Seções iMasters
Tendências

Tendências da Internet 2000-2009 – Parte 01: música online

Estamos chegando ao final de mais um ano e também de uma década. Tem sido
um tempo de mudanças para muitas indústrias, muitas dessas provocadas
pela internet. Um bom momento para analisar as tendências mais
importantes desses últimos 10 anos. Desde o boom pontocom até o
pós-inverno nuclear, desde a paixão e o entusiasmo das inovações
pré-Web 2.0 (RSS e podcasting) até o grande hype da Web 2.0, da
presente era da web real-time até a Internet das coisas.

Vamos começar pelo mercado de música online. Nenhuma indústria,
exceto a dos jornais, foi tão modificada pela internet quanto a
indústria da música.

Napster e Kazaa: arquivos compartilhados

A década da indústria musical online começou com o Napster, um serviço de compartilhamento de músicas criado por Shawn Fanning que funcionou de junho de 1999 até julho de 2001.
O Napster permitiu que as pessoas compartilhassem seus arquivos de MP3
pela Internet, mas rapidamente teve sérios problemas judiciais. O
Napster foi vítima de processos no ano 2000 pelo Metallica e outras
bandas. E por isso o serviço foi desligado por ordem judicial, depois
de grandes gravadoras se manifestarem contra ele.

Depois do Napster, um aplicativo P2P chamado Kazaa
se tornou o serviço mais popular de compartilhamento de arquivos de
música. Mas ele também sucumbiu aos ataques judiciais das gravadoras.

Curiosamente, ambos os serviços foram ressuscitados recentemente e convertidos para a legalidade. Após anos de tentativas de relançamento, o Napster foi comprado pelo Best Buy em setembro de 2008 e renasceu em maio de 2009. Já o Kazaa também foi para o lado da legitimidade em julho deste ano.

iTunes / iPod: comercialização de música digital

A
Apple chegou à indústria musical de maneira completamente legal. Em
janeiro de 2001 a Apple lançou um player de músicas digitais chamado iTunes.
Em abril de 2003, foi lançada a loja do iTunes, onde era possível a
compra de músicas por 99 centavos cada – e foi então que aconteceu um
grande impacto na indústria.

Logo após a queda do Napster em 2001, a Apple lançou um aparelho que se tornaria revolucionário na indústria da música. O iPod foi lançado em outubro de 2001 e se tornou o player portátil mais popular desde o walkman da Sony da década de 1980.

Até a presente data, o iTunes continua a evoluir. Em janeiro a Apple anunciou que se livraria da gestão de direitos digitais (DRM). Em setembro de 2009 lançou a nona versão do iTunes,
que incluía uma ferramenta genial de recomendação para aplicativos -
além do “iTunes LPs”, que adiciona notas e artes digitais dos álbuns.

MySpace: música e redes sociais

O Myspace foi lançado em agosto de 2003 e rapidamente se tornou um
espaço para bandas locais bastante popular. No Myspace era possível
promover suas músicas e atingir muitas pessoas pelo seu potencial
social.

A presença de bandas no MySpace começou a atrair usuários jovens que
se interessavam pela cultura pop, e também pelos novos artistas que
descobriam ao navegarem pelo serviço. Somente oito meses após ser
lançado, o MySpace começou a crescer com maiores proporções, graças ao
“efeito de rede” onde um usuário se registra e chama seus amigos, que
por sua vez chamam mais pessoas. O MySpace se tornou a comunidade
musical da Web em que todo mundo estava.

Porém, em 2008 o MySpace perdeu seu lugar na rede para o Facebook. Mesmo assim, continua tentando reaver seu espaço como a rede social musical: em outubro o MySpace lançou “Artist Dashboards” e integrou vídeos com a recente aquisição do iLike.

Pandora e last.fm: descoberta da música online

Na era da Web 2.0, os serviços de música online prosperaram. O
processo de encontrar novas músicas e compartilhá-las com outras
pessoas pela web se tornou altamente sofisticado, e ao mesmo tempo
simples e barato.

O Pandora é um serviço gratuito online para descoberta musical. Foi fundado no ano 2000 e continua a crescer, apesar dos problemas judiciais
que ocorreram. A renda do Pandora vem de anúncios de áudio direcionados
nas músicas, e das vendas de MP3 em lojas afiliadas como Amazon e
iTunes.

O Last.fm é outro serviço para descoberta de músicas. Foi fundado em 2002 e vendido para a CBS em 2007. Continua a inovar, pois em maio de 2009 anunciou a combinação de estações, permitindo os usuários a criarem suas próprias estações com até três artistas ou por palavras-chave.

Conclusão

Quando se pensa em música ao final de 2009, se pensa em iTunes,
Pandora, last.fm e até no MySpace. A velha indústria musical
(gravadoras, artistas, produtores de show) ainda está se adaptando às
mudanças.

Conte-nos suas experiências relacionadas a esta indústria nos
últimos 10 anos. Qual foi seu produto ou serviço preferido de músicas
online neste período? Ainda utiliza algum? O que espera para o futuro
da indústria musical online? Participe!

Comente também

1 Comentário

Micael Delgado

Estamos passando por uma época de evolução, essa década ficará marcada como a nova adaptação da música no meio digital.
Essa linha do tempo exposta no artigo mostra como evoluiu, e, acredito que nos próximos 20 anos, não teremos uma evolução desse tamanho, mas sim, uma estabilização.

Qual a sua opinião?