Gestão do Conhecimento – A espiral do conhecimento

Alexandre Mendes em Carreira Gerência de TI

Caros leitores, o tempo passa rápido mesmo, lá se vão 3 anos escrevendo neste site, onde ganhei muitos leitores, amigos e muita experiência. Agradeço a todos vocês pelos e-mails, críticas, sugestões, avaliações e tudo o mais. Obrigado! Neste artigo vamos comentar uma das mais interessantes teorias sobre a geração do conhecimento, muito citada em livros, teses, etc. que é a “espiral do conhecimento”, dos autores Nonaka e Takeuchi. Vamos lá?

O conhecimento tácito e o explícito

Segundo autores diversos, o conhecimento organizacional pode ser considerado como tácito ou explícito (1).

O conhecimento explícito é aquele encontrado em manuais, livros, registros diversos e é mais fácil de ser comunicado. O conhecimento tácito é o que esta dentro do indivíduo, não é visível, está incorporado às suas vivências, suas experiências, envolvendo valores e crenças pessoais, em uma expressão: know-how.

Então para compartilharmos o conhecimento na organização, precisamos convertê-lo, ou seja, transformar o tácito em explícito.

Existem muitas teorias sobre o tema ´criação do conhecimento´ e uma das mais conhecidas é a ´espiral do conhecimento´ (2).

A criação do Conhecimento

Segundo os autores citados (2) existem quatro modos de converter o conhecimento, a saber: socialização, internalização, externalização e combinação. Vamos comentar um a um:

Socialização

É a conversão do conhecimento tácito em conhecimento tácito. Para ele ocorrer é preciso que haja uma interação entre indivíduos que, de alguma forma estimulados, passam a compartilhar seus conhecimentos, ou seja, suas habilidades, experiências, idéias, percepções, etc. Um indivíduo pode adquirir este conhecimento de outro, mesmo sem usar alguma linguagem, pois pode ser adquirido através da observação, imitação ou prática. Um bom exemplo seria a relação existente, numa empresa, entre um estagiário e o seu orientador.

Um outro exemplo interessante é a pesquisa de comportamento de clientes, pois quando se obtêm informações deste tipo, elas podem ser incorporadas aos produtos / serviços, gerando customizações e inovações, gerando resultados mais bem sucedidos do que aqueles tradicionais questionários de satisfação do cliente.

Externalização

É a conversão do conhecimento tácito em conhecimento explícito. Ou seja, busca-se transformar o conhecimento do indivíduo em um conhecimento articulado e transmissível.

A idéia é que o indivíduo transmissor expresse o seu conhecimento tácito em uma linguagem escrita ou alguma representação (por exemplo: gráficos, símbolos ou outros recursos) de forma que se consiga passar este seu conhecimento a outro indivíduo dito receptor.

Mas neste processo pode haver perdas até consideráveis, pois vai depender muito da clareza, da habilidade de comunicação do individuo que irá transmitir seus conhecimentos e também da capacidade de assimilação do receptor.

Este processo é muito importante dentro do processo de conversão do conhecimento, pois ele cria conceitos novos e explícitos, a partir do conhecimento tácito. É através da ´externalização´ que a organização poderá conseguir mapear o conhecimento tácito e torná-lo aplicável aos seus processos.

Um bom exemplo é a fabricação de cartuchos descartáveis de impressora, onde se empregou a mesma idéia da fabricação das latas descartáveis de cervejas.

Combinação

É a conversão do conhecimento explícito em conhecimento explícito. É possível quando os conhecimentos explícitos existentes podem ser combinados para gerar um novo conhecimento. Isto pode acontecer quando indivíduos combinam ou trocam conhecimentos através de e-mails, reuniões, documentos e até em conversas informais.

Um exemplo é quando um analista desenvolve um trabalho, como um resumo de vendas / indicadores, baseado em informações que coletou em diversas áreas da organização e o apresenta aos gerentes em uma rotineira reunião semanal. O trabalho gerado representa um novo conhecimento, pois resume informações de variadas fontes. Isto quer dizer que a ´combinação´ consiste em gerar novos conhecimentos através de processos de acréscimo de informações, classificações ou mesmo categorização do conhecimento explícito apresentado.

Internalização

É a conversão do conhecimento explícito em conhecimento tácito. Ele é criado através da interpretação dos conhecimentos explícitos que estão em manuais, livros, normas, comunicados e diversos tipos de documentos que estão na empresa.

Ele influencia diretamente a cultura do indivíduo receptor, podendo modificar seu comportamento profissional e até mesmo pessoal.

Desta forma quando um novo conhecimento é disponibilizado para todos da organização muitos outros indivíduos ampliam ou reformulam o seu conhecimento tácito, ou seja, passam a internalizá-los.

A ´internalização´ pode ser classificada como a forma de obter o conhecimento tácito ou ´know-how´, que deverá ser colocado em documentos visando a facilitar a transferência para outras pessoas.

A espiral do conhecimento

Podemos imaginar uma espiral. É exatamente isto que agora irá acontecer com o conhecimento. Ao se chegar nesta etapa, os processos novamente se iniciam, ou seja, o conhecimento explícito, que anteriormente fora ´internalizado´, vai agora ser ´socializado´ novamente, disponibilizando-o aos funcionários, fazendo com que o conhecimento seja efetivado enfim, exatamente como uma espiral. Afinal a criação do conhecimento é um processo dinâmico e contínuo.

Podemos imaginar a espiral do conhecimento na seguinte sequência: através da socialização, o conhecimento tácito é trocado e posteriormente convertido em explícito, através da externalização. Iniciando o processo de combinação, este novo conhecimento recém adquirido é combinado ao já existente gerando novos conhecimentos para a organização. Finalmente este novo conhecimento será internalizado e transformado em manuais, documentos, normas, etc. fazendo com que todo o processo se reinicie, através da socialização começando tudo de novo.

Conclusão

È preciso atentar que para o sucesso desta conversão do conhecimento é necessário que os indivíduos envolvidos estejam suficientemente motivados para isto e que haja a plena disseminação do conhecimento pela empresa (políticas e diretrizes), onde todos convivam em um ambiente propício à colaboração.

Para a gestão do Conhecimento acontecer é preciso um foco único, objetivo, pois será necessário reunir o capital humano, a cultura organizacional e a tecnologia da informação.

Mais informações destes tipos de conversão do conhecimento podem ser encontradas quando estudamos ´aprendizado organizacional´ (internalização e externalização), ´cultura organizacional´ (socialização) e ´ambientes colaborativos´ (combinação).

Bibliografia

(1) Conhecimento tácito e explícito. Acessar http://imasters.com.br/artigo/3599/gerencia/conhecimento_tacito_e_explicito/

(2) Nonaka, Ikugiro; Takeuchi, Hirotaka. Criação de conhecimento da empresa. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

Alexandre Mendes em Carreira Gerência de TI

Comentários

Dê Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

  1. perfeito!!!
    eu tenho uma prova hoje de gestao do conhecimento e esse texto me ajudou muito!
    com certeza vou ter um bom resultado na prova!!!
    obrigado!!!

  2. Adorei!Bem que o senhor poderia ser nosso professor na facul de ADM,aqui em Piracicaba.Esclareceu de forma objetiva ,minhas dúvidas.Obrigada

  3. Agradecidíssimo. Fiz a prova do TRT 10ª hoje e estava em dúvida se teria acertado ou errado a questão. Felizmente acertei, mas estava com dúvidas. Agora acredito que acabei de consolidar o conhecimento, nunca mais esquecerei. Excelente explicação.

  4. Muuuito oBrigadaa! finalmente consegui entender essa teoria! Vc conseguiu de uma forma simples e prática exemplificar Nonaka e Takeuchi! Prabéns!

  5. Muito obrigada pela disposição do texto, faço Recursos Humanos e tenho aula de Gestão aqui em Araras/SP. Foi muito explicado, esclareceu toda minha dúvida.

  6. Estava no meio de um nevoeiro,não entendia nada. Depois que li a matéria comecei á ver como funciona a dinâmica da coisa.
    Muito obrigado.

  7. Ótimo post. Estava lendo para ter base na matéria de inovação tecnológica da faculdade. Outra coisa. Esse post vai fazer 5 anos. Parabéns. Ainda é útil.

  8. PERCEBEMOS QUE A ESPIRAL DO CONHECIMENTO ELA É CASUAL, ORA VOCÊ ESTÁ NUMA POSIÇÃO E HORA ESTÁ EM OUTRA POSIÇÃO, OU SEJA, ORA VOCÊ ESTÁ (SOCIALIZAÇÃO, INTERNALIZAÇÃO, EXTERNALIZAÇÃO E COMBINAÇÃO).

leia mais
Este projeto é mantido e patrocinado pelas empresas:
Hospedado por: