Seções iMasters
Segurança

2011 – o que nos espera do outro lado do monitor?

A cada ano que passa, observamos uma enorme variedade de ameaças cibernéticas surgir e mudar o cenário virtual. O que antes era assustador, hoje pouco incomoda. Com a evolução dos worms – cada vez mais sofisticados – percebemos a necessidade de uma proteção ainda mais aprimorada principalmente no ambiente corporativo. Hoje em dia só antivírus convencional não é mais suficiente. Cada vez faz-se mais necessária implementação de soluções multicamada.

Ano passado, observamos todo estrago causado pelo Stuxnet, o primeiro worm capaz de afetar o mundo físico. Esse fato marca a história da segurança da informação que entra em uma nova era, a da espionagem e da sabotagem cibernéticas.

Mas o que devemos esperar de 2011 quanto a segurança na web 2.0? Quais serão as principais ameaças? O que fazer para proteger as informações? Para ajudar as empresas a se preparem contra os ataques virtuais, a Symantec antecipa cinco principais tendências em segurança da informação identificadas para este ano.
 

  • Infraestruturas críticas – A frequência dos ataques aumenta em 2011, e os provedores de serviços deverão estar cada dia mais precavidos em termos de segurança. A maioria dos fornecedores de infraestrutura crítica é solidária e está muito disposta a cooperar com as instituições governamentais. No entanto, não esperamos ver muito movimento por parte dos governos nesse sentido.
  • Vulnerabilidades zero-day – Essas ameaças altamente segmentadas ganham impulso em 2011, portanto, prepare-se para testemunhar o surgimento de mais vulnerabilidades zero-day neste ano do que em qualquer outro.
  • A adoção exponencial de dispositivos móveis – Com dispositivos cada vez mais sofisticados e com apenas algumas plataformas móveis liderando o mercado, é inevitável que os invasores mirem os dispositivos móveis em 2011, e que esses equipamentos se tornem a principal fonte de perda de dados confidenciais.
  • Surgimento de uma nova fronteira com ataques motivados por política – Depois do Stuxnet, esperamos ver as ameaças virtuais irem além dos jogos de espionagem, pois já há malwares com força suficiente para causar danos reais. A Symantec acredita que o Stuxnet é apenas a primeira forte indicação de tentativas que alguns podem chamar de guerra cibernética, mas que já vem acontecendo há algum tempo. Em 2011, mais indicações dessa atividade em curso para controlar a corrida ao armamento digital virão à tona.
  • Conformidade regulatória vai levar à adoção de tecnologias de criptografia – Com a explosão do número de dispositivos móveis, as organizações se verão obrigadas a cumprir várias regulamentações associadas à proteção de dados e à privacidade. Em 2011, veremos as organizações adotarem uma abordagem mais proativa para proteção de dados, com a adoção de tecnologias de criptografia para cumprir os padrões de conformidade e evitar pesadas multas e danos à marca que podem ser causados pela violação de dados.

Neste ano, empresas e pessoas físicas precisam estar cientes de que irão enfrentar novos inimigos ainda mais assustadores do outro lado do monitor. Por isso, atualizações das soluções de segurança são fundamentais, visando à proteção do bem mais valioso da empresa, a informação. Afinal, os limites para os ataques não são mais delimitados pelos muros das organizações e nem pela tela do computador.

Qual a sua opinião?