6 GB de memória e instalam um SO de 32 bits….etc….

Paulo Sergio

cade o botão de curtir?

Leopoldino

Os teus post são sempre fantástico. para mim que estou a começar não os perco.

Eliseu

Não concordo com o ataque ao jQuery. O mundo inteiro o usa. TODO desenvolvedor front end precisa de algo para facilitar sua vida, a não ser que ele seja desenvolvedor de accordions. É claro que sempre é melhor aprender o core antes de se aprofundar num framework, mas isso não quer dizer que não devemos usar jQuery. Nossa, essa matéria é totalmente equivocada.

Vamos a alguns exemplos: você precisa fazer um loop. É claro que o each() é mais lento que o for, aí está um ponto que é necessário conhecimento básico da linguagem. Outra é acesso a propriedades de um elemento no DOM que não são realmente necessários via jQuery (this.id é melhor que $(this).attr(“id”)).

Agora quero ver fazer um slider sem jQuery, boa sorte. Construa um função recursiva de seletores, filtrando a string para usar a melhor função dependendo do browser, etc., etc.

De resto, concordo plenamente com o tópico, mas esse título é muito, mas muito imaturo.

    William Bruno

    Oi Eliseu, leia os demais comentários acima do seu.

    Um dia vc vai entender a “jogada” do título. Minha escolha não foi imatura, a tua análise que foi. Já fiz slider sem jQuery, já fiz floaters, já fiz lightboxs.. já fiz muita coisa sem jQuery.

    Eu sei fazer. =)

    Oscar Alho

    é isso ae reiventar a roda sempre!

    William Bruno

    Eu não reinvento a roda amigo. Mas sei fazer ela.

    A crítica do artigo, está em saber fazer ou não. Eu sei fazer sem FW, e também sei fazer com. Uso jQuery, mas sei exatamente oq estou fazendo. E sei como o jQuery faz o que faz.

    Diogo

    Eliseu,

    Acho que a intenção do artigo não era atacar a jQuery em si, mas sim aqueles que a usam sem ao menos saber o porquê de usar.

    Eliseu

    “Uso jQuery, mas sei exatamente oq estou fazendo. E sei como o jQuery faz o que faz.”

    Ah, então você diz para não usar e usa? Seria mais lógico alertar sobre o mau uso do framework.

    William Bruno

    Você não interpretou corretamente o artigo Eliseu.

    Eu disse para não usar… “se vc não souber” oque é aquilo. Não souber como o FW faz oq faz, não entender sobre a linguagem base.

    Por favor, releia o artigo.

    Eliseu

    Do ponto de vista do marketing até que deu certo, muitas pessoas estão comentando.

    Curti o seu post no blog “Vixi! ‘aprendi’ jQuery mas e agora?” e gostaria de te mandar uns links para um próximo que pode vir, alguns você já deve conhecer. Todos falam sobre o core do JS:

    http://james.padolsey.com/
    http://perfectionkills.com/page/2/
    http://dmitrysoshnikov.com/

    Falou!

Felipe

Mas pra isso serve um framework, para quem não sabe trabalhar com a linguagem. Sou webdesigner, nunca aprendi JS e me viro muito bem com JQuery, por isso não tenho interesse nenhum em aprender a linguagem.

    Igor Carvalho de Paula

    ae que ta, vc diz nao saber JS, mas sabe, senao nao conseguiria colocar algo em jquery…frameworks servem para facilitar, nao para emburrecer, como acontece nas 97% dos casos…

Emily Figueiredo

Pessoal, devido ao sucesso desse post e ao interesse de vocês pelo assunto, estamos fazendo uma promoção no Facebook. Vamos sortear dois livros de JavaScript e jQuery, participem: http://on.fb.me/mY5f1N

marcos Paulo Furlan

execelente artigo. jQuery e Javascript é obrigatório para quem desenvolve conteúdo para web

Kauê Pereira

Core é essencial. A má utilização de Frameworks gera apenas uma geração de Programadores podres.

Edwilson Sousa

Realmente, só depois de dominar o PHP começei a estudar Cake e Zend Framework, agora com jQuery farei o mesmo, preciso me aprofundar no JavaScript antes de chegar nesse território estranho… :)

Gabriel Barros

Falou Tudo. Já vi gente querendo aprender javascript e PHP sem ter nenhum conhecimento de HTML. Não faz sentido nenhum. HTML, apesar de simples, é a base de tudo, deve ser aprendido antes de qualquer outra linguagem para a web. Não adianta comprar livros de PHP se não sabe nem mesmo o significado da tag <strong>

Além disso, só complementando o artigo, realmente aprender um framework só é bom depois de ter um conhecimento sólido da linguagem, senão o programador vai acabar se frustrando mais tarde. E isso acontece bastante por aí…

Mateus Bernardo

USE JQUERY SEMPRE!
@jquerybrasil

Fernando Carmo

JQuery realmente é algo que precisamos aprender. Como ajuda a vida =)

Abner Carleto

Concordo. Não trabalho com php + sim com java, e ja vi muito isso acontecer, galera usa JSF + não sabe nem o basico de html/css e justifica que o FW é mais produtivo. Ja vi gente ficar o dia inteiro tentando resolver um problema em JSP e no final ser resolvido em 5 minutos de CSS.

Se o cara quer trabalhar com desenvolvimento web mesmo que não seja web sites, ou mesmo que seja apenas front-end acredito ser fundamental um conhecimento mesmo que básico de HTML, CSS e JavaScript.

Tiago almeida

Acho que ter uma base de cada um é bom, pois facilita muito nossa vida, mas na boa, o JQuery salva a vida de muita gente de uma forma mais simplificada!

Ted k

Assino logo em seguida esse Artigo!!!

Anderson Santiago

Concordo plenamente com o artigo, hoje existe uma demanda muito grande pelo profissional “Sabe Tudo”, mas muitos não sabem nem sequer os princípios básicos, e não entendem que estas ferramentas existem para auxiliar o desenvolvedor e não simplesmente fazer todo o trabalho.

jeferson

Mas uma vez problema de base!!! também concordo plenamente.

Oscar Casagrande

Gostei do post e da maioria dos comentários! Show!

Antonio Spinelli

é um debate longo a respeito disso e ainda vai gerar muito pano para manga. =)
Sou programador PHP (oop, html, css, js) já a 4 anos. Já ralei bastante até chegar ao conhecimento que tenho hoje. Não descarto o uso FW mas de que adianta usar um FW se nem sabe usar a tecnologia que fica por tras da ferramenta?

Marlon Wanger

Otimo post , gosto muito de PHP apesar de ultimamente estar mais focado em C# , questao de emprego mais concordo com seu post , nao adianda utilizar algo que voce nao saiba ao menos uma base. Gosto muito dos seus artigos voltados em PHP / Javascript

Att

Marlon Wanger

Raphael Augusto

O tema do artigo é fantástico é o autor discorreu muito bem sobre o tema.

Trabalho com diversos “PROGRAMADORES” da geração:

ESCREVE POUCO, SAIBA MENOS AINDA E FAÇA QUASE NADA!.

Hoje em dia percebo que muitos se entitulam-se programadores após receber o diploma do seguinte curso:

-Curso de programação a distância sem prova:

Script para solucinar erro:

* De um print do ERRO
* Descubra qual é o FONTE que deu o erro:
*De um CTRL + F (procurar) no fonte com base na palavra que apareceu um ERRO
*Quando localizar a linha do erro, fique tendando mudar as variaveis até resolver o problema e se não der certo poste em um blog

Script para inserir uma nova funcionalidade em FW padrão ou aprimorado de qualquer linguagem:

*Procure um plugin
*Procure um plugin
*Procure um plugin
* Agora procure outro plugin
*Se não der certo post em um blog e reze para alguém te ajudar

E muito raro alguém estudar a estrutra de funções ou classe para saber como ou por que o erro aconteceu ou para inserir um funcinalidade.

Tiro o chapeu para o autor desse tema é algo que aconteceu todo dia na minha empresa.

Gran Kain

Entrei para malhar o post quando li o título, li e aqui vai meus elogios:

Ótima linha de raciocínio, de fato vejo isto sempre e já me peguei comentando várias vezes da necessidade que um bom programador deve te de sempre entender como tudo funciona em vez de apenas “usar”.

Trabalho com java e muitos aprendem a usar os frameworks e nem sabem muito de J2EE e ainda se acham no direito de defender seu framework como se fosse a melhor solução para todos os casos. É triste a pessoa não ter esta visão,

parabéns!

Marco Messa

Muito bom cara, realmente saber o básico é extremamente necessário… por isso que eu desenvolvo só com Notepad++ hehe.
Entretanto após muito tempo no básico eu passei a usar o JQuery e gostei muito também cara, querendo ou não eu consigo estruturar muito melhor meu código com JQuery e geralmente sempre quando pego um plugin eu tento modificar pra ficar mais com a minha cara, com efeitos e etc…
O que você postou é um exemplo de quem trabalha muito com DreamWeaver da vida no modo design.
Acredito que com uma boa lógica e disciplina em programação é muito útil usar frameworks.

Ótimo post manolo, see ya o/

Gabriel Barbosa

rs e eu querendo programar jquery primeiro ! tenho base em javascript .. mais nao avançado !
agora vou estudar e quando eu dominar pelo menos boa parte do javascript.. irei usar as bibliotecas para me ajudar na programação. :)

Marcello Urdiales

Bacana William, creio que você está corretíssimo em seus comentários.

O mercado está repleto de “programadores” que não tem a mínima idéia do que estão programando. Programar virou então tentativa e erro, copiar códigos aplicar e ver se funciona.

Você tem razão, antes de sair “programando”, o importante é ter o conhecimento “base”e saber o que está fazendo.

Aqui na agência eu testo o programador da seguinte forma: coloco o cara sentado numa máquina sem acesso a internet e peço para desenvolver algo. Sem o papai Google é que o cara se prova ;-)

Abraço a todos,

Ronaldo Santos

fg hf

Dinho

O que acontece é que os cursos/tutorias para quem está aprendendo é que estão faltando isso, pois eu aprendi 1º html básico para só depois aprender php já que que o curso dizia isso, mas o mesmo curso não me alertou para os fatores citados aqui, há uns 2 anos atraz eu comprei um video curso de php com OO e que usa Smarty para mostrar o uso da OO, nem o básico e nem o avançado fala de estrutura, engenharia, arquitetura, …
Então eu errei?
Os cursos que estão errados?
Eu sou preguiçoso?
Tudo isso junto?

Esse artigo fala muito de mim a 4 anos atraz com php e javascript, hoje eu continuo estudando e procurando aprimorar minhas técnicas, ainda tenho muito que aprender, mas até eu saber tudo, eu tenho que me manter vivo e quando um cliente ou uma agencia contratam meus serviços, é o preço que eles pagam que determina o nível do meu trabalho.

Os scripts deformados que chegam até nós, na maioria das vezes foram feitos por iniciantes ou são scripts velhos, em comum está o preço que os clientes pagaram por eles e que não vão pagar mais do eles acreditam valer.

Duvidas bobas vão sempre existir por falta de conhecimento, quem trabalha com programação seja de qualquer linguagem, já teve suas duvidas que hoje consideram bobas.

Se esse artigo tem a finalidade de incentivar que os novatos para que aprendam javascript antes de jQuery. É um ótimo tema e de muito bom gosto. Porém, o conteúdo deve ser coerente com o conhecimento de um novato.

E tem muita gente dizendo ‘ôba’ aí nos comentários, mas, que já foram piores do que esses que você citou, e o Google não é papai, ele é um Santo caridoso(ou não) que já salvou (quase)todo mundo que postou aqui. Eu só queria saber (só por curiosidade) quanto é que uma agencia paga para um profissional que não precisa usar ferramenta de busca para desenvolver? Porque todo profissional de desenvolvimento web usa(alguns mais outros menos).

    William Bruno

    Oi Dinho,

    O intuito desse artigo é sim realmente motivar os desenvolvedores a estudarem a linguagem javascript, antes de aprenderem jQuery.

    Assim como, acho mais correto estudarmos primeiro a base, e não sair apenas programando, ou estudando assuntos “avançados” sem saber de onde vieram.

    Eu creio que investir mais tempo nos princípios da programação, nas coisas básicas, te fará poupar tempo mais para frente.
    http://wbruno.com.br/blog/2011/07/22/aprenda-basico/

Marcos Sergio de Araujo

Cara gostei do artigo, sou analista/programador jurássico e tive que aprender html/javascript/css + outras coisinhas mais na raça sem curso, e o que aconteceu ??? Fui direto para a JQUERY, salvou-me no primeiro momento, tive maior produtividade, o design de minhas aplicações ficaram melhores, porem o custo de não saber direito como as coisas funcionam, torna-se cada vez maior a medida que você desenvolvendo projetos mais complexos.
Percebendo isto estudo as FW, e procuro aperfeiçoar o meu conhecimento e tento desenvolver os meus scripts.

Parabens pelo artigo, abraços !!!

Marlon

muito bom! uma ótima dica para os iniciantes!
eu comecei assim, aprendendo tudo como se não existissem FW e em seguida passei a usa las com o intuito de aumentar minha produtividade. Mas as vezes abro mão de usar FW justamente pelos motivos explorados no artigo.
Nem sempre um FW será vantajoso ou soluciona seus problemas. Pra mim um bom profissional nao deve se depender a FW e plugins

Willian Oliveira

Muito bom o atigo !!!

Cara, eu tento não depender do JQuery, mas tem coisas que não consigo fazer só no javascript. Um exemplo, não consigo atribuir atributos a uma class css, ou, adicionar e remover uma class css de um elemento, consigo isso somente com JQuery, se alquem tiver algum palpite …

Abraços

    Caio Landau

    É só vc pegar o atributo “class” do elemento em questão – document.getElementById(“id_do_elemento”).getAttribute(“class”) – e fazer a manipulação como quiser.

    Por exemplo, pra adicionar uma classe em 3 linhas (bem simplificado, claro):

    elemento = document.getElementById(“id_do_elemento”);
    classe_atual = elemento.getAttribute(“class”);
    elemento.setAttribute(“class”, class_atual+” nova_class”);

Everton

Ótimo artigo!
Já passei por um problema em ter que ensinar em como trabalhar com o NetBeans 5.1 na época para um colega.
O problema é que ele nem sabia o que era java quando perguntei e ele insistiu em querer fazer as coisas funcionarem “em swing” perguntei o que ele estava fazendo e ele respondeu que era um cadastro de produtos “fui no google” e achei o mesmo projeto pronto como exemplo, então entendi o que ele estava tentando fazer, alterar o exemplo e vender daquela forma mesmo para a churrascaria em que ele trabalhava.
Obviamente achei uma safadesa por parte dele aquilo poderia acarretar problemas enormes para o seu patrão “no caso”.
Esses são os safados que encontramos as vezes nas empresas que só fazem merda e contam história nas entrevistas e infelizmente está cheio por aí que se dizem analista de sistemas / programador.

Cristiano Unix

Concordo plenamente cara !
Passei por logica, pascal, c, cobol, já fiz coisas em assembly (não profissionalmente)… hoje sou desenvolvedor web utilizo jquery e outros frameworks pq ele torna o trabalho bem agradável e rápido, mas se tiver que ser javascript na unha vamos lá também !

Carlos Rodrigues

To comentando atrasado, mals aew…

Entendo a precupação, mas a maioria dos casos que vocês citaram, como o do Conectar(), é exemplo de alguém bem junior (ou burro, ou os dois).

No caso específico do jQuery, eu considero ele quase que uma nova linguagem. Por mim pegava o navegador podia vir com jQuery embutida. Em muitos casos não é necessário mesmo saber o que acontece por embaixo dos panos. É pra isso que existe Framework.

Você está fazendo uma aplicação e quer pegar todos os elementos com a classe “bla” menos os que tem a classe “blu”. Qual a necessidade de saber que o JS vai fazer um if do browser e usar o método adequado e depois fazer um looping filtrando os elementos? A maioria não precisa saber disso. Tanto é que quase ninguém vai ver o código fonte do jQuery.

Vi comentários de gente dizendo “faço tudo na unha”. De boa, cara, já passei por isso. É normal o nosso cérebro ter preguiça de aprender algo novo. As vezes essa coisa nova é boa, as vezes é ruim. No caso da jQuery, é ótima!!

Paulo Fernando

Gostei do artigo, já fui programador, mais acabei não me acostumando com a profissão e partindo para outros lados e concordo plenamente, eu até que era um bom programador tive que usar várias plataformas mais meu conhecimento básico foi o determinante em todas elas, o que facilitou muito nas transições, só precisei aprender as sintaxes para saber a nova linguagem, e realmente hoje o pessoal acha que sabe programar mais usam linguagems de auto nível que faz tudo e quando pinta um problema ele aparece dobrado, no conhecimento do probramador e no problema do sistema.

Denis Veneno

Concordo com você Bruno, porém tenho que confessar que aprendi javascript pelo jquery, sim, parece doideira, mas é a verdade. Eu tinha uma noção ‘basicona’ de javascript, mas em 20098 comecei a trabalhar, de verdade, com desenvolvimento de sites para a internet, pois peguei um cliente que queria criar um ERP, com PDV, para as vendas de suas lojas, levei quase 2 anos desenvolvendo a ferramenta, mas desenvolvi toda ela em PHP e JQUERY, busquei muito material de estudo, como estava iniciando minha vida no PHP decide me dedicar ao PHP e utilizei jquery pois facilitaria (e facilitou!) minha vida. Hoje vendo minha prestação de serviços de desenvolvimento de sites e sistemas e utilizo o JQUERY com muito prazer, porém, sempre tive lógica de programação na cabeça, desde jovem, e foi o que me ajudou muito neste período inicial, e pouquissimas foram minhas perguntas nas comunidades, sempre busquei solucionar meus problemas sozinho, porém concordo que vejo muita gente fazendo perguntas idiotas por ai, começam a ‘mexer’ sem noção de qualquer coisa.

Parabéns pelo artigo.

Ismael

Isso que vc disse é verdade… Tem muita gente que acha que JQuery ou outras coisas do tipo é quase como se fosse um avanço na linguagem shuashaushu, mas tbm, não é por causa disto que devemos deixar o JQuery de lado né, eu até uso jquery, mas no caso dos meus código, iria ficar uma baita confusão se fosse tudo atravéz de javascript “normal”, porque tem coisas que realmente é mais facil escrever em uma linha por JQuery, do que ficar programando pakas pelo Javascript…
Por exemplo, ja imaginou tudo que seria necesário para substituir
$(‘identificação’).hide().fadeIn()
??
teria que criar função para ocultar o elemento selecionado, depois ter que criar mais uma função para deixar o elemento visivel, mas ir colocando opacidade aos poucos…
então acho que em parte, o JQuery é bom sim, mas tbm não podemos no esquecer que isto é javascript…

Thiago Frazão

Muito bacana cara.
É o que estou fazendo agora.
Faço um curso técnico em programação, e foi onde conheci linguagem web. Antes pensei que se construia sites apenas com html e dreamweaver. Mas quando começei o curso me surpreendi.
Eu estou estudando linguagem web agora, e a lógica de programação e linguagem c, que aprendi no curso, estão me ajudando muito. Tudo perece mais fácil.

    Thiago Frazão

    O meu objetivo é aprender primeiro PHP depois JSP. Estou estudando javaScript agora.

Eder

Muito bacana ler esses artigos de desabafo. A quantidade de comentários “concordo, EU é que sei fazer” é impressionante. Depois ainda dizem que falta gente qualificada, tsc.

LR Silva

Concordo em partes. É preciso ter em mente que atualmente cada vez mais se usa linguagens de alto nivel para desenvolvimento, é uma realidade e precisamos estar atentos a isso. Mas concordo que se possivel, quase, seria bom aprender assembly :)

Nailson M

Taí uma linguagem q preciso separar um tempo e estudar ela.

Não é só front-end que usa JS hj em dia… Node.js e outros FW Server-side são extremamente interessantes.

Tomando uma frase do Tupac como minha:
“Linguagens vem e vão, mas os programadores são eternos”

qademir

Parabéns pelo artigo!

Estive pensando nessa mistura de neoprogramadores X apressados em aprender.com,
se tivéssemos um CRI ou CRP (conselho regional (informática ou programador))?
resolveria estas e outras trapalhadas, pessoas que “aprendem” sobre informática
sem nunca passar por um curso presencial, estão com as mãos na massa,
e que bolo vai sair??????

William Sandoval

Bom texto,um artigo muito bom relcaionado a esse é The law of leaky abstractions escrito por um dos fundadores do StackOverflow.
http://www.joelonsoftware.com/articles/LeakyAbstractions.html

Tarcisio Maciel

Ótimo artigo..sou novo por aqui e esse é o primeiro artigo que leio. Concordo totalmente com sua opinião. Acho que devemos ser simples no que fazemos porém criteriosos para alcançar o melhor resultado para o trabalho. Por isso, a importância de subir um degrau por vez. Parabéns Willian!

devsdmf

Simplesmente, perfeito.

Ed

Concordo, muitas empresas de RH selecionam programadores com exigências vinculada a fetures e skeletons, porém a experi?ncia sobre a linguagem e projetos realizados ficam de lado.

Luiz

usem o que deve usar pronto rsss
as vezes o sucesso está num site básico, que depois explode e gera milhoes para o bolso kkk

Vinícius Silva

Voce estgá certíssimo quando diz sobre tantos lixos que estão sendo criados por ai. Canso de ver erros grosseiros em desenvolvimento de softwares. Tem muitos programadores que, assim que terminam seu trabalho, entregam sem nem sequer testar. Porque, por exemplo, nenhum deles acertar exibir uma solicitação de segunda via de conta, sem detonar a parte principal que é o código de barras? Porque eles não testam nada. Se eu fosse dono de empresa de softwares, todos eles perdiam no meu pisco-teste….

Ítalo

Acreditem ou não, eu programo quase tudo o que quero em Javascript. Até as funções pré-existentes em JS, como sin, acos, charAt, isNan, etc. Tento sempre resumir funções à palavras reservadas. Quando não sei, busco mais conhecimento, analiso códigos alheios, e aí sim, crio minha própria versão do algoritmo.

Programador tem que programar, só isso. Os caras querem tudo pronto. Por isso que não sou “chegado” em Java e amo C.

Falou, true developers.

Daniel Faria

O título é meio preocupante mesmo, admito. Contudo, seu conteúdo traz uma boa reflexão sobre como os programadores que utilizam frameworks tratam essa questão. Eu lido constantemente com HTML, CSS, PHP e JavaScript. Quanto a essa última eu concordo mesmo que antes de usar jQuery é imprescindível aprender JavaScript. Mas é inegável a facilidade de criar um menu com efeito slideToggle com poucas linhas de código. O efeito está pronto, basta aplicar ao elemento correto. Defendo que um programador deve conhecer a linguagem com que trabalha, mas eu conheci o jQuery e seu poder de acelerar o desenvolvimento no lado cliente e devo admitir que fiquei muito espantado com isso. Estudar sempre é necessário, mas um cliente precisa de prazos cumpridos e qualquer tecnologia que puder acelerar o desenvolvimento é bem vinda, com certeza. Porém, é preciso saber o fundamento da linguagem para poder se adaptar a outras tecnologias.
Parabéns ao autor pela visão demonstrada no artigo

paulo

“Pra mim deveria ser assim: todo programador deveria obrigatoriamente estudar alguma linguagem de programação de baixo nível!”

“Não, não estou sendo arcaico.”

Concordo com muita coisa que voce escreveu, mas o trexo acima nao me desce. Talvez uma pincelada por cima para entender o funcionamento de uma linguagem de baixo nivel seja interessante, mas do meu ponto de vista ir muito longe parece pura perca de tempo.
Eventualmente um ou outro pode surgir com algo novo a partir das linguagens de baixo nivel mas ainda nao me convence a aprender isso.

Erick

Perfeito. Concordo com vc cara. Sem mais. Bye

Carlos

Estuda mais um pouco

Renan Maciel

Não li todos os comentários do Post, mas a respeito do conteúdo em sim, concordo em partes…

Até acho que dependendo do que o tal programador pretende desenvolver ou quem sabe o que a aplicação realmente necessite, talvez seja necessário o conhecimento mais ROOT da coisa para maior domínio do que se está fazendo, porem imagine em algumas situações de front-end mesmo, em que não é necessário tanto conhecimento técnico na linguagem…. até pq o próprio jQuery proporciona com que qualquer programador possa fazer efeitos que até então, para ele seria impossível se fosse na raça… e seguindo a linha de raciocínio, sobre o pq recriar a roda: tá, vc sabe usar e criar a roda, mas será que esse conhecimento é realmente necessária/obrigatório em todos os casos? Bem, talvez sim, hehe… mas talvez não…

e a respeito das frameworks de php, por exemplo, acho muito valido o programador iniciar programando sabendo o básico de php(por exemplo) e já partir pra framework. Até pq, alem de permitir que ele produza mais rápido( contando com o tempo que ele levaria para aprender php pra depois aprender o cake) permite que ainda a conheça a linguagem mais rapidamente, pq em algum momento, ele vai precisar e vai ter que aprender o root também e nada o impedirá de fazer uma grande obra no final….

e quem xingou, aloprou e menosprezou os programadores de framework, mal sabe que um dia também não sabia programar e que em algum momento chegou a pular etapas, longas e curtas. Acho que o aprendizado tem varias formas para alcançar o objetivo final, o importante é sempre que quanto mais aprenda melhor.

Anderson Menezes

Eu fui vitima disto, logo quando tava començando, não sabia quase nada de HTML e CSS, mas já queria trabalhar com FW, porque é uma forma mas rápida pra você fazer as coisas.
Ai fui estudar o Twitter Booastrap, depois cair na real.

Leonardo J.

Muito bom. O William Bruno parece o Sheldon Cooper falando. Concordo com texto. Quem trabalha com Delphi, aprende Pascal, quem trabalha com C#, C++ e esses frameworks novos são fodas… Parabéns Sheldon, ops, W. Bruno.

Aquiles Oliveira

Excelente!!!

Thalisson André

Só achei estranho falar de Framework e citar uma biblioteca, como é o caso do JQuery.
O JQuery é uma biblioteca javascript, e só isso.
Apesar do meu estranhamento, concordo que aprender um Framework sem saber lógica, ou mesmo conhecer a linguagem para qual foi criado o mesmo, é sem noção.
O mercado tá cheio de maus profissionais, porque todos querem somente a parte mais fácil, e não compreendem que a coisa só fica fácil para quem sabe o que tá fazendo.

Marcos Vinicius Nascimento Pereira

Eu concordo plenamente com este artigo e também conheço pessoas assim ! Lamentável. tem gente que me fala que programar php estrutural é perca de tempo, na verdade eles não devem saber programar estruturadamente e recorrem aos frameworks.

Clelton Monteiro

Acho que foi assim que surgiu esse conceito de geração x, y e z. Completo bando de amadores que nunca tocou em javascript puro. Acham que jQuery é conceito de profissionalismo. Na verdade jQuery não chega a ser 10% de toda a linguagem javascript, é apenas um atalho.

José Luís

Cara, concordo com tudo o que você disse, e mais um pouco. Mas agora que o artigo já está chegando em seu terceiro aniversário, com toda a maciça promoção do jQuey e tantas outras bibliotecas de script, não ficou meio que aparente a vontade do mercado em tornar o desenvolvedor um mero montador de peças, não?

Diego

Ainda completo que há muitíssimas pessoas que sobrecarregam páginas e app’s com bibliotecas como o jQuery somente para fazer algo simples que em muitas ocasiões resolveriamos com pouquíssimas linhas de código de javascript puro. E convenhamos, muitos são despreparados a ponto de encarar tal framework – jQuery – como “linguagem de programação” e não conseguir desvencilhá-la do javascript, ou ao menos nem saber do que se trata um framework e uma linguagem de programação.

Qual a sua opinião?